Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal
68 pág.

Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal


DisciplinaConcursos129.813 materiais288.760 seguidores
Pré-visualização50 páginas
aos métodos já mencionados, num regime de tendência crescente de 
preços (inflação), os valores do Estoque Final e do CMV serão, respectiva-
mente, os menores e o maiores possíveis. No caso de deflação, ocorrerá o 
inverso, isto é, os valores do Estoque Final estarão superavaliados e do 
CMV estarão subavaliados. No caso de estabilidade econômica de preços, 
os valores seriam os mesmos daqueles apurados por outro método. 
Em um regime inflacionário, em comparação com os métodos de con-
trole de estoque já mencionados, o Lucro pelo método UEPS é o menor 
possível, fazendo com que o Imposto de Renda sobre o lucro também o 
seja. Daí, o Regulamento do Imposto de Renda NÃO PERMITE que as 
empresas no Brasil, que estejam obrigadas a declararem tal imposto com 
base no lucro fiscal, utilizem o método UEPS. 
Resumindo: 
Período Inflacionário: 
PEPS: MAIOR LUCRO, MENOR CMV, MAIOR EF 
UEPS: MENOR LUCRO, MAIOR CMV, MENOR EF 
Obs: o método PEPS, apesar de proporcionar maior lucro em um perí-
odo inflacionário, não é o mais utilizado. O mais recomendável para fins 
gerenciais é o método UEPS , pois os lucros ficam menores, reduzindo 
assim a carga tributável. 
Período Deflacionário: 
PEPS: MENOR LUCRO, MAIOR CMV, MENOR EF 
UEPS: MAIOR LUCRO, MENOR CMV, MAIOR EF 
\u2022 Método do custo médio - Também chamado de Média Ponderada 
Móvel, pois a cada nova aquisição é calculada uma nova média. 
Lucro = Vendas líquidas - CMV 
Fórmula do custo das mercadorias vendidas 
CMV = EI + C - EF 
EI = Estoque inicial, C = Compras, EF = Estoque final 
Rotatividade ou Giro dos Estoques 
A rotatividade ou giro de estoque demonstra quantas vezes, por unida-
de de tempo, o estoque se renovou. Para calcularmos o giro de estoque, é 
necessário possuirmos o valor do custo das vendas e dividirmos pelo valor 
do estoque: 
Rotatividade = Custo das mercadorias vendidas / estoque médio 
Rot. = CMV (fórmula utilizada por poucos autores) / estq. Final 
Também pode ser obtida através da relação existente entre o consumo 
do período e o estoque médio do produto. 
Exemplo: O consumo anual de um item foi de 800 unidades e o esto-
que médio de 100 unidades. O giro seria: 
Rotatividade = Custo médio do período / estoque médio 
R = 800 unid/ano / 100 unidades = 8 vezes / ano 
A rotatividade é expressa no inverso de unidades de tempo ou em \u201cve-
zes\u201d, isto é \u201cvezes\u201d por dia, ou por mês, ou por ano. 
Antigiro - Indica quantos meses de consumo equivale ao estoque mé-
dio. 
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos 
Administração de Recursos Materiais A Opção Certa Para a Sua Realização 14 
Antigiro = estoque médio / rotação 
Exemplo: Um item que tem um estoque de 3.000 unidades é consumi-
do a uma taxa de 2.000 unidades por mês. Quantos meses o estoque cobre 
a taxa de consumo? 
Antigiro = 3.000 / 2000 = 1,5 mês 
Prazo médio em dias (Cobertura de Estoques) - Indica o número de 
unidades de tempo que o estoque médio será suficiente para cobrir a 
demanda média. 
Prazo médio em dias = nº de dias do período / rotação 
O grande mérito do índice de rotatividade do estoque é que ele repre-
senta um parâmetro fácil para a comparação de estoques, entre empresas 
do mesmo ramo de atividade e entre classes de material do estoque. 
Para fins de controle deve-se determinar a taxa de rotatividade ade-
quada à empresa e então compará-la com a taxa real. É bastante reco-
mendável ao determinar o padrão de rotatividade, estabelecer um índice 
para cada grupo de materiais que corresponda a uma mesma faixa de 
preço ou consumo. 
Acurácia dos Controles - Mede a porcentagem de itens corretos tanto 
em quantidade quanto em valor, ou seja: 
Acurácia = nº de itens corretos / nº total de itens ou 
Acurácia = valor de itens corretos / valor total de itens 
Nível de serviço ou Nível de atendimento - Indica quão eficaz foi o 
estoque para atender às solicitações dos usuários: 
Nível de serviço = nº de requisições atendidas / nº de requisições efe-
tuadas 
Tipos de Estoques 
Existem diversos tipos de estoques que são estocados em diversos 
almoxarifados os quais mencionamos as principais categorias : 
1) Almoxarifados de matérias-primas: 
- Materiais diretos: são aqueles que entram diretamente na elaboração 
e transformação dos produtos, ou seja, todos os materiais que se agregam 
ao produto, fazendo parte integrante de seu estado. Podem também ser 
itens comprados prontos ou já processados por outra unidade ou empresa. 
- Materiais indiretos (auxiliares) : são aqueles que ajudam na elabora-
ção, execução e transformação do produto, porém diferenciam dos anterio-
res pois não se agregam a ele, mas são imprescindíveis no processo de 
fabricação. 
2) Almoxarifados de produtos em processos (intermediários) : são os 
itens que entraram no processo produtivo, mas ainda não são produtos 
acabados. 
3) Almoxarifado de produtos acabados: é o local dos produtos prontos 
e embalados os quais serão distribuídos aos clientes. O seu planejamento 
e controle é de suma importância tendo em vista que o não giro do mesmo 
irá onerar o custo do produto, além de forte injeção á obsolescência. 
4) Almoxarifado de manutenção: é o local onde estão as peças de re-
posição,apoio e manutenção dos equipamentos e edifícios ou ainda os 
materiais de escritório \u201cpapel e caneta\u201d usados na empresa. 
Obs: Os estoques de produtos acabados matérias-primas e material 
em processo não podem ser vistos como independentes. Quaisquer que 
forem as decisões sobre um dos tipos de estoque, elas terão influência 
sobre os outros tipos de estoques. Esta regra às vezes é esquecida nas 
estruturas de organização mais tradicionais e conservadoras. 
Classificação 
Sem o estoque de certas quantidades de materiais que atendam regu-
larmente às necessidades dos vários setores da organização, não se pode 
garantir um bom funcionamento e um padrão de atendimento desejável. 
Estes materiais, necessários à manutenção, aos serviços administrati-
vos e à produção de bens e serviços, formam grupos ou classes que co-
mumente constituem a classificação de materiais. Estes grupos recebem 
denominação de acordo com o serviço a que se destinam (manutenção, 
limpeza, etc.), ou à natureza dos materiais que neles são relacionados 
(tintas, ferragens, etc.), ou do tipo de demanda, estocagem, etc. 
Classificar um material então é agrupá-lo segundo sua forma, dimen-
são, peso, tipo, uso etc. A classificação não deve gerar confusão, ou seja, 
um produto não poderá ser classificado de modo que seja confundido com 
outro, mesmo sendo semelhante. A classificação, ainda, deve ser feita de 
maneira que cada gênero de material ocupe seu respectivo local. Por 
exemplo: produtos químicos poderão estragar produtos alimentícios se 
estiverem próximos entre si. Classificar material, em outras palavras, 
significa ordená-lo segundo critérios adotados, agrupando-o de acordo 
com a semelhança, sem, contudo, causar confusão ou dispersão no espaço 
e alteração na qualidade. 
Objetivo da Classificação 
O objetivo da classificação de materiais é definir uma catalogação, 
simplificação, especificação, normalização, padronização e codificação de 
todos os materiais componentes do estoque da empresa. 
Importância da Classificação 
O sistema de classificação é primordial para qualquer Departamento de 
Materiais, pois sem ele não poderia existir um controle eficiente dos esto-
ques, armazenagem adequada e funcionamento correto do almoxarifado. 
Critérios de Classificação 
Entre outros, costuma-se dividir os materiais segundo os seguintes cri-
térios: 
1 - Quanto À Sua Estocagem 
a) Materiais estocáveis 
São materiais que devem existir em estoque e para os quais serão de-
terminados critérios de ressuprimento, de acordo com a previsão de con-
sumo. 
b) Materiais