Resumo Direito Constitucional   Aula 10 (10.10.2011)
21 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 10 (10.10.2011)


DisciplinaDireito Constitucional I69.867 materiais1.610.335 seguidores
Pré-visualização8 páginas
complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 19 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
 
1.4.7. Direito de Resposta 
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, 
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a 
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à 
propriedade, nos termos seguintes: 
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da 
indenização por dano material, moral ou à imagem; 
O direito de resposta relaciona-se a poder contrapor algo que é imputado a 
alguém. 
A pluralização do debate, no contexto de um estado democrático, significa que 
o acesso a informações deve ser assegurado. Relacionado a isso, o direito de resposta, 
além da vertente individual, possui uma vertente social ou coletiva, de permitir à 
sociedade o acesso aos diversos argumentos sobre determinado fato. 
Observação: Dano material e moral podem ser combinados. 
 
1.4.8. Liberdade Religiosa e de Consciência 
Tratam-se de direitos fundamentais previstos no art. 5º, VI a VIII, CRFB. 
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, 
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a 
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à 
propriedade, nos termos seguintes: 
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre 
exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais 
de culto e a suas liturgias; 
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas 
entidades civis e militares de internação coletiva; 
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de 
convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação 
legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei; 
Ninguém pode ser obrigado a aceitar certa prática se contrária à sua 
consciência. 
Se a pessoa se recusar a um serviço obrigatório por escusa de consciência sem 
satisfazer a prestação alternativa, poderá sofrer a perda dos direitos políticos (art. 5º, 
VIII c/c 15, IV, ambos da CRFB). 
 Direito Constitucional 
Data: 10/10/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 20 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se 
dará nos casos de: 
IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou prestação alternativa, nos 
termos do art. 5º, VIII; 
A liberdade religiosa é de crer ou não crer, conectando-se diretamente ao 
Princípio da Laicidade, que dispõe a não adoção de nenhuma religião oficial pelo 
Estado. 
No entanto, estado laico ou leigo não é antirreligioso, ou seja, não é caso de 
indiferentismo estatal (Estado indiferente ao fenômeno religioso). Isto porque, apesar 
dessa laicidade, o preâmbulo da CRFB invoca a proteção de Deus. 
CRFB, Preâmbulo: Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia 
Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a 
assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o 
bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de 
uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia 
social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica 
das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte 
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. 
Ademais, o art. 5º, VI a VIII, CRFB invoca a liberdade religiosa, enquanto o art. 
19, I, CRFB dispõe sobre o regime de colaboração com entidades religiosas. O art. 150, 
VI, \u201cb\u201d, CRFB veda a instituição de impostos sobre templos de qualquer culto e o art. 
226, parágrafo 2º, CRFB. Observa-se, pois, que não há indiferentismo estatal. 
Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: 
I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o 
funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de 
dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse 
público; 
 
Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado 
à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: 
VI - instituir impostos sobre: 
b) templos de qualquer culto; 
 
Art. 226, § 2º - O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei. 
 
 Direito Constitucional 
Data: 10/10/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 21 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
Desta feita, conclui-se que o Estado pode criar uma diferenciação de 
tratamento a certo grupo religioso, respeitando a igualdade pluralista.