Resumo Direito Constitucional   Aula 12
19 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 12


DisciplinaDireito Constitucional I70.417 materiais1.624.977 seguidores
Pré-visualização7 páginas
500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21)2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
Art. 93. Lei complementar, de iniciativa do Supremo Tribunal Federal, disporá 
sobre o Estatuto da Magistratura, observados os seguintes princípios: 
(\u2026) 
Observação2: As matérias de iniciativa privativa do Presidente da República 
(art. 61, §1º) são de reprodução obrigatória em âmbito estadual. Por exemplo, 
iniciativa de lei sobre regime jurídico de servidor público estadual deve ser do 
governador estadual. 
Diante disso, deve-se ter atenção com o disposto pelo art. 61, §1º, II, b da CRFB, 
que atribui competência ao Presidente da República para dispor, por exemplo, sobre 
matéria tributária dos territórios federais. Acontece que, não há território autárquico 
em âmbito estadual, então a matéria do art. 61, §1º, II, b fica adstrita ao âmbito 
federal, que não deve ser reproduzido em âmbito estadual. 
 Art. 61, § 1º - São de iniciativa privativa do Presidente da República as leis que: 
II - disponham sobre: 
b) organização administrativa e judiciária, matéria tributária e orçamentária, 
serviços públicos e pessoal da administração dos Territórios; 
Observação3: O STF entende que PEC de iniciativa parlamentar sobre matéria 
cujo projeto de lei é de iniciativa presidencial é inconstitucional, por pretender burlar a 
atribuição conferida ao Presidente da República. 
Exemplo: Não se pode, por emenda à Constituição Estadual, atribuir iniciativa 
ao Legislativo estadual para legislar acerca do regime jurídico dos servidores públicos 
estaduais, afinal nesse caso a iniciativa é privativa do Governador. 
Toda violação ao processo legislativo representa uma inconstitucionalidade 
formal. 
Observação4: O Congresso Nacional pode proceder com emenda parlamentar a 
projeto de lei de iniciativa presidencial em dois casos (art. 63, I da CRFB): (i) não 
houver aumento de despesa; (ii) houver aumento de despesa com previsão 
orçamentária. Em ambos os casos, a emenda constitucional deve ter pertinência 
temática, consoante jurisprudência do STF. 
Art. 63. Não será admitido aumento da despesa prevista: 
I - nos projetos de iniciativa exclusiva do Presidente da República, ressalvado o 
disposto no art. 166, § 3º e § 4º; 
Art. 166, § 3º - As emendas ao projeto de lei do orçamento anual ou aos projetos 
que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso: 
 D. Constitucional 
Data: 18/11/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21)2223-1327 5 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21)2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
I - sejam compatíveis com o plano plurianual e com a lei de diretrizes 
orçamentárias; 
II - indiquem os recursos necessários, admitidos apenas os provenientes de 
anulação de despesa, excluídas as que incidam sobre: 
a) dotações para pessoal e seus encargos; 
b) serviço da dívida; 
c) transferências tributárias constitucionais para Estados, Municípios e Distrito 
Federal; ou 
III - sejam relacionadas: 
a) com a correção de erros ou omissões; ou 
b) com os dispositivos do texto do projeto de lei. 
§ 4º - As emendas ao projeto de lei de diretrizes orçamentárias não poderão ser 
aprovadas quando incompatíveis com o plano plurianual. 
b. Iniciativa Geral: representa o oposto da iniciativa reservada, caso em 
que não há autoridade ou órgão específico para a apresentação do projeto. 
 
1.3.1.1.1.2. Iniciativa Parlamentar ou Extraparlamentar 
a. Iniciativa Parlamentar: projeto apresentado por senador ou deputado. 
b. Iniciativa Extraparlamentar: projeto que não seja apresentado por 
parlamentar, como, por exemplo, os apresentados pelo Presidente da República ou 
pelo STF, bem como os de iniciativa popular. 
 
1.3.1.1.1.3. Iniciativa Popular 
Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto 
direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: 
III - iniciativa popular. 
Art. 61, § 2º - A iniciativa popular pode ser exercida pela apresentação à Câmara 
dos Deputados de projeto de lei subscrito por, no mínimo, um por cento do 
eleitorado nacional, distribuído pelo menos por cinco Estados, com não menos de 
três décimos por cento dos eleitores de cada um deles. 
Consoante arts. 14 e 61, §2º da CRFB, existem duas condições: 
a. Adesão de 1% do eleitorado nacional; 
 D. Constitucional 
Data: 18/11/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21)2223-1327 6 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21)2494-1888 
www.enfasepraetorium.com.br 
 
 
b. Distribuição em pelo menos 5 estados da federação, com 0,3% do 
eleitorado de cada estado. Com isso, releva-se o caráter nacional do interesse sobre 
determinado projeto de lei. 
O processo de iniciativa popular deve ser apresentado perante a Câmara dos 
Deputados, afinal os deputados são representantes do povo. 
 
1.3.1.1.1.4. Iniciativa Concorrente 
Trata-se de hipótese em que a CRFB faculta a duas autoridades a iniciativa, ou 
seja, a uma ou a outra. 
Exemplo: O art. 61, §1º, II, d atribui iniciativa ao Presidente da República para 
legislar sobre a organização do Ministério Público, sendo que o art. 128, §5º da CRFB 
faculta essa iniciativa ao Procurador Geral, especificamente do Procurador da 
República, quando se referir ao MPU, e ao Procurador de Justiça, quando se tratar do 
MPE. 
Art. 61, § 1º - São de iniciativa privativa do Presidente da República as leis que: 
II - disponham sobre: 
d) organização do Ministério Público e da Defensoria Pública da União, bem como 
normas gerais para a organização do Ministério Público e da Defensoria Pública 
dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios; 
Art. 128, § 5º - Leis complementares da União e dos Estados, cuja iniciativa é 
facultada aos respectivos Procuradores-Gerais, estabelecerão a organização, as 
atribuições e o estatuto de cada Ministério Público, observadas, relativamente a 
seus membros: 
 
1.3.1.1.2. Fase Constitutiva \u2013 Deliberação 
A fase constitutiva engloba o momento de deliberação, bem como o de sanção 
ou veto. 
 
1.3.1.1.2.1. Dispensa de Plenário 
Em regra, a deliberação final (aprovação ou rejeição) é feita pelo Plenário da 
Casa. Porém, o art. 58, §2º, I da CRFB permite a dispensa do Plenário, caso em que a 
deliberação é feita por Comissão Parlamentar em Razão da Matéria, também 
chamada de Comissão Parlamentar Temática. 
Art. 58, § 2º - às comissões, em razão da matéria de sua competência, cabe: 
 D. Constitucional 
Data: 18/11/2011 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires,