Resumo Direito Constitucional   Aula 04
24 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 04


DisciplinaDireito Constitucional I70.363 materiais1.623.379 seguidores
Pré-visualização10 páginas
DO CONTEUDO MATERIAL DO ATO NORMATIVO IMPUGNADO 
- DEPENDER, PARA EFEITO DE SEU RECONHECIMENTO, DO PREVIO EXAME 
COMPARATIVO ENTRE A REGRA ESTATAL QUESTIONADA E QUALQUER OUTRA 
ESPÉCIE JURÍDICA DE NATUREZA INFRACONSTITUCIONAL, COMO OS ATOS 
INTERNACIONAIS - INCLUSIVE AQUELES CELEBRADOS NO ÂMBITO DA 
ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (O.I.T) - QUE JA SE ACHAM 
INCORPORADOS AO DIREITO POSITIVO INTERNO DO BRASIL, POIS OS TRATADOS 
CONCLUIDOS PELO ESTADO FEDERAL POSSUEM, EM NOSSO SISTEMA 
NORMATIVO, O MESMO GRAU DE AUTORIDADE E DE EFICACIA DAS LEIS 
NACIONAIS. INTERPRETAÇÃO ADMINISTRATIVA DA LEI E CONTROLE NORMATIVO 
ABSTRATO. - SE A INSTRUÇÃO NORMATIVA, EM DECORRÊNCIA DE MA 
INTERPRETAÇÃO DAS LEIS E DE OUTRAS ESPÉCIES DE CARÁTER EQUIVALENTE, 
VEM A POSITIVAR UMA EXEGESE APTA A ROMPER A HIERARQUIA NORMATIVA 
QUE DEVE OBSERVAR EM FACES DESSES ATOS ESTATAIS PRIMARIOS, AOS QUAIS 
SE ACHA VINCULADA POR UM CLARO NEXO DE ACESSORIEDADE, VICIAR-SE-A DE 
ILEGALIDADE - E NÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE -, IMPEDINDO, EM 
CONSEQUENCIA, A UTILIZAÇÃO DO MECANISMO PROCESSUAL DA FISCALIZAÇÃO 
NORMATIVA ABSTRATA. PRECEDENTES: RTJ 133/69 - RTJ 134/559. - O EVENTUAL 
EXTRAVASAMENTO, PELO ATO REGULAMENTAR, DOS LIMITES A QUE SE ACHA 
MATERIALMENTE VINCULADO PODERA CONFIGURAR INSUBORDINAÇÃO 
ADMINISTRATIVA AOS COMANDOS DA LEI. MESMO QUE DESSE VÍCIO JURÍDICO 
RESULTE, NUM DESDOBRAMENTO ULTERIOR, UMA POTENCIAL VIOLAÇÃO DA 
CARTA MAGNA, AINDA ASSIM ESTAR-SE-A EM FACE DE UMA SITUAÇÃO DE 
INCONSTITUCIONALIDADE MERAMENTE REFLEXA OU OBLIQUA, CUJA 
APRECIAÇÃO NÃO SE REVELA POSSIVEL EM SEDE JURISDICIONAL 
CONCENTRADA. 
 
1.1.4. Inconstitucionalidade Originária X Inconstitucionalidade Superveniente 
 
 Direito Constitucional 
Data: 12/09/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 9 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
1.1.4.1. Inconstitucionalidade Originária 
Também pode ser chamada de genética ou congênita ou no nascedouro ou ab 
ovo. É a que se verifica no nascimento da norma, ou seja, no momento em que a 
norma surge, já é contrária à CRFB. 
 
1.1.4.2. Inconstitucionalidade Superveniente 
Embora a doutrina defenda a ocorrência de duas hipóteses de 
inconstitucionalidade superveniente, o STF já consolidou entendimento no sentido de 
que no ordenamento jurídico pátrio não há que se falar em inconstitucionalidade 
superveniente, mas em revogação da norma ante a não recepção pela nova ordem 
constitucional. 
a) inconstitucionalidade superveniente pelo advento de nova norma 
constitucional: essa primeira situação decorreria do advento de nova norma 
constitucional posterior à edição de lei que não padecia de nenhum vício de 
inconstitucionalidade em sua origem. Para o STF, se a lei anterior é incompatível com a 
nova ordem constitucional, ela está revogada, pois não foi recepcionada. Desta forma, 
o STF não admite a inconstitucionalidade superveniente e este é o único caso em que 
se vale da nomenclatura, sendo o que cai em prova. 
Exemplo: lei de 1985, que não é compatível com a CRFB/88 não foi 
recepcionada e não cabe falar que aquela está eivada de inconstitucionalidade 
superveniente. 
Vide ADI 2. 
ADI 2 / DF - DISTRITO FEDERAL 
AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 
Relator(a): Min. PAULO BROSSARD 
Julgamento: 06/02/1992 Órgão Julgador: Tribunal Pleno 
Publicação DJ 21-11-1997 PP-60585 EMENT VOL-01892-01 PP-00001 
EMENTA: CONSTITUIÇÃO. LEI ANTERIOR QUE A CONTRARIE. REVOGAÇÃO. 
INCONSTITUCIONALIDADE SUPERVENIENTE. IMPOSSIBILIDADE. 1. A lei ou é 
constitucional ou não é lei. Lei inconstitucional é uma contradição em si. A lei é 
constitucional quando fiel à Constituição; inconstitucional na medida em que a 
desrespeita, dispondo sobre o que lhe era vedado. O vício da inconstitucionalidade 
é congênito à lei e há de ser apurado em face da Constituição vigente ao tempo de 
sua elaboração. Lei anterior não pode ser inconstitucional em relação à 
Constituição superveniente; nem o legislador poderia infringir Constituição 
futura. A Constituição sobrevinda não torna inconstitucionais leis anteriores com 
ela conflitantes: revoga-as. Pelo fato de ser superior, a Constituição não deixa de 
produzir efeitos revogatórios. Seria ilógico que a lei fundamental, por ser suprema, 
não revogasse, ao ser promulgada, leis ordinárias. A lei maior valeria menos que a 
lei ordinária. 2. Reafirmação da antiga jurisprudência do STF, mais que 
 Direito Constitucional 
Data: 12/09/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 10 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
cinqüentenária. 3. Ação direta de que se não conhece por impossibilidade jurídica 
do pedido. 
b) inconstitucionalidade superveniente pelo advento de emenda 
constitucional: adotada pela doutrina no caso de haver uma lei anterior 
materialmente incompatível com emenda constitucional posterior. Não há 
inconstitucionalidade superveniente para o STF neste caso, apenas para parcela da 
doutrina. 
Observação: na doutrina, há quem veja inconstitucionalidade superveniente na 
hipótese de mutação constitucional. Isto porque, originariamente, a norma foi 
considerada constitucional, mas se tornou inconstitucionalidade ante a alteração na 
interpretação da norma constitucional. 
Com relação ao assunto, cumpre mencionar o caso da lei de crimes hediondos 
vedando a progressão de regime. Esta parte da legislação havia sido considerada 
constitucional na década de 90, mas atualmente o STF declarou tal situação 
inconstitucional, sem, no entanto, falar sobre inconstitucionalidade superveniente. 
 
1.1.5. Inconstitucionalidade Simples X Inconstitucionalidade por Derivação 
 
1.1.5.1. Inconstitucionalidade Simples 
 
1.1.5.2.Inconstitucionalidade por Derivação 
Também chamada de inconstitucionalidade por arrastamento ou por arrasto 
ou consequencial ou por atração. 
Ao analisar-se uma norma \u201cX\u201d, verifica-se que uma norma \u201cY\u201d só existe em 
função da \u201cX\u201d. Se a norma \u201cX\u201d for inconstitucional, a norma \u201cY\u201d será inconstitucional 
por derivação. 
Exemplo 1: uma norma estadual concedeu vitaliciedade ao Procurador do 
Estado. Uma outra norma relacionada com a primeira dispunha que, para haver 
decretação da perda do cargo, deveria haver uma ação civil. O STF entendeu que 
apenas têm vitaliciedade os cargos aos quais a CRFB atribuiu tal condição e declarou a 
1ª norma inconstitucional. Neste caso, a 2ª norma foi declarada inconstitucional por 
arrastamento. 
Exemplo 2: o STF tinha súmula dispondo que, no caso de foro especial por 
prerrogativa de função, havendo a perda da função, a prerrogativa não se extinguiria. 
 Direito Constitucional 
Data: 12/09/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada