Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal
68 pág.

Apostila Administração de Materiais concurso Polícia Federal


DisciplinaConcursos129.844 materiais288.930 seguidores
Pré-visualização50 páginas
descarte e a reciclagem? 
A embalagem proporciona a proteção necessária ao produto durante o 
processo de armazenagem, assegurando sua integridade, pode proporcio-
nar melhor utilização do espaço nos armazéns, e facilitar a identificação e 
separação dos produtos, evitando retrabalho com correções. 
Na definição do tipo de transporte deve-se verificar o ambiente ao qual 
os produtos serão submetidos, cada modal tem características próprias, 
que exigem cuidados específicos. Os maiores riscos durante o processo de 
transporte são: alterações clima, impactos com aceleração, vibrações, 
choque, umidade. Além das condições é necessário conhecer as limitações 
de cada modal quanto a peso e dimensões. 
Principais Tipos de Embalagens 
Caixa de papelão - representa uma grande economia para a empresa 
em relação à madeira e a outros materiais tradicionais de embalagem. 
As principais vantagens são as seguintes: 
- elimina o espaço ocupado pelas caixas de madeira 
- é rápida a selagem da caixa de papelão 
- é muito mais leve o que facilita o manuseio, reduz os acidentes à 
mão-de-obra e diminui o frete. 
- a violação é facilmente percebida; não estraga as demais caixas do 
mesmo carregamento. 
- maior resistência aos choques; mais limpa; faz propaganda do produ-
to. 
Tambores 
- muito utilizado para produtos líquidos, sólidos, pastosos, em pó, gra-
nulados, etc. 
- muito resistente 
- fácil recuperação 
Fardos 
- é a redução de volume conseguida com a utilização de prensas que 
comprimem a mercadoria 
- muito utilizado para fibras vegetais, como algodão, sisal, bucha; pro-
dutos de origem animal, como lã, pêlos; produtos transformados, como 
borracha sintética, retalhos ferro, 
- além de resíduos de diversos materiais, como bagaço de cana, apa-
ras de papel. 
Distribuição e Transportes 
O transporte é uma das principais funções logísticas. Além de repre-
sentar a maior parcela dos custos logísticos na maioria das organizações, 
tem papel fundamental no desempenho de diversas dimensões do Serviço 
ao Cliente. Do ponto de vista de custos, representa, em média, cerca de 
60% das despesas logísticas, o que, em alguns casos, pode significar duas 
ou três vezes o lucro de uma companhia, como é o caso, por exemplo, do 
setor de distribuição de combustíveis. 
As principais funções do transporte na Logística estão ligadas basica-
mente às dimensões de tempo e utilidade de lugar. Desde os primórdios, o 
transporte de mercadorias tem sido utilizado para disponibilizar produtos 
onde existe demanda potencial, dentro do prazo adequado às necessida-
des do comprador. Mesmo com o avanço de tecnologias que permitem a 
troca de informações em tempo real, o transporte continua sendo funda-
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos 
Administração de Recursos Materiais A Opção Certa Para a Sua Realização 26 
mental para que seja atingido o objetivo logístico, que é o produto certo, na 
quantidade certa, na hora certa, no lugar certo ao menor custo possível. 
Muitas empresas brasileiras vêm buscando atingir tal objetivo em suas 
operações. Com isso, vislumbra na Logística, e mais especificamente na 
função transporte, uma forma de obter diferencial competitivo. 
Entre as iniciativas para aprimorar as atividades de transporte, desta-
cam-se os investimentos realizados em tecnologia de informação, os quais 
objetivam fornecer às empresas melhor planejamento e controle da opera-
ção, assim como a busca por soluções intermodais que possibilitem uma 
redução significativa nos custos. 
O impacto do transporte no Serviço ao cliente é um dos mais significa-
tivos, e as principais exigências do mercado geralmente estão ligadas à 
pontualidade do serviço (além do próprio tempo de viagem), à capacidade 
de prover um serviço porta a porta, à flexibilidade, no que diz respeito ao 
manuseio de uma grande variedade de produtos, ao gerenciamento dos 
riscos associados a roubos, danos e avarias e à capacidade de o transpor-
tador oferecer mais que um serviço básico de transporte, tornando-se 
capaz de executar outras funções logísticas. As respostas para cada uma 
dessas exigências estão vinculadas ao desempenho e às características de 
cada modal de transporte, tanto no que diz respeito a suas estruturas, 
quanto a sua estrutura de custos. 
Classificação dos modais de transporte 
São basicamente cinco os modais de transporte de cargas; rodoviário, 
ferroviário, aquaviário, dutoviário e aéreo. Cada um possui custos e carac-
terísticas operacionais próprias, que os tornam mais adequados para certos 
tipos de operações e produtos. Os critérios para escolha de modais devem 
sempre levar em consideração aspectos de custos por um lado, e caracte-
rísticas de serviços por outro. Em geral, quanto maior o desempenho em 
serviços, maior tende a ser o custo do mesmo. 
Logística 
No clima econômico rigoroso de hoje, em que os mercados em expan-
são são poucos em que os novos concorrentes globais estão acirrando a 
competitividade, os negócios passaram inevitavelmente a enfatizar, como 
ponto central, as estratégias que estabelecem uma lealdade de longo prazo 
com o cliente. 
O reconhecimento de que o relacionamento com o cliente é a chave 
para os lucros à longo prazo trouxe consigo a compreensão da importância 
crucial de estabelecer um serviço diferenciado ao cliente. Como os merca-
dos apresentam cada vez mais características do alto consumo, em que os 
clientes vêem pouca diferença entre as características físicas ou funcionais 
do produto, há vários produtos similares, é através da prestação especial 
de serviços, que cada organização faz a sua diferença. 
Um serviço eficaz ao cliente não se consegue somente através de em-
pregados motivados embora isso seja um pré-requisito, mas por meio dos 
sistemas logísticos que permitam a entrega do produto dentro dos padrões 
exigidos pelo cliente. 
Evolução histórica da logística 
A palavra logística derivada do grego (\u201clogos = razão\u201d) significa \u201ca arte 
de calcular\u201d ou \u201ca manipulação dos detalhes de uma operação\u201d. Na área 
militar, a palavra logística representa a aquisição, manutenção, transporte 
de materiais e de pessoal. 
Na história antiga o primeiro relato que existe da construção dos pri-
meiros armazéns datam de 1800 A.C., onde José ao interpretar um sonho 
que o rei teve, no qual haveria sete anos de abundância, seguidos por sete 
anos de fome em todo país; José começou a construir e estocar um quinto 
da colheita de cada ano em armazéns e celeiros, em cada cidade do Egito; 
e o país sobreviveu, nos anos de fome, através de bons planejamentos e 
distribuição. 
Em 1991, o mundo presenciou um exemplo dramático da importância 
da logística. Como precedente da guerra do Golfo, os Estados Unidos e 
seus aliados tiveram que deslocar grandes quantias de materiais a grandes 
distâncias, em que se pensava um tempo extremamente curto. Meio milhão 
de pessoas e mais meio milhão de materiais e suprimentos tiveram de ser 
transportadas por 12.000 quilômetros por via aérea, mais 2,3 milhões de 
toneladas de equipamentos transportados por mar, tudo isso feito em 
questão de meses. 
Ao longo da história do homem, as guerras têm sido ganhas e perdidas 
através do poder da logística ou da falta dela. Argumenta-se que a derrota 
da Inglaterra na guerra da independência dos Estados Unidos pode ser, em 
grande parte, atribuída a falta de logística. 
O exército britânico na América dependia quase que totalmente da In-
glaterra para os suprimentos. No auge da guerra, havia 12.000 soldados no 
ultramar e grande parte dos equipamentos e da alimentação partia da 
Inglaterra. Durante os primeiros seis anos de guerra, a administração 
destes suprimentos vitais foi totalmente inadequada, afetando o curso das 
operações e a moral das tropas.