Fundamentos e estrutura do cooperativismo
102 pág.

Fundamentos e estrutura do cooperativismo


DisciplinaAdministração139.266 materiais987.164 seguidores
Pré-visualização23 páginas
de incentivo e fomento ao
cooperativismo nas diversas áreas. A autogestão cooperativa também está acompanhada
da importância dos mecanismos e órgãos de representação do cooperativismo brasileiro, na
defesa dos interesses, da transparência, da ética e da qualificação da autogestão e do
autocontrole cooperativo.
EaD Pedro Luís Bü tten bend er
100
Para finalizar, lembramos que a boa prática do cooperativismo, evitando que o mesmo
passe a atender objetivos distintos dos associados que a constituem, renova a importância
do fortalecimento do sistema cooperativo, em todos os seus níveis de representação, via
organizações e federações estaduais e nacionais do cooperativismo. Sendo assim, espera-
mos que este livro tenha lhe fornecido os instrumentos que poderão elucidar muitas ques-
tões, como a estrutura e a organização do cooperativismo, e a gestão, controle e legislação
cooperativa, temas estes que são perpassados pela governabilidade, ética e liderança, que
estudamos na primeira unidade.
Como já mencionamos, porém, outras leituras são necessárias, bem como a observa-
ção e o estudo de casos reais que possam ampliar sua percepção e conhecimento sobre os
fundamentos e a estrutura do cooperativismo.
EaD
101
FUNDAMENTOS E ESTRUTURA DO COOPERATIVISMO
ReferênciasReferênciasReferênciasReferências
AGUDO, J. Dias. Cooperação e cooperadores. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.
BERNARDI, Maria Amália. A melhor empresa: como as empresas de sucesso atraem e man-
têm quem faz a diferença. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsiever, 2003.
BOYETT, Joseph H.; BOYETT, Jimmie T. O guia dos gurus: os melhores conceitos e práticas
de negócios. Rio de Janeiro: Campus, 1999.
BRASIL. Lei do Cooperativismo: Lei 5764/1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo,
institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Disponível
em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/leis/L5764.htm>. Acesso em: 15 ago. 2008.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: <http://
www.senado.gov.br/sf/legislacao/const/>. Acesso em: 15 ago. 2008.
BÜTTENBENDER, Pedro Luís. Estratégias, inovação e aprendizagem organizacional coope-
ração e gestão de competências para o desenvolvimento. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 2008. p. 180. V. 1.
BÜTTENBENDER, Pedro Luís. O cooperativismo e o desenvolvimento regional: estudo so-
bre as contribuições das cooperativas e das associações no desenvolvimento da região da
Grande Santa Rosa. Perspectiva Econômica, São Leopoldo, RS: Unisinos, vol. 29, n. 86, p.
99-142, 1995. (Série Cooperativismo, n. 36).
BÜTTENBENDER, Pedro Luís. Influência do cooperativismo e associativismo no desenvol-
vimento da região do Grande Santa Rosa. Perspectiva Econômica, São Leopoldo, RS: Edito-
ra Unisinos, n. 36, p. 99-142, 1995.
COVEY, Steven R. Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes. São Paulo. Ed. Best Seller,
1990.
FAYOL, Henry. Administração industrial e geral. São Paulo: Ed. Atlas, 1990.
GIDDENS, A. Consecuencias de la modernidad. Madrid: Alianza Editorial, 2004.
GIDDENS, Anthony. O mundo em descontrole \u2013 o que a globalização está fazendo de nós. 4.
ed. Rio de Janeiro: Record, 2005.
EaD Pedro Luís Bü tten bend er
102
HOLANDA, Aurélio B. de. Dicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: Ed. Positivo, 2007.
MAXIMIANO, Antônio César Amaru. Teoria geral da Administração: da escola científica à
competitividade em economia globalizada. São Paulo: Atlas, 1997.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Manual de gestão das cooperativas: uma aborda-
gem prática. São Paulo, Atlas, 2006.
PIAGET, Jean. Psicologia e epistemologia: por uma teoria do conhecimento Rio de Janeiro:
Forense, 1973.
QUINTELLA, H. L. M. M.; BRUNO, J. R. Leadership and successful performance in mutual
credit coops In: BALAS \u2013 Business Association of Latin American Studies. Tampa: Balas 2002
University of Tampa, 2002.
RAY, Michael; RINZLER, Alan (Orgs.). O novo paradigma nos negócios: estratégias emer-
gentes para liderança e mudança organizacional. São Paulo: Cultrix, 1997.
RHINESMITH, S. H. Guia gerencial para a globalização. Rio de Janeiro: Berckley. 1993.
ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. LTC, 1998.
SCHNEIDER, José Odelso. Democracia, participação e autonomia cooperativa. São Leopoldo,
RS: Unisinos, 1991.
SOUSA SANTOS, Boaventura de. Produzir para viver: os caminhos da produção não capita-
lista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
VELASQUES, Marcelo G. Liderança: um modelo para a diferenciação empresarial no atual
ambiente competitivo da região Noroeste do RS. Santa Rosa: Ed. Unijuí, 2005. (Relatório
de Estágio Superivisionado II, Curso de Administração da Unijuí).