Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná
2021 pág.

Código de Processo Civil Anotado - OAB Paraná


DisciplinaDireito Processual Civil I45.863 materiais807.986 seguidores
Pré-visualização50 páginas
RECURSO ESPECIAL. DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. EXCEÇÃO DE IN-
COMPETÊNCIA. CONTRATO DE FORNECIMENTO DE PEÇAS PARA MOTORES 
(FORD E LAND ROVER) FIRMADO NA ARGENTINA. SEGURO DE RECALL CON-
TRATADO COM SEGURADORA BRASILEIRA. AÇÃO REGRESSIVA. COMPETÊN-
Art. 88. É competente a autoridade judiciária brasileira quando:
I - o réu, qualquer que seja a sua nacionalidade, estiver domici-
liado no Brasil;
II - no Brasil tiver de ser cumprida a obrigação;
III - a ação se originar de fato ocorrido ou de ato praticado no 
Brasil.
Parágrafo único. Para o fim do disposto no nº I, reputa-se do-
miciliada no Brasil a pessoa jurídica estrangeira que aqui tiver 
agência, filial ou sucursal.
AUTOR
Renata Polichuk
Artigo 87Renata Polichuk
185
CIA DA JUSTIÇA BRASILEIRA.
1. Na hipótese, ainda que o contrato de fornecimento das peças automotivas 
tenha sido ajustado na Argentina por pessoas jurídicas estrangeiras - uma delas 
com filial no Brasil -, não há como ser afastada a competência da autoridade 
judiciária brasileira, pois, além de o contrato de seguro, que viabiliza a ação re-
gressiva no presente caso, ter sido firmado no Brasil, o fato (recall) ocorreu aqui 
(art. 88, III, do CPC). Precedentes.
2. Recurso especial parcialmente conhecido e nesta parte não provido.
(STJ - REsp 1308686/SP, Rel. Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA, TERCEI-
RA TURMA, julgado em 11/04/2013, DJe 17/04/2013)
Ação iniciada no exterior
CIVIL. PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL. ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA 
GRATUITA. AÇÃO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE UNIÃO ESTÁVEL 
INICIADA NO ESTRANGEIRO. APLICAÇÃO DA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA.
COMPANHEIRA SEPARADA DE FATO HÁ MAIS DE DOIS ANOS. POSSIBILIDADE 
DE RECONHECIMENTO DA UNIÃO. COMPANHEIROS DOMICILIADOS NO BRA-
SIL. BENS SITUADOS NO BRASIL.
[...]
6. A competência da jurisdição brasileira para conhecer do feito é determinada 
pelo art. 88, I, do Código de Processo Civil, tendo em vista que o réu possui 
domicílio no Brasil - competência internacional cumulativa ou concorrente. Tam-
bém a autora aqui está domiciliada. Por seu lado, os bens objeto de partilha 
estão localizados no país - competência internacional exclusiva.
(STJ - REsp 973.553/MG, Rel. Ministro RAUL ARAÚJO, QUARTA TURMA, julgado 
em 18/08/2011, DJe 08/09/2011)
I. Competência internacional exclusiva
Apenas a autoridade brasileira pode conhecer e julgar ações relativas a imóveis 
que estejam situados em seu território, bem como proceder ao inventário e a 
partilha de quaisquer bem que igualmente estejam em território nacional. Porta-
Art. 89. Compete à autoridade judiciária brasileira, com exclu-
são de qualquer outra:
I - conhecer de ações relativas a imóveis situados no Brasil;
II - proceder a inventário e partilha de bens, situados no Brasil, 
ainda que o autor da herança seja estrangeiro e tenha residido 
fora do território nacional.
AUTOR
Renata Polichuk
Artigo 89Renata Polichuk
186
nto, qualquer decisão que vá de encontro com esta norma não será concebida 
como validade pela autoridade brasileira, não produzindo qualquer eficácia ou 
efeito, tão menos estando sujeita à homologação pelo órgão competente.
JULGADOS 
Requisitos para homologação de sentença estrangeira
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA. RECONHECIMENTO DE HERDEIRO.
INVENTÁRIO E PARTILHA. COMPETÊNCIA EXCLUSIVA DA JURISDIÇÃO BRASI-
LEIRA. AUSÊNCIA DE CITAÇÃO NA JUSTIÇA DE ORIGEM. REQUISITOS INDIS-
PENSÁVEIS NÃO ATENDIDOS. HOMOLOGAÇÃO INDEFERIDA.
Não há que se deferir pedido de homologação de sentença estrangeira quando 
não atendidos os requisitos indispensáveis previstos nos arts. 5º e 6º da Reso-
lução n. 9 do STJ.
Homologação indeferida.
(SEC .843/LB, Rel. Ministro CESAR ASFOR ROCHA, CORTE ESPECIAL, julgado 
em 21/03/2007, DJ 28/05/2007, p. 271)
I. Prevalência da autoridade brasileira
A sentença estrangeira só passa a ter eficácia e efeitos no direito brasileiro de-
pois de devidamente homologada pelo STJ, portanto, independente do estado 
em que se encontre o julgamento por juízo estrangeiro, não há qualquer inter-
ferência no trâmite dos feitos processados pela autoridade brasileira.
II. Coisa julgada
Igual raciocínio se aplica, inclusive, para o reconhecimento da coisa julgada que, 
perante a autoridade brasileira, só pode ser decretada após a homologação da 
sentença estrangeira (CPC, art. 483). 
JULGADOS 
Eficácia da sentença estrangeira no Brasil. Necessidade de homologação
Artigo 89Renata Polichuk
Art. 90. A ação intentada perante tribunal estrangeiro não induz 
litispendência, nem obsta a que a autoridade judiciária brasilei-
ra conheça da mesma causa e das que lhe são conexas.
AUTOR
Renata Polichuk
187
HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ESTRANGEIRA. DIVÓRCIO. GUARDA DE FIL-
HOS.
DECISÃO DA JUSTIÇA NORTE-AMERICANA TRANSITADA EM JULGADO. AÇÃO 
JUDICIAL DE GUARDA POSTERIOR EM CURSO PERANTE A JUSTIÇA BRASI-
LEIRA.
COMPETÊNCIA CONCORRENTE. POSSIBILIDADE DE HOMOLOGAÇÃO. IN-
EXISTÊNCIA DE OFENSA À SOBERANIA NACIONAL. AGRAVO REGIMENTAL 
NÃO PROVIDO.
A existência de ação ajuizada no Brasil com as mesmas partes, com o mesmo 
pedido e com a mesma causa de pedir não obsta a homologação de sentença 
estrangeira transitada em julgado.
Hipótese de competência concorrente (arts. 88 a 90 do Código de Processo Ci-
vil), inexistindo ofensa à soberania nacional.
Agravo regimental não provido.
(STJ - AgRg na SE 4.091/EX, Rel. Ministro ARI PARGENDLER, CORTE ESPECIAL, 
julgado em 29/08/2012, DJe 06/09/2012)
I. Critério tripartite de divisão da competência
O Código de Processo Civil adota o critério tripartite para divisão das competên-
cias. Assim, as competências são reunidas em três grandes critérios: objetivo, 
funcional e territorial. As competências em razão do valor e em razão da matéria 
compõe o critério objetivo.
II. Competência em razão do valor
A competência em razão do valor está contida no critério objetivo e como regra 
compõe o gênero da Competência Relativa, podendo, portanto, ser prorrogada 
caso sua arguição não se de no momento oportuno (CPC, art. 112 e 304).
O Código de Processo Civil não disciplina as hipóteses de distribuição desta 
competência, que acaba sendo realizada por Lei Especial. 
A Lei n.° 9.099/1995, ao criar os Juizados Cíveis Especiais, acaba por dividir 
a competência da Justiça Estadual entre a Justiça Comum e os Juizados Es-
peciais, admitindo dentre outros critérios para atribuições de competências, o 
valor da causa. Desta forma, nas causa cujo valor não exceda 40 mínios, e não 
contendo nenhuma das excludentes da lei especial, é facultado ao autor da de-
manda o ajuizamento da ação perante a Justiça Estadual Comum ou o Juizado 
Artigo 90Renata Polichuk
Art. 91. Regem a competência em razão do valor e da matéria as 
normas de organização judiciária, ressalvados os casos expres-
sos neste Código.
AUTOR
Renata Polichuk
188
Especial Civil. 
Porém, o mesmo não ocorre com relação à regra de atribuições de competência 
dos Juizados Especiais Federais. Na esfera Federal a alçada dos Juizados Es-
peciais é elevada para 60 salários mínimos, e por regra específica determinada 
a competência absoluta deste órgão (Lei n.° 10.259/2001, art. 3°), embora seja 
possível ao autor da demanda renunciar parte de seu direito cujo valor econômi-
co exceda 60 salários mínimos para ver sua causa processada pelos Juizados 
Especais Federais.
III. Competência em razão da matéria
A competência em razão da matéria será sempre absoluta, podendo ser alega-
da em preliminar de contestação (CPC, art. 301, II) ou ainda conhecida de ofício 
em qualquer grau de jurisdição ordinária (CPC, art. 113) e não admitindo modifi-
cação por vontade das partes. 
A competência em razão da matéria está disciplina em primeira análise na Con-
stituição da República Federativa do Brasil. O Código de Processo Civil igual-
mente disciplina hipóteses desta competência (CPC,