Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal
68 pág.

Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal


DisciplinaConcursos129.813 materiais288.760 seguidores
Pré-visualização50 páginas
As principais técnicas de 
estocagem são: 
\u2022 Carga unitária: Embalagens de transporte (\u201cpallets\u201d) arranjam uma 
certa quantidade de material (como se fosse uma unidade), facilitando o 
manuseio, transporte e armazenagem, economizando tempo de armazena-
gem, carga e descarga, esforço, mão-de-obra e área; A formação de carga 
unitária se através de pallets. Pallet é um estrado de madeira padronizado, 
de diversas dimensões. Suas medidas convencionais básicas são 1.100mm 
x 1.100mm, como padrão internacional para se adequar aos diversos meios 
de transportes e armazenagem; 
\u2022 Caixas ou gavetas: Ideal para materiais de pequenas dimensões, co-
mo parafusos, arruelas, material de escritório, etc, até na própria seção de 
produção; Os tamanhos e materiais utilizados na sua construção serão os 
mais variados em função das necessidades específicas de cada atividade. 
\u2022 Prateleiras: Destinadas a materiais de tamanhos diversos e para o 
apoio de gavetas ou caixas. Adequadas para peças pequenas e leves e 
quando o estoque não é muito grande. Constitui o sistema mais simples e 
econômico. 
\u2022 Raques: Para peças longas e estreitas (como tubos, barras, tiras, 
vergalhões e feixes). Podem ser montados em rodízios, para facilitar o 
deslocamento; 
\u2022 Empilhamento: Uma variante das caixas, para aproveitar ao máximo o 
espaço vertical, reduzindo a necessidade de divisões nas prateleiras (for-
mando uma única prateleira) e facilitando a utilização das empilhadeiras. As 
caixas ou pallets são empilhados uns sobre os outros, obedecendo a uma 
distribuição quantitativa; 
\u2022 Container flexível: É uma das técnicas mais recentes, utilizada para 
sólidos a granel e líquidos em sacos. É uma espécie de saco feito com 
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos 
Administração de Recursos Materiais A Opção Certa Para a Sua Realização 24 
tecido resistente e borracha vulcanizada, com um revestimento interno 
conforme o uso. 
Arranjo Físico - Layout 
Planejar o arranjo físico de uma certa instalação significa tomar deci-
sões sobre a forma como serão dispostos, nessa instalação, os centros de 
trabalho que aí devem permanecer. Pode-se conceituar como centro de 
trabalho a qualquer coisa que ocupe espaço: um departamento, uma sala, 
uma pessoa ou grupo de pessoas, máquinas, equipamentos, bancadas e 
estações de trabalho, etc. Em todo o planejamento de arranjo físico, irá 
existir sempre uma preocupação básica: tornar mais fácil e suave o movi-
mento do trabalho através do sistema, quer esse movimento se refira ao 
fluxo de pessoas ou de materiais. 
Podemos citar em princípio três motivos que tornam importantes as de-
cisões sobre arranjo físico: 
a) elas afetam a capacidade da instalação e a produtividade das ope-
rações: uma mudança adequada no arranjo físico pode muitas vezes au-
mentar a produção que se processa dentro da instalação no fluxo de pes-
soas e/ou materiais; 
b) mudanças no arranjo físico podem implicar no dispêndio de conside-
ráveis somas de dinheiro, dependendo da área afetada e das alterações 
físicas necessárias nas instalações, entre outros fatores; 
c) as mudanças podem apresentar elevados custos e dificuldades téc-
nicas para futuras reversões; podem ainda causar interrupções indesejá-
veis no trabalho. 
Por todos esses motivos, poderia à primeira vista parecer que um ar-
ranjo físico, uma vez estabelecido, é quase imutável e se aplica prioritaria-
mente a novas instalações. Isso não é verdade, entretanto, diversos fatores 
podem conduzir a algumas mudanças em instalações já existentes: 
\u2022 a ineficiência de operações, 
\u2022 taxas altas de acidentes, 
\u2022 mudanças no produto ou no serviço ao cliente, 
\u2022 mudanças no volume de produção ou fluxo de clientes. 
Num esforço de sistematização, costuma-se agrupar os arranjos físicos 
possíveis em três grandes tipos: 
- Arranjo físico linear (por produto): corresponde ao sistema de produ-
ção contínua (como linha de montagem); 
é utilizado para fabricação de grandes quantidades de um só produto, 
ou produtos padronizados. 
- Arranjo físico funcional (por processo): corresponde ao sistema de 
produção de fluxo intermitente (como a produção por lotes ou encomen-
das); é utilizado apara fabricação de pequenas quantidades e produção 
flexivel: vários tipos e estilos. 
- Arranjo físico de posição fixa: corresponde ao sistema de produção 
em projetos. 
Localização de Materiais 
\u2022 Sistema de estocagem fixo (centralizado) 
\u2022 Sistema de estocagem livre (descentralizado) 
Centralizado 
Estocagem em um único local 
Facilita o planejamento da produção, o inventário e o controle. 
Pode ocorrer desperdício de área de armazenamento 
Descentralizado 
Não existem locais fixos, estocagem junto aos pontos de utilização. 
A entrega e o inventário são mais rápidos, o trabalho com o fichário e 
documentação é menor 
Risco de possuir material perdido em estoque 
Inventário Físico 
É a verificação da existência dos materiais da empresa, através de um 
levantamento físico de contagem, para confrontação com os estoques 
registrados nas fichas, efetuado periodicamente, para efeito de balanço 
contábil físico e financeiro do almoxarifado, seções, depósitos e de toda a 
empresa, atendendo a exigência fiscal da legislação. 
1 - Levantamento 
\u2022 Os inventariantes são escolhidos e agrupados em duas equipes: \u201cde 
contagem\u201d (ou \u201cde reconhecimento\u201d) e \u201crevisora\u201d (ou de revisão); 
\u2022 Devem ser agrupados os itens iguais, identificados com os cartões e 
isolados os que não serão inventariados. 
2 - Contagem 
1) Cada item é contado duas vezes; 
2) A primeira contagem é feita pela \u201cequipe recolhedora\u201d, que fixará o 
cartão de inventário em cada item, anotando a quantidade da contagem no 
destaque do \u201ccartão de inventário\u201d; 
3) A Segunda contagem é feita pela \u201cequipe revisora\u201d. 
Obs: Todos os registros de movimentações de estoque devem ser atu-
alizados até a data do inventário, quando deverão ser suspensas para 
evitar erros. 
3 - Apuração 
O coordenador do inventário deverá conferir ambas as contagens. Se 
positivo, o inventário para o item está correto, se não deverá haver uma 
terceira contagem por outra equipe diferente. 
4 - Conciliação 
Em caso de divergências, os responsáveis pelo controle do estoque 
deverão justificar as diferenças entre o estoque contábil e inventariado, 
através de relatório. 
Objetivos do Armazenamento 
O avanço tecnológico proporcionou a otimização de uma série de pro-
cessos e rotinas das organizações. 
Na área de armazenagem, introduziram-se novos métodos de raciona-
lização e fluxos de distribuição de produtos, estendendo as melhorias à 
adequação das instalações e utilização de novos equipamentos para mo-
vimentar cargas. A prática do armazenamento visa utilizar o espaço nas 
três dimensões, da maneira mais eficiente possível. Logo, as instalações 
devem proporcionar rápida movimentação de materiais, de maneira fácil e 
prática. 
Cuidados essenciais para o armazenamento 
1. Determinação do local; 
2. Definição adequada do layout; 
3. Definição de uma política de preservação, com embalagens conve-
nientes aos materiais; 
4. Ordem, arrumação e limpeza, de forma constante; 
5. Segurança patrimonial contra furtos, incêndios, etc. 
Resultados da otimização do armazenamento 
1. Máxima utilização do espaço; 
2. Efetiva utilização dos recursos disponíveis; 
3. Pronto acesso a todos os itens (seletividade); 
4. Máxima proteção aos itens estocados; 
5. Boa organização; 
6. Satisfação das necessidades dos clientes. 
Tipos de armazenamento 
O esquema de armazenagem escolhido por uma empresa depende da 
situação geográfica de suas instalações, da natureza de seus estoques, 
tamanho e respectivo valor. A disposição dos materiais deve se enquadrar 
em uma das alternativas que melhor