Resumo Direito Constitucional   Aula 07
25 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 07


DisciplinaDireito Constitucional I70.301 materiais1.620.569 seguidores
Pré-visualização10 páginas
resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 19 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração 
econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à 
formação de uma comunidade latino-americana de nações. 
b) direitos fundamentais; 
c) princípios constitucionais sensíveis (art. 34, VII, CRFB); e 
CRFB, Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto 
para: 
VII - assegurar a observância dos seguintes princípios constitucionais: 
a) forma republicana, sistema representativo e regime democrático; 
b) direitos da pessoa humana; 
c) autonomia municipal; 
d) prestação de contas da administração pública, direta e indireta. 
e) aplicação do mínimo exigido da receita resultante de impostos estaduais, 
compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento 
do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde. (Redação dada pela Emenda 
Constitucional nº 29, de 2000) 
d) cláusulas pétreas (art. 60, parágrafo 4º, CRFB). 
CRFB, Art. 60, § 4º - Não será objeto de deliberação a proposta de emenda 
tendente a abolir: 
I - a forma federativa de Estado; 
II - o voto direto, secreto, universal e periódico; 
III - a separação dos Poderes; 
IV - os direitos e garantias individuais. 
Para a doutrina, os preceitos fundamentais são dotados de maior densidade 
axiológica (de valores), apesar de não haver hierarquia entre as normas 
constitucionais. Exemplo: o direito à vida, como direito fundamental, tem maior 
densidade que a norma constitucional que versa sobre o Colégio Pedro II. 
A violação de preceito fundamental seria de maior gravidade, motivo pelo qual 
existe ação específica para sua proteção. 
 
4.3. Objeto 
a) ADPF Direta ou Autônoma: ato do Poder Público. 
É a proposta no STF, independentemente de haver qualquer processo anterior. 
 Direito Constitucional 
Data: 03/10/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 20 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
Ato do Poder Público é ato normativo ou ato concreto. 
b) ADPF Indireta ou Incidental: ato normativo da União, dos Estados, dos 
Municípios e do DF, inclusive anteriores à CRFB/88. 
Na ADPF indireta, há um processo comum a ser julgado por juiz competente, no 
qual existe uma questão incidental envolvendo preceito fundamental. 
O juiz é competente para julgar a questão incidental em regra, mas, quando 
envolver preceito fundamental, deve-se levar a questão ao STF através de ADPF 
incidental, para que se analise a norma em tese. 
O controle do STF, no caso, é abstrato, pois o nome \u201cincidental\u201d se dá por conta 
da origem da matéria, motivo pelo qual alguns autores preferem a nomenclatura ADPF 
Indireta. Trata-se de cisão funcional da competência no plano vertical. 
A maior finalidade seria permitir que as partes tivessem legitimidade para 
propor ADPF incidental. No entanto, o STF não reconhece as partes como legitimadas 
ativas, entendendo que a legitimidade é exclusiva dos sujeitos elencados no art. 103, 
CRFB. 
Lei 9.882/99, Art. 2º. Podem propor argüição de descumprimento de preceito 
fundamental: 
I - os legitimados para a ação direta de inconstitucionalidade; 
II - (VETADO) 
§ 1o Na hipótese do inciso II, faculta-se ao interessado, mediante representação, 
solicitar a propositura de argüição de descumprimento de preceito fundamental 
ao Procurador-Geral da República, que, examinando os fundamentos jurídicos do 
pedido, decidirá do cabimento do seu ingresso em juízo. 
§ 2o (VETADO) 
CRFB, Art. 103. Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade e a ação 
declaratória de constitucionalidade: (Redação dada pela Emenda Constitucional 
nº 45, de 2004) 
I - o Presidente da República; 
II - a Mesa do Senado Federal; 
III - a Mesa da Câmara dos Deputados; 
IV a Mesa de Assembléia Legislativa ou da Câmara Legislativa do Distrito Federal; 
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) 
V o Governador de Estado ou do Distrito Federal; (Redação dada pela Emenda 
Constitucional nº 45, de 2004) 
VI - o Procurador-Geral da República; 
 Direito Constitucional 
Data: 03/10/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 21 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; 
VIII - partido político com representação no Congresso Nacional; 
IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. 
Bastante importante observar que é possível que as partes representem ao 
PGR, para que este venha a propor a ADPF incidental, a partir da questão incidental no 
processo comum. 
O problema é que os legitimados ativos para a propositura da ADPF incidental 
podem propor a ADPF direta também, ficando aquela esvaziada. 
 
O parâmetro da ADC e da ADI é mais amplo que o da ADPF, enquanto o objeto 
da ADPF Direta é mais amplo que o da ADPF Indireta, que, por sua vez, é mais 
abrangente que o da ADI e este possui maior amplitude que o objeto da ADC. 
Observação: súmula comum nem súmula vinculante podem ser objeto de 
ADPF, pois possuem procedimento específico para seu cancelamento. 
 
4.4. Princípio da Subsidiariedade da ADPF 
Cabe ADPF quando não houver outro mecanismo eficaz para sanar a lesividade, 
conforme dispõe o art. 4º, parágrafo 1º, Lei 9.882/99. 
Lei 9.882/99, Art. 4º, § 1o Não será admitida argüição de descumprimento de 
preceito fundamental quando houver qualquer outro meio eficaz de sanar a 
lesividade. 
Mecanismo eficaz é o que tem a mesma efetividade (mesmo efeito concreto) e 
a mesma amplitude que a ADPF teria. Desta forma, em regra, o mecanismo eficaz tem 
natureza objetiva, motivo pelo qual não cabe ADPF se for cabível ADC ou ADI. 
Objeto na ADC Objeto ADI Objeto na 
ADPF Indireta 
Objeto na 
ADPF Direta 
Lei ou ato 
normativo 
federal. 
Lei ou ato 
normativo 
federal ou 
estadual. 
Lei ou ato 
normativo da 
União, Estados, 
Municípios ou 
DF, incluindo 
os anteriores à 
CRFB/88. 
Ato do Poder 
Público, 
inclusive da 
Administração 
Pública 
Indireta. 
 Direito Constitucional 
Data: 03/10/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir