Resumo Direito Constitucional   Aula 14 (06.02.2012)
26 pág.

Resumo Direito Constitucional Aula 14 (06.02.2012)


DisciplinaDireito Constitucional I69.718 materiais1.607.537 seguidores
Pré-visualização10 páginas
por parte da autoridade administrativa. 
 
1.3.1.2. Justiça Desportiva 
Trata-se efetivamente de exceção ao Princípio da Inafastabilidade de Jurisdição, 
cuja previsão é constitucional. 
A Justiça Desportiva possui natureza extrajurisdicional, estabelecendo o art. 
217, parágrafo 1º, CRFB que questões relacionadas à prática desportiva só podem ser 
apreciadas pelo Judiciário após o esgotamento das instâncias administrativas. 
 Direito Constitucional 
Data: 06.02.2012 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 4 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
Conheça nossa loja online: www.enfaseonline.com.br 
 
 
Art. 217, § 1º - O Poder Judiciário só admitirá ações relativas à disciplina e às 
competições desportivas após esgotarem-se as instâncias da justiça desportiva, 
regulada em lei. 
 
1.4. Estrutura do Poder Judiciário 
 
 STF 
 CNJ 
 
STJ TST TSE STM 
 
TRF TJ TRT TRE Auditorias 
 Militares 
 
Juiz Juiz Juiz Juiz 
 Federal Estadual Trabalhista Eleitoral 
 
JUSTIÇA COMUM JUSTIÇA FEDERAL ESPECIALIZADA 
 
1.4.1. Juizados Especiais e Varas 
Os juizados especiais, turmas recursais e varas não são órgãos do Poder 
Judiciário, pois os órgãos, no caso, são os juízes, com base no art. 92, CRFB. Tratam-se, 
desta feita, de organização do Judiciário (Vide RE 590.409). 
Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário: 
I - o Supremo Tribunal Federal; 
I-A o Conselho Nacional de Justiça; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 
2004) 
II - o Superior Tribunal de Justiça; 
III - os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais; 
IV - os Tribunais e Juízes do Trabalho; 
V - os Tribunais e Juízes Eleitorais; 
VI - os Tribunais e Juízes Militares; 
VII - os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios. 
 
EMENTA: CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. JUIZADO ESPECIAL E JUÍZO 
FEDERAL DE PRIMEIRA INSTÂNCIA, PERTENCENTES À MESMA SEÇÃO JUDICIÁRIA. 
 Direito Constitucional 
Data: 06.02.2012 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 5 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
Conheça nossa loja online: www.enfaseonline.com.br 
 
 
JULGAMENTO AFETO AO RESPECTIVO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL. 
JULGAMENTO PELO STJ. INADMISSIBILIDADE. RE CONHECIDO E PROVIDO. I. A 
questão central do presente recurso extraordinário consiste em saber a que órgão 
jurisdicional cabe dirimir conflitos de competência entre um Juizado Especial e um 
Juízo de primeiro grau, se ao respectivo Tribunal Regional Federal ou ao Superior 
Tribunal de Justiça. II - A competência do STJ para julgar conflitos dessa natureza 
circunscreve-se àqueles em que estão envolvidos tribunais distintos ou juízes 
vinculados a tribunais diversos (art. 105, I, d, da CF). III - Os juízes de primeira 
instância, tal como aqueles que integram os Juizados Especiais estão vinculados 
ao respectivo Tribunal Regional Federal, ao qual cabe dirimir os conflitos de 
competência que surjam entre eles. IV - Recurso extraordinário conhecido e 
provido. 
(RE 590.409, Relator(a): Min. RICARDO LEWANDOWSKI, Tribunal Pleno, julgado 
em 26/08/2009, REPERCUSSÃO GERAL - MÉRITO DJe-204 DIVULG 28-10-2009 
PUBLIC 29-10-2009 EMENT VOL-02380-07 PP-01403 LEXSTF v. 31, n. 371, 2009, p. 
275-288) 
 
1.4.2. Tribunais Superiores 
Os tribunais superiores são órgãos de convergência, por convergirem em si a 
possibilidade de decidir a respeito de outras decisões judiciais emanadas dos demais 
órgãos distintos. 
O STF também é órgão de convergência, além de ser órgão de superposição, 
assim como o STJ, pois não se ligam a um único ramo do Poder Judiciário. 
 
1.4.2.1. Composição 
a) STF: 11 Ministros. 
b) STJ: 33 Ministros. 
c) TST: 27 Ministros. 
d) TSE: 7 Ministros. 
e) STM: 15 Ministros. 
f) CNJ: 15 Membros. 
 
Observação: A competência para processar e julgar militares estaduais é da 
justiça estadual, podendo o Estado criar um tribunal de justiça militar quando o efetivo 
ultrapassar 20 mil integrantes. 
 Direito Constitucional 
Data: 06.02.2012 
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula 
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros 
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. 
 
 Centro: Rua Buenos Aires, 56 - 2º, 3º e 5º andares \u2013 Tel.: (21) 2223-1327 6 
Barra: Shopping Downtown \u2013 Av. das Américas, 500 - bl. 21, salas 157 e 158 \u2013 Tel.: (21) 2494-1888 
Conheça nossa loja online: www.enfaseonline.com.br 
 
 
 
1.4.2.2. Regra do Quinto Constitucional 
A regra impõe que 1/5 dos membros dos Tribunais devem ser oriundos dentre 
advogados, que contenham 10 anos de carreira, bem como reputação ilibada e 
notório saber jurídico, e membros do MP, com 10 anos de carreira. Note-se que não se 
exige idade mínima. 
Importante destacar que, para o STF, notório saber jurídico não exige 
necessariamente uma formação acadêmica específica. 
O órgão de classe dos advogados e do MP elabora uma lista sêxtupla, enviando-
a ao Tribunal, que a converte em lista tríplice mediante votação, a ser remetida ao 
Chefe do Executivo, que não tem sua escolha vinculada a qualquer critério. 
A jurisprudência entende que, na lista sêxtupla, todos os 6 advogados indicados 
devem preencher os requisitos integralmente, caso contrário, é cabível que o Tribunal 
discorde e devolva a lista determinando o seu refazimento (Vide MS 25.624 - STF). Isto 
serve para evitar manipulação à escolha da lista tríplice. 
EMENTA: I. Mandado de Segurança: processo de escolha de candidatos a cinco 
vagas de Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, correspondente à 
cota no "quinto constitucional" da advocacia: composição de lista sêxtupla pelo 
Tribunal de Justiça que, desprezando a lista sêxtupla específica organizada pelo 
Conselho Seccional da OAB para a primeira das vagas, substituiu os seus 
integrantes por nomes remanescentes das listas indicadas para as vagas 
subseqüentes e, dentre eles, elaborou a lista tríplice: contrariedade ao art. 94 e 
seu parágrafo único da Constituição Federal: declaração de nulidade de ambas as 
listas, sem prejuízo da eventual devolução pelo Tribunal de Justiça à OAB da lista 
sêxtupla apresentada para a vaga, se fundada em razões objetivas de carência, 
por um ou mais dos indicados, dos requisitos constitucionais, para a investidura e 
do controle jurisdicional dessa recusa, acaso rejeitada pela Ordem. II. O "quinto 
constitucional na ordem judiciária constitucional brasileira: fórmula tradicional, a 
partir de 1934 - de livre
Sebastião
Sebastião fez um comentário
muito obrigada pretendo fazer concurso pro STF Analista e vou me prepara para concurso de Juiz federal substituto com o pessoal do Ênfase são muitos bons, investimento certo!
1 aprovações
Carregar mais