A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
155 pág.
FUNDAMENTOS DE METEOROLOGIA

Pré-visualização | Página 7 de 11

a sua espessura. 
2.1. A mesma camada nos pólos, com temperatura media 
de -40oC. Encontre a sua espessura. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. IV: TERMODINAMICA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
ESTABILIDADE ATMOSFÉRICA 
Se uma parcela de ar em contacto com o ambiente: 
 Ao subir, ou descendo, sua temperatura mantêm-se 
igual a do ambiente circundante, temos uma atmosfera 
neutra. 
C = C‟ 
A = A‟ 
B = B‟ 
T 
Z 
TB = TB‟ 
TA = TA‟ 
TC = TC‟ ZC‟ = ZC 
ZA‟ = ZA 
ZB‟ = ZB 
TB = TB‟ 
 
TA = TA‟ 
 
TB = TC‟ 
 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. IV: TERMODINAMICA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
ESTABILIDADE ATMOSFÉRICA 
T 
Z 
TB < TB‟ 
TA = TA‟ 
TC > TC‟ ZC‟ = ZC 
ZA‟ = ZA 
ZB‟ = ZB 
C C‟ 
A = A‟ 
B‟ B 
TC‟ TB‟ TC TA TB 
Atmosfera instável: TB < TB‟; ρB > ρB‟. 
A parcela precisa de um empuxo para continuar a subir. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. IV: TERMODINAMICA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
ESTABILIDADE ATMOSFÉRICA 
C C‟ 
A = A‟ 
B‟ B 
T 
Z 
TB< TB‟ 
TA =TA‟ 
TC < TC‟ ZC‟ = ZC 
ZA‟ = ZA 
ZB‟ = ZB 
TC‟ TB‟ TC TA = TA‟ TB 
Atmosfera Estável; 
TB‟ < TB – a parcela ao subir a sua temperatura diminui com altitude 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. IV: TERMODINAMICA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
ESTABILIDADE ATMOSFÉRICA 
Se uma parcela de “ar”, apresenta a sua temperatura 
varia adiabaticamente de tal maneira que: 
 Ao subir, torna-se mais fria que o ambiente (e 
portanto mais densa); e 
 Ao descer, torna-se mais quente que o ambiente 
(portanto menos densa); 
 A tendência e voltar ao nível de equilíbrio (posição 
inicial), caracterizando uma ATMOSFERA 
ESTÁVEL. 
 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. IV: TERMODINAMICA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
Se representarmos o perfil da temperatura do ar (medido 
por uma radiossonda) como: 
 
 
 
Estabelecem-se os seguintes critérios de estabilidade: 
 
 
 
 

dz
dT








d
d
d
 ……………. Atmosfera estável 
 ……………. Atmosfera instável 
 ……………. Atmosfera neutra 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
Aqui faz maior sentido falar dos 
processos de evaporação e 
condensação. 
 
5.1. Evaporação 
Dado um recipiente, parcialmente 
cheio de agua e inicialmente com 
vácuo encima; 
Estão representadas algumas 
moléculas na superfície livre da agua e 
outras no interior do liquido, se 
movendo aleatoriamente em todas 
direcções, com velocidades diferentes. 
1 
2 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.1. Evaporação (cont.) 
Verifica-se: 
Eventualmente uma molécula no seio do liquido tem componente de 
velocidade perpendicular a superfície livre da agua e colide com uma das 
moléculas da superfície; 
A molécula incidente transmite “momento linear” a molécula da 
superfície, esta por sua vez escapa para fora do liquido (passando a se 
mover no espaço livre) – EVAPORACAO; 
 Evaporação – e a passagem das moléculas do estado liquido para o 
gasoso. 
Muitas moléculas do interior, vão colidir com as da superfície livre e, 
passado algum tempo: 
Algumas moléculas da agua estarão se movendo acima da superfície; 
Por sua vez estas colidem entre si, resultando num gás de moléculas livres 
movendo-se aleatoriamente acima da superfície livre. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.1. Evaporação (cont.) 
Verifica-se: 
Algumas destas moléculas, possuindo uma componente de velocidade 
dirigida para a superfície da agua, vão acabar retornando ao recipiente – 
CONDENSACAO; 
Enquanto algumas moléculas passao para o estado gasoso, outras voltam 
para o liquido; 
**TAXA DE EVAPORACAO LIQUIDA = TAXA DE SAIDA – TAXA DE RETORNO 
i) Taxa de saída: 
 Depende da temperatura do liquido. Quanto mais quente o liquido, maior e a agitação 
das moléculas e logo maior probabilidade de colisões. Como resultado, vai aumentar a taxa 
de saída das moléculas por unidade de tempo será maior. 
Se a taxa de saída das moléculas (para gasoso) for maior , a taxa de retorno (para o 
liquido) por unidade de tempo será também menor. 
A evaporação liquida e maior no inicio do processo e vai diminuindo com o aumento das 
moléculas do gás, ate se atingir o equilíbrio dinâmico. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.1. Evaporação (cont.) 
Equilíbrio dinâmico: 
TAXA DE SAIDA = TAXA DE RETORNO 
A pressão exercida pelo vapor no equilíbrio dinâmico equivale a máxima pressão de 
vapor possível, isto e, Pressão de Vapor de Saturação (es); 
Esta depende da temperatura (T); 
Se T do liquido aumentar, a agitação das moléculas aumenta, 
maior taxa de saída; 
Para restabelecer o equilíbrio, será necessário: 
um numero maior de moléculas no gás; aumentando a pressão de 
saturação. 
O contrario ocorre se o liquido esfriar. Caso o espaço acima do 
liquido contiver ar inicialmente, o processo seria semelhante, 
havendo pouca variação no valores taxa de evaporação e de es. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.1. Evaporação (cont.) 
Equilíbrio Dinâmico: 
A evaporação liquida ocorre se e < es , se houver agua liquida e 
também suprimento (elevação) de calor; 
Caso não haja suprimento de calor, o processo de evaporação 
retira o calor da própria agua, e esta naturalmente vai se resfriar. 
Se for introduzido mais vapor de agua no ar, o excesso será 
condensado na forma de agua na superfície livre da agua ou sobre 
uma superfície sólida em forma de gotas suspensas no ar, ate que 
“e” seja igual a “es” de novo; 
Também e possível condicionar a condensação do vapor 
baixando a temperatura. (Ler mais………………!) 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.2. Orvalho e Neblina 
Suponha-se está-se sob presença do “ar húmido” a temperatura de 
16oC e com a pressão de vapor, e = 12,3mb. A essa temperatura, a 
pressão de vapor de saturação e de 18,3mb. 
Isto significa que: 
O ar não esta saturado (e < es); 
Porem, se a temperatura (T) diminuir sem alterar a quantidade de 
vapor, a pressão não vai se alterar; e quando atingir o valor de 10oC, 
o ar terá exactamente a quantidade de vapor correspondente a 
saturação. 
Uma diminuição posterior de T, poderá fazer condensar parte do 
vapor. Este e o processo que ocorre na formação do Orvalho e 
Neblina; 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. V: Vapor de Agua na Atmosfera 
CAP. I 
5.2. Orvalho e Neblina (cont.) 
Na formação do Orvalho, verifica-se o seguinte: 
Durante a noite, a superfície do solo ou das plantas esfria, devido a 
perda de energia por emissão