Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná
2021 pág.

Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná


DisciplinaDireito Processual Civil I45.863 materiais807.986 seguidores
Pré-visualização50 páginas
DE 
REQUERIMENTO PARA PRORROGAÇÃO DO PRAZO. ATO INEXISTENTE (ART. 
37, PARÁGRAFO ÚNICO, CPC). (TJPR. 14CC. AI 675255-8. Rel.: Laertes Ferreira 
Gomes. J. 15.12.2010)
Fotocópia e sem autenticação
\u201cNão se constata irregularidade na representação processual pelo fato de a pro-
curação outorgada ao seu advogado estar representada por mera fotocópia não 
autenticada, haja vista que a regra disposta nos artigos 38 do Código de Pro-
cesso Civil e 5º, § 2º da Lei nº 8.906/94, não exige que a procuração do patrono 
seja original ou tenha firma reconhecida.\u201c (TJPR. 9CC. AC 0821983-0. Des. Rel. 
Rosana Amara Girardi Fachin. J. 19/01/2012).
Artigo 37Kleber Cazzaro
Art. 38. A procuração geral para o foro, conferida por instrumen-
to público, ou particular assinado pela parte, habilita o advo-
gado a praticar todos os atos do processo, salvo para receber 
citação inicial, confessar, reconhecer a procedência do pedi-
do, transigir, desistir, renunciar ao direito sobre que se funda a 
ação, receber, dar quitação e firmar compromisso. 
Parágrafo único. A procuração pode ser assinada digitalmente 
com base em certificado emitido por Autoridade Certificadora 
120
I. Procuração ad judicia: A procuração geral para o foro judicial não depende 
da especificação de poderes. A exceção está contida para praticar aqueles que 
exigem poderes específicos. Neste caso, eles deverão vir apontados clara e 
objetivamente. O elenco, e que não representa rol exaustivo, é o do artigo 38 do 
CPC. 
II. Substabelecimento: O código nada fala sobre o substabelecimento. Consi-
derando que o instituto encerra a transferência do mandato a outro advogado, 
que pode ser parcial ou total, os poderes da cláusula geral \u2013 ad judicia \u2013 não ab-
rangem tal possibilidade. Como o mandato é outorgado intuitu personae, firma-
do pela confiança da parte a seu advogado, para este substabelecer para outro 
profissional é necessário possuir autorização expressa no respectivo instrumen-
to. Além disso, o substabelecimento do mandato, com reservas de poderes, 
é ato pessoal do advogado da causa. Se ocorrer sem reservas de poderes, é 
necessário o prévio e inequívoco conhecimento do cliente. (Código de Ética e 
Disciplina da OAB, Art. 24, caput e § 1º)
III. Modo: A procuração, tanto para o foro em geral, quanto com poderes espe-
ciais, pode ser firmada de modo público ou particular, inclusive com firma digi-
tal (MP 2.200-2/2001, art. 10, § 1º e Lei 11.419/2006, art. 1º, § 2º, inciso III, letra 
\u201ca\u201d). Pode, também, o instrumento ser firmado por pessoa incapaz. Na hipótese 
de incapacidade do outorgante, a procuração será firmada pelo representante 
legal dele. Em caso de ser relativa, o mandante será assistido por quem de di-
reito. O instrumento de mandato na forma pública só será exigido de quem for 
analfabeto ou não tiver condições de assinar o nome. Não prevalece, portanto, 
a regra do artigo 654 do Código Civil, que atribui apenas às pessoas capazes 
a condição de dar procuração por instrumento particular. Também não há pro-
curação particular assinada a rogo, nem mesmo com testemunhas que assinem 
juntamente com o que tenha assinado a rogo. 
IV. Reconhecimento de firma: Quando o instrumento for usado nos autos do 
processo, não há necessidade do reconhecimento de firma da assinatura do 
mandante. A dispensa é absoluta. Vale tanto para o instrumento que contenha 
poderes gerais, quanto para o que contenha os poderes especiais (CPC, art. 
38). A simples assinatura goza de presunção de autenticidade. Quem a impug-
nar terá o ônus de provar a situação que contrarie tal característica. 
V. Múltiplos procuradores: Salvo referência contrária e específica dizendo que 
poderão agir em conjunto ou separadamente independente de qualquer ordem, 
AUTOR
Kleber Cazzaro
credenciada, na forma da lei específica.
Artigo 38Kleber Cazzaro
121
quando existir diversos procuradores nominados no instrumento de mandato, 
presume-se que deverão agir nos autos e em nome da parte que representam, 
seguindo a ordem de nomeação nele estabelecida. 
VI. Validade e vigência: O mandato outorgado a advogado passa a surtir os 
seus efeitos a partir do momento em que é lavrada e firmada a procuração re-
spectiva. Não admite e não se compatibiliza à previsão de prazo de vigência, 
como é comum ter-se quando se cuida de mandato com função de gestão de 
negócios e outros interesses. O mandato conferido ao advogado não se extin-
gue pelo decurso do tempo, salvo às hipóteses legalmente previstas relaciona-
das à revogação ou renúncia, morte ou interdição de uma das partes, mudança 
de estado que inabilite o mandante a conferir os poderes, ou o mandatário para 
os exercer. (Código de Ética e Disciplina da OAB, art. 16).
Súmula nº 115 do STJ: \u201cNa instância especial é inexistente recurso interposto 
por advogado sem procuração nos autos\u201d.
JULGADOS 
Reconhecimento de firma
\u201cO art. 38, CPC, com a redação dada pela Lei 8.952/94, dispensa o reconheci-
mento de firma nas procurações empregadas nos autos do processo, tanto em 
relação aos poderes gerais para o foro (cláusula ad judicia), quanto em relação 
aos poderes especiais (et extra) previstos nesse dispositivo.\u201d (STJ. Corte Espe-
cial. REsp n. 256.098/SP. Rel. Min. Sálvio de Figueiredo Teixeira. j. 20.09.2000)
Poderes especiais
 \u201cA atual redação do art. 38 do Código de Processo Civil, com a redação dada 
pela Lei 8.952/94, passou a dispensar o reconhecimento de firma para as pro-
curações ad judicia et extra, o que vale dizer que mesmo os instrumentos com 
poderes especiais estão acobertados pela dispensa legal. Revisão da jurispru-
dência da Segunda Turma a partir do precedente da Corte Especial (STJ. REsp 
256.098. Min. Sálvio de Figueiredo Teixeira. 07.12.2001)\u201d. (STJ. 2T. REsp 716.824/
AL. Rel. Min. Eliana Calmon. J. 11/04/2006).
Outorga de dois mandatos em momentos diversos
\u201cHá revogação tácita de mandato com a constituição de novo procurador sem 
ressalva do instrumento procuratório anterior. É inexistente o recurso ou a ação 
quando o advogado subscritor não tem procuração e/ou substabelecimento nos 
autos\u201d. (STJ. 2T. RMS 23.672/MG. Rel. Ministro Mauro Campbell Marques. J. 
14/06/2011)
Procuração judicial. Atualização.
\u201cA exigência de substituição de procuração desatualizada, nas demandas pre-
videnciárias, está contida no poder de direção do processo atribuído ao Juiz. 
Artigo 38Kleber Cazzaro
122
Consoante entendimento assentado na Corte Especial deste STJ, concedida 
procuração a advogado para utilização tão-somente no âmbito judicial, mostra-
se descabida a exigência de reconhecimento da firma do outorgante, seja na 
hipótese de poderes gerais para o foro, seja quando conferidos poderes espe-
ciais.\u201d (STJ. 5T. REsp 247.887/PR. Rel. Ministro Gilson Dipp. J. 11/09/2001)
Honorários advocatícios
\u201cdireito autônomo para executar a sentença na parte relativa aos honorários in-
cluídos na condenação, por arbitramento ou condenação, previsto no art. 23 da 
Lei 8.906/94, é assegurado ao advogado constituído nos autos, habilitado para 
representar a parte em juízo, na forma do art. 36 do CPC, de modo que não 
abrange o advogado que substabeleceu sem reserva de poderes, sobretudo 
porque o substabelecimento, sem reserva de poderes, caracteriza renúncia ao 
poder de representar em juízo (REsp 713.367/SP, 1ª Turma, Rel. Min. Luiz Fux, DJ 
de 27.6.2005; AgRg nos EREsp 36.319/GO, Corte Especial, Rel. Min. Dias Trinda-
de, DJ de 8.5.95). Por outro lado, o art. 26 da Lei 8.906/94 impede que o advo-
gado substabelecido, com reserva de poderes, efetue a cobrança de honorários 
sem a intervenção daquele que lhe conferiu o substabelecimento. Extrai-se, a 
contrario sensu, que não há óbice para que o advogado substabelecido, sem 
reserva de poderes, efetue a cobrança de honorários, sendo descabida a in-
tervenção do advogado substabelecente (STJ. REsp 766.279/RS. 1T.. Rel.