Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná
2021 pág.

Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná


DisciplinaDireito Processual Civil I45.863 materiais807.986 seguidores
Pré-visualização50 páginas
não possui legitimidade para discutir em juízo a validade da cobrança de contri-
buições previdenciárias incidentes sobre a folha de pagamento dos exercentes 
de mandato eletivo, uma vez que desprovida de personalidade jurídica, cabendo 
ao Município figurar no pólo ativo da referida demanda.\u201c (REsp 696.561/RN, Rel. 
Min. Luiz Fux, DJ de 24/10/2005). No mesmo sentido: AgRg no REsp 1299469/
AL, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, Segunda Turma, DJe 10.4.2012). 2. Des-
se modo, \u201ea Câmara de Vereadores não possui personalidade jurídica autônoma 
que lhe permita figurar no pólo passivo da obrigação tributária ou ser demanda-
da em razão dessas obrigações. Sujeito passivo da contribuição previdenci-
ária incidente sobre remuneração de membros da Câmara Municipal é o Mu-
nicípio, pessoa jurídica de direito público.\u201c (Precedente: REsp n. 573129/PB, DJ 
de 04.09.2006, Primeira Turma, Rel. Min. Teori Albino Zavascki). 3. O princípio da 
separação dos poderes e o da autonomia financeira e administrativa não podem 
eximir o Município de responsabilidades assumidas por seus órgãos\u201d. (STJ. 2T. 
AgRg no REsp 1303395/PE. Rel. Min. Humberto Martins. J. 21/06/2012)
Câmara municipal
\u201cem nossa organização jurídica, as Câmaras Municipais não têm personalidade 
jurídica. Têm elas, apenas, personalidade judiciária, cuja capacidade processu-
al é limitada para demandar em juízo, com o intuito único de defender direitos 
institucionais próprios e vinculados à sua independência e funcionamento; é do 
Município a legitimidade, e não da Câmara de Vereadores, para figurar no pólo 
ativo da ação ajuizada, in casu, com o fito de que sejam devolvidas as importân-
cias pagas a título de contribuições previdenciárias sobre a folha de salários, 
no que toca às remunerações dos ocupantes de cargos eletivos (vereadores), 
assim como que não sejam feitas novas cobranças para o recolhimento no pa-
gamento dos agentes políticos referenciados; a relação processual se estabe-
lece entre os ocupantes dos cargos eletivos e o Município; Precedentes mais 
recentes: REsp 649.824/RN, Rel. Min. Eliana Calmon, DJ de 30/05/2006 e REsp 
696.561/RN, Rel. Min. Luiz Fux, DJ de 24/10/2005.\u201d (STJ. 1T. REsp 946.676/CE. 
Artigo 12Kleber Cazzaro
64
Rel. Min. José Delgado. J. 23/10/2007)
Espólio
\u201cEncerrado o inventário, com a homologação da partilha, esgota-se a legitimida-
de do espólio, momento em que finda a representação conferida ao inventarian-
te pelo artigo 12, V, do Código de Processo Civil. Dessa forma, é necessário que 
o Juiz possibilite, aos herdeiros, sua habilitação, em prazo razoável, para fins de 
regularização da substituição processual, por força dos princípios da celeridade 
e da economia processual.\u201d (STJ. 3T. REsp 1162398/SP. Rel. Min. Massami Uye-
da. J. 20/09/2011)
Empresa falida 
\u201cUma vez noticiada a falência da empresa apelante, só o seu administrador judi-
cial tem legitimidade para propor a presente ação, nos termos do art. 12, III, do 
CPC combinado com o parágrafo único, do art. 76 da lei 11.101/05\u201d. (TJPR. 13ª 
CC. AC 941211-7. Rel.: Fernando Wolff Filho. J. 12.12.2012)
Fundo de investimento
\u201cEmbora a Lei 8668/1993 disponha que os fundos de investimento não possuem 
personalidade jurídica, tais entes despersonalizados podem figurar no pólo ati-
vo de demanda, desde que devidamente representados, eis que detentores de 
capacidade postulatória\u201d. (TJPR. 15ª CC. AI 1013462-6. Rel.: Jucimar Novochad-
lo. J. 15.05.2013)
Inventariante dativo
\u201eNo caso de inventariante dativo, o legislador entendeu que não haveria legitimi-
dade para representação plena do espólio, razão pela qual todos os herdeiros 
e sucessores são chamados a compor a lide.\u201c (TJPR. 7ª CC. AI 785629-3. Rel.: 
Antenor Demeterco Júnior. J. 13.12.2011)
Espólio
\u201cDiante da regra do art. 12, V, do CPC, o espólio tem capacidade de ser parte, 
sendo representado em juízo pelo inventariante, ativa e passivamente, só haven-
do exceção legal (§ 1º do mesmo art. 12, do CPC) quando se tratar de inventari-
ante dativo. Até que o inventariante seja nomeado, o espólio é representado por 
administrador provisório, em conformidade com o artigo 986 do CPC\u201d. (TAPR. 10 
CC (extinto TA) AI 215375-9. Rel.: Edvino Bochnia. J. 22.11.2002)
Artigo 12Kleber Cazzaro
Art. 13. Verificando a incapacidade processual ou a irregulari-
dade da representação das partes, o juiz, suspendendo o pro-
cesso, marcará prazo razoável para ser sanado o defeito. Não 
sendo cumprido o despacho dentro do prazo, se a providência 
couber:
65
I. Vício 
Constatado o vício deve ser viabilizada a correção no que pertine à capacidade 
processual ou postulatória. Tal cuidado vale tanto para o primeiro, quanto para o 
segundo grau. Os tribunais superiores não admitem a adoção das providências 
do artigo 13 nos recursos que a eles são dirigidos. Apenas se admite correção 
enquanto o recurso estiver sendo processado no segundo grau. (Súmula 115 
STJ). Uma particularidade em relação ao entendimento ditado pelo STJ de que a 
hipótese da Súmula 115 não se aplica quando há pedido expresso para juntar o 
instrumento de mandato na sequência. 
JULGADOS 
Petição eletrônica
\u201cNos termos da jurisprudência do STJ, a identificação de quem peticiona nos 
autos é a proveniente do certificado digital, independentemente da assinatura 
que aparece na visualização do arquivo eletrônico\u201d. (STJ. 2T. EDcl no AgRg no 
REsp 1268863/RS. Rel. Min. Humberto Martins. J. 07/05/2013)
Incapacidade postulatória
\u201cConquanto a lei especial rotule como nulos os atos praticados no processo por 
advogados impedidos de advogar, a exegese dessa norma deve ser feita no 
contexto do sistema de nulidades disciplinadas pelo Código de Processo Civil, 
que se orienta no sentido de aproveitar ao máximo os atos processuais. Estando 
o advogado excluído dos quadros da OAB, na data em que praticou o substabe-
lecimento, não se reputam nulos os atos por ele praticados sem ensejar antes à 
parte interessada a regularização da sua representação, suprindo as omissões 
relativas à incapacidade postulatória, ficando sanados esses atos desde que 
ratificados atempadamente\u201d. (STJ. 4T. REsp 91.766/DF. Rel. Min. Sálvio de Fi-
gueiredo Teixeira. j. 22/09/1998)
Falta de capacidade postulatória
\u201c1. Aplica-se ao servidor da Câmara Legislativa do Distrito Federal o impedi-
mento do art. 30, inciso I, da Lei n.º 8.906/1994, que restringe o exercício da 
advocacia aos servidores da Administração direta, indireta e fundacional, contra 
a Fazenda Pública que os remunere. 2. Antes de pronunciar a pretendida nuli-
Artigo 13Kleber Cazzaro
AUTOR
Kleber Cazzaro
I - ao autor, o juiz decretará a nulidade do processo;
II - ao réu, reputar-se-á revel;
III - ao terceiro, será excluído do processo..
66
dade, deveria o magistrado a quo marcar prazo razoável para que se buscasse 
sanar o defeito, nos termos do art. 13 do Código de Processo Civil, o qual, con-
forme a orientação desta Corte, aplica-se também para suprir omissão relativa 
à capacidade postulatória. Precedentes. 3. Da mesma forma, conforme entendi-
mento pacificado nesta Corte, a falta ou deficiência de instrumento de mandato 
constitui-se de defeito sanável nas instâncias ordinárias, incumbindo ao juiz, ou 
Relator do Tribunal, determinar prazo razoável para sanar o defeito, a teor do art. 
13 do CPC\u201d. (STJ. 5T. REsp 527.963/DF. Rel. Min. Laurita Vaz. J 17/10/2006)
Falta de mandato
\u201cNas instâncias ordinárias, verificada a falta de instrumento de mandato ou de-
feito na representação da parte, incumbe ao Magistrado ensejar o suprimento da 
falta, assinando prazo razoável para tanto\u201d. (STJ. 4T. REsp 331.071/PR. Rel. Min. 
Barros Monteiro. J. 09/11/2004)
Falta de mandato
\u201cO artigo 13 do CPC tem plena aplicação quando se verificando a incapacida-
de processual, seja ela qual for, quer se trate de incapacidade para ser parte, 
incapacidade para estar em juízo ou