Resumo Direito Constitucional   Aula 11 (04.11.2011)
36 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 11 (04.11.2011)


DisciplinaDireito Constitucional I69.970 materiais1.612.428 seguidores
Pré-visualização14 páginas
dos poderes da Assembléia Constituinte do Estado-membro 
não alcança matérias às quais, delas cuidando, a Constituição da República emprestou 
alçada constitucional. (ADI 104 / RO \u2013 RONDÔNIA - Relator(a): Min. SEPÚLVEDA 
PERTENCE) 
s. Ação direta de inconstitucionalidade. Constituição do Estado do Rio 
Grande do Norte. Concessão de vantagens pecuniárias a servidores públicos. Simetria. 
Vício de iniciativa. 1. As regras de processo legislativo previstas na Carta Federal 
aplicam-se aos Estados-membros, inclusive para criar ou revisar as respectivas 
Constituições. Incidência do princípio da simetria a limitar o Poder Constituinte 
Estadual decorrente. 2. Compete exclusivamente ao Chefe do Poder Executivo a 
iniciativa de leis, lato sensu, que cuidem do regime jurídico e da remuneração dos 
servidores públicos (CF artigo 61, § 1º, II, "a" e "c" c/c artigos 2º e 25). Precedentes. 
Inconstitucionalidade do § 4º do artigo 28 da Constituição do Estado do Rio Grande do 
Norte. Ação procedente. (ADI 1353 - Relator(a): Min. MAURÍCIO CORRÊA). 
t. "Ação direta de inconstitucionalidade. Artigo 51 do Ato das Disposições 
Constitucionais Transitórias do Estado da Paraíba. Redefinição dos limites territoriais 
do município do Conde. Desmembramento de parte de município e incorporação da 
área separada ao território da municipalidade limítrofe, tudo sem a prévia consulta, 
mediante plebiscito, das populações de ambas as localidades. Ofensa ao art. 18, § 4º 
da Constituição Federal. Para a averiguação da violação apontada pelo requerente, 
qual seja, o desrespeito, pelo legislador constituinte paraibano, das exigências de 
consulta prévia e de edição de lei estadual para o desmembramento de município, 
não foi a norma contida no art. 18, § 4º, da Constituição Federal substancialmente 
alterada, uma vez que tais requisitos, já existentes no seu texto primitivo, 
permaneceram inalterados após a edição da EC 15/96. Precedentes: ADI 458, rel. Min. 
Sydney Sanches, DJ 11-9-98 e ADI 2.391, Rel. Min. Ellen Gracie, Informativo STF 316. 
u. Afastada a alegação de que a norma impugnada, sendo fruto da 
atividade do legislador constituinte estadual, gozaria de uma inaugural presunção de 
constitucionalidade, pois, segundo a jurisprudência desta Corte, o exercício do poder 
constituinte deferido aos Estados-membros está subordinado aos princípios 
adotados e proclamados pela Constituição Federal. Precedente: ADI 192, Rel. Min. 
Moreira Alves, DJ 6-9-01. Pesquisas de opinião, abaixo-assinados e declarações de 
organizações comunitárias, favoráveis à criação, à incorporação ou ao 
desmembramento e município, não são capazes de suprir o rigor e a legitimidade do 
plebiscito exigido pelo § 4º do art. 18 da Carta Magna. Precedente: ADI 2.994, Rel. 
Min. Ellen Gracie, DJ 4-6-04. A esse rol de instrumentos ineficazes que buscam driblar a 
exigência de plebiscito expressa no art. 18, § 4º, da Constituição Federal, soma-se, 
 D. Constitucional 
Data: 04/11/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21)2223-1327 29 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21)2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
agora, este de emenda popular ao projeto de Constituição estadual. Ação direta cujo 
pedido se julga procedente, com a aplicação de efeitos ex nunc, nos termos do art. 27 
da Lei 9.868/99." (ADI 3.615, Rel. Min. Ellen Gracie, julgamento em 30-8-06, DJ de 9-3-
07) 
v. \u201cO Supremo Tribunal Federal referendou decisão do então Relator, 
Ministro Marco Aurélio, que deferiu o pedido de liminar, para suspender a eficácia dos 
artigos 41, 42, 43 e seu parágrafo único, 44, 45 e seu parágrafo único do ADCT da 
Constituição do Estado da Paraíba e indeferiu a cautelar relativamente ao inciso XII do 
art. 136 da parte permanente da mencionada Constituição. Salientou-se, na 
oportunidade, que os citados dispositivos do ADCT ofendem a regra da iniciativa 
reservada ao Chefe do Poder Executivo quanto à majoração de vencimentos dos 
servidores públicos (CF, art. 61, § 1º, II, a) e no que concerne à prévia dotação 
orçamentária para atender às projeções de despesa de pessoal e aos acréscimos dela 
decorrentes (CF, art. 169). 
w. "Processo de reforma da Constituição estadual \u2014 Necessária 
observância dos requisitos estabelecidos na Constituição Federal (art. 60, §§ 1º a 5º) 
\u2014 Impossibilidade constitucional de o Estado-Membro, em divergência com o 
modelo inscrito na Lei Fundamental da República, condicionar a reforma da 
Constituição estadual à aprovação da respectiva proposta por 4/5 (quatro quintos) 
da totalidade dos membros integrantes da Assembléia Legislativa \u2014 Exigência que 
virtualmente esteriliza o exercício da função reformadora pelo Poder Legislativo local 
\u2014 A questão da autonomia dos Estados-Membros (CF, art. 25) \u2014 Subordinação 
jurídica do poder constituinte decorrente às limitações que o órgão investido de 
funções constituintes primárias ou originárias estabeleceu no texto da Constituição da 
República: (...)." (ADI 486, Rel. Min. Celso de Mello, julgamento em 3-4-97, DJ de 10-
11-06). 
x. \u201cSegundo a nova norma do art. 30, § 4º, da Constituição de Roraima, 
introduzida pela Emenda Constitucional n. 16/2005, os Deputados Estaduais de 
Roraima eleitos em 1º de outubro de 2006 tomariam posse em 15 de fevereiro de 
2007. Entre 1º de janeiro de 2007 e 15 de fevereiro de 2007, permaneceriam no cargo 
os Deputados Estaduais que foram eleitos em 6 de outubro de 2002 e empossados na 
Assembléia Legislativa Estadual em 1º de janeiro de 2003. A Constituição da República 
define o período de duração do mandato de Deputado, embora não fixe a data de seu 
início. O § 1º do art. 27 da Constituição do Brasil é regra de cumprimento 
identicamente obrigatória para os Estados-membros, razão pela qual não pode o 
constituinte ou o legislador estadual encurtar ou ampliar a duração do mandato de 
quatro anos definido.\u201d (ADI 3.825, Rel. Min. Cármen Lúcia, julgamento em 13-12-06, 
DJ de 2-3-07) 
 D. Constitucional 
Data: 04/11/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21)2223-1327 30 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21)2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
y. "Parlamentar distrital: imunidade formal: CF, art. 53, § 2º c/c os arts. 27, 
§ 1º, e 32, § 3º: incidência. Com o advento da Constituição de 1988 (art. 27, § 1º), que 
tornou aplicáveis, sem restrições, aos membros das Assembléias Legislativas dos 
Estados e do Distrito Federal, as normas sobre imunidades parlamentares dos 
integrantes do Congresso Nacional, ficou superada a tese da Súmula 3/STF (\u2018A 
imunidade concedida a Deputados Estaduais é restrita à Justiça do Estado\u2019), que tem 
por suporte necessário que o reconhecimento aos deputados estaduais das 
imunidades dos congressistas não derivava necessariamente da Constituição Federal, 
mas decorreria de decisão autônoma do constituinte local." (RE 456.679,