Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná
2021 pág.

Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná


DisciplinaDireito Processual Civil I45.738 materiais804.635 seguidores
Pré-visualização50 páginas
art. 67 do mesmo diploma 
legal, sob pena de restar caracterizado o cerceamento de defesa e ofensa ao 
devido processo legal.\u201d 
(TJ/MG, Apelação Cível 1.0079.04122299-7/001, Décima-quinta Câmara Cível, 
Rel. Des. José Affonso da Costa Côrtes, Julg. 02/02/2006). 
I \u2013 Aceitação da nomeação: 
Se o autor aceitar a nomeação realizada pelo réu providenciará a citação do 
nomeado. Caso não a aceite, ficará sem efeito a nomeação, prosseguindo-se 
o processo contra o réu originário. A não aceitação pelo autor da nomeação à 
autoria corre por sua conta e risco vez que é possível o juiz, ao decidir, entender 
pela ilegitimidade do réu origjnário, extinguindo o processo sem resolução de 
mérito.
JULGADOS 
Recusa ou aceite da nomeação à autoria
1.\u201dRecusada a nomeação pela parte autora, o processo deverá retomar seu cur-
so contra o demandado nomeante. Inteligência do art. 65 do CPC.\u201d 
(TJ/RS, Agravo de Instrumento 70008041758, Décima-nona Câmara Cível, Rel. 
Des. Leoberto Narciso Brancher, Julg. 27/04/2004). 
2. \u201cCabe ao autor aceitar ou rejeitar a nomeação à autoria. Caso haja rejeição, 
incumbe ao réu demonstrar a sua ilegitimidade. 
(TJ/PB, Apelação Cível 073.2002.000273-6/001, Quarta Câmara Cível, Rel. Des. 
Antonio de Pádua Lima Montenegro, Julg. 07/06/2005). 
Artigo 64Maria de Lourdes Viégas Georg
Art. 65. Aceitando o nomeado, ao autor incumbirá promover-lhe 
a citação; recusando-o, ficará sem efeito a nomeação.
Art. 66. Se o nomeado reconhecer a qualidade que lhe é atribuí-
da, contra ele correrá o processo; se a negar, o processo conti-
nuará contra o nomeante.
AUTOR
Maria de Lourdes Viégas Georg
161
I \u2013 Não aceitação pelo nomeado:
Citado, o nomeado poderá se recusar a substituir o nomeante, negando a qua-
lidade que lhe é imposta - de parte legítima - alegando que não é proprietário 
nem possuidor da coisa demandada ou que não deu ordens para o réu praticar 
qualquer ato lesivo ao autor; neste caso, o processo prosseguirá contra o no-
meante. A manifestação deverá ocorrer no prazo da resposta. Se comprovado 
posteriormente a pertinência da nomeação, o nomeado que indevidamente não 
a aceitou ficará responsável pelas perdas e danos que causou às partes, pedido 
esse que será ajuizado em ação autônoma.
II \u2013 Aceitação pelo nomeado:
No caso de o nomeado à autoria reconhecer a sua legitimidade, o nomeante 
será excluído do polo passivo da demanda e o nomeado assumirá o seu lugar, 
como novo réu.
JULGADOS 
1.\u201dAceita a nomeação pelo nomeado, contra ele correrá a ação devendo o nome-
ante ser excluído da relação processual\u201d (RT 628/133). 
I \u2013 Novo prazo para resposta:
 
O artigo comentado determina ao juiz assinar novo prazo ao nomeante para 
contestar se houver recusa da nomeação à autoria, por manifestação negativa 
do nomeado ou do autor da ação. Evidentemente esse prazo é devolvido de for-
ma integral, independentemente do dia em que a nomeação foi realizada. 
JULGADOS 
Artigo 66Maria de Lourdes Viégas Georg
Art. 67. Quando o autor recusar o nomeado, ou quando este ne-
gar a qualidade que lhe é atribuída, assinar-se-á ao nomeante 
novo prazo para contestar.
AUTOR
Maria de Lourdes Viégas Georg
AUTOR
Maria de Lourdes Viégas Georg
162
Defesa
1.\u201dNomeação à autoria: indeferimento pelo juiz. Reabertura de prazo para a de-
fesa. Precedente da Corte. 1. Pode o juiz, se considerar que não estão presentes 
os pressupostos do art. 62 e 63 do Código de Processo Civil, indeferir o pedido 
de nomeação à autoria, mas, em tal caso, respeitando o sistema acolhido pelo 
art. 67 do mesmo Código, deve assinar ao nomeante novo prazo para contestar. 
2. Recurso especial conhecido e provido\u201d. 
(STJ, REsp 257091/RO, Terceira Turma, Rel. Min. Carlos Alberto Menezes Direito, 
Julg. 21/08/2001).
2. \u201cNos termos do artigo 67 do CPC, cabe ao juiz assinar ao nomeante novo pra-
zo para contestar, prazo este que lhe será restituído íntegro e completo, a partir 
do momento em que para isso for intimado.\u201d 
(STJ, REsp 17.955/PR, Quarta Turma, Rel. Min. Barros Monteiro). 
I \u2013 Aceitação tácita da nomeação:
 
O artigo 68 do CPC prevê as hipóteses de aceitação tácita da nomeação. No 
inciso I a aceitação tácita é do autor que ficou silente sobre a nomeação feita 
pelo réu; no inciso II, a aceitação tácita é do nomeado que não impugnou à no-
meação à autoria. 
II \u2013 Efeito da nomeação à autoria: 
Se houver a aceitação tácita da nomeação, então ela produzirá efeito: o nome-
ante retira-se da relação processual e o nomeado o substitui no polo passivo da 
relação processual.
JULGADOS 
Intempestividade da manifestação do autor
1.\u201dA manifestação extemporânea do autor acerca da nomeação à autoria acar-
Artigo 67Maria de Lourdes Viégas Georg
Art. 68. Presume-se aceita a nomeação se:
I \u2013 o autor nada requereu, no prazo em que, a seu respeito, lhe 
competia manifestar-se;
II \u2013 o nomeado não comparecer, ou, comparecendo, nada ale-
gar.
AUTOR
Maria de Lourdes Viégas Georg
163
reta a aceitação tácita desta modalidade de intervenção de terceiros, na estreita 
dicção do art. 68, I, do CPC, devendo, ato contínuo, ser promovida a citação do 
nomeado. Precedentes. Agravo de instrumento provido.\u201d (TJ/RS, Agravo de In-
strumento 70007555139, Décima-quarta Câmara Cível, Rel. Des. Antônio Corrêa 
Palmeiro da Fontoura, j. 11/03/2004).
2. \u201cAnte o silêncio do autor sobre o pedido de nomeação à autoria feito pelo réu, 
presume-se aceita aquela, devendo os nomeados serem citados para manifestar-
se sobre o pedido, podendo, além de impugnar a nomeação propriamente dita, 
discutir sobre possível ilegitimidade passiva \u2018ad causam\u2019. \u201c(STJ, REsp 104206/
SP, Quarta Turma, Rel. Min. Sálvio de Figueiredo Teixeira, Julg. 12/11/1996). 
I \u2013 Imposição de penalidade pelo descumprimento da nomeação à autoria:
 
Como a finalidade da nomeação à autoria é corrigir o polo passivo da demanda, 
a não nomeação ensejará a manutenção de um processo que terminará sem 
resolução de mérito, por carência da ação (ilegitimidade passiva), em evidente 
perda de tempo para o promovente e para o Estado, logo, a fixação de perdas e 
danos é um meio coercitivo para que a nomeação seja realizada.
II \u2013 Indenização por perdas e danos: 
 
Se o autor foi a parte prejudicada pela não nomeação à autoria do réu, ou pela 
nomeação de pessoa diversa da que efetivamente deveria participar do polo 
passivo da demanda, poderá pedir a fixação da indenização por perdas e da-
nos nos mesmos autos. Caso o prejudicado seja terceiro, deverá demandar em 
o pedido de indenização por perdas e danos em ação própria. O demandante 
tem que provar a existência de dolo ou culpa do demandado pois a responsabi-
lidade, no caso, não é objetiva. Ademais, deverá provar as perdas e danos (são 
indenizáveis a esse título, por exemplo, as despesas processuais).
Artigo 68Maria de Lourdes Viégas Georg
Art. 69. Responderá por perdas e danos aquele a quem incum-
bia a nomeação:
I \u2013 deixando de nomear à autoria, quando lhe competir;
II \u2013 nomeando pessoa diversa daquela em cujo nome detém a 
coisa demandada.
Art. 70. A denunciação da lide é obrigatória:
AUTOR
Maria de Lourdes Viégas Georg
164
I. Denunciação da lide. 
A denunciação da lide é uma modalidade de intervenção provocada pelo autor 
(ex. de denunciação feita pelo autor: O adquirente A, de uma área rural, é im-
pedido de imitir-se na posse pois B a ocupa, alegando, por exemplo, ser dela o 
legítimo proprietário. Ao promover a ação reivindicatória contra o ocupante, ao 
adquirente cumpre denunciar a lide ao seu alienante, C, a fim de garantir-se dos 
riscos da evicção, que ocorrerá se a ação reivindicatória for julgada improce-
dente e, pois, reconhecido o réu, B, como o legítimo titular do domínio), ou pelo 
réu (ex. de denunciação pelo réu: \u201eA\u201c comprou um carro de \u201eB\u201c e o perde sob 
o fundamento que tal veículo era furtado. Ajuíza