eConstituicao EC91

eConstituicao EC91


DisciplinaDireito Constitucional I69.867 materiais1.610.354 seguidores
Pré-visualização50 páginas
adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.
			§ 8º O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes condições:
			I \u2013 se contar menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se da atividade;
			II \u2013 se contar mais de dez anos de serviço, será agregado pela autoridade superior e, se eleito, passará automaticamente, no ato da diplomação, para a inatividade.
			§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa, a moralidade para o exercício do mandato, considerada a vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta.
			§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude.
			§ 11. A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça, respondendo o autor, na forma da lei, se temerária ou de manifesta má-fé.
			Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
			I \u2013 cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado;
			II \u2013 incapacidade civil absoluta;
			III \u2013 condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos;
			IV \u2013 recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII;
			V \u2013 improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º.
			Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência. (EC nº 4/93)
			Capítulo V \u2013 Dos Partidos Políticos
			Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos: (EC nº 52/2006)
			I \u2013 caráter nacional;
			II \u2013 proibição de recebimento de recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros ou de subordinação a estes;
			III \u2013 prestação de contas à Justiça Eleitoral;
			IV \u2013 funcionamento parlamentar de acordo com a lei.
			§ 1º É assegurada aos partidos políticos autonomia para definir sua estrutura interna, organização e funcionamento e para adotar os critérios de escolha e o regime de suas coligações eleitorais, sem obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal, devendo seus estatutos estabelecer normas de disciplina e fidelidade partidária.
			§ 2º Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.
			§ 3º Os partidos políticos têm direito a recursos do fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão, na forma da lei.
			§ 4º É vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar.
			
				
					[1] NE: ver Atos Internacionais Equivalentes a Emenda Constitucional.
				
			
		
	
	
		02_constituicao-3
		
	
	
		
			Título III \u2013 Da Organização do Estado
			Capítulo I \u2013 Da Organização Político-Administrativa
			Art. 18. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição. (EC nº 15/96)
			§ 1º Brasília é a Capital Federal.
			§ 2º Os Territórios Federais integram a União, e sua criação, transformação em Estado ou reintegração ao Estado de origem serão reguladas em lei complementar.
			§ 3º Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.
			§ 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de Municípios, far-se-ão por lei estadual, dentro do período determinado por lei complementar federal, e dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito, às populações dos Municípios envolvidos, após divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e publicados na forma da lei.
			Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
			I \u2013 estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;
			II \u2013 recusar fé aos documentos públicos;
			III \u2013 criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.
			Capítulo II \u2013 Da União
			Art. 20. São bens da União: (EC nº 46/2005)
			I \u2013 os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a ser atribuídos;
			II \u2013 as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras, das fortificações e construções militares, das vias federais de comunicação e à preservação ambiental, definidas em lei;
			III \u2013 os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de limites com outros países, ou se estendam a território estrangeiro ou dele provenham, bem como os terrenos marginais e as praias fluviais;
			IV \u2013 as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes com outros países; as praias marítimas; as ilhas oceânicas e as costeiras, excluídas, destas, as que contenham a sede de Municípios, exceto aquelas áreas afetadas ao serviço público e a unidade ambiental federal, e as referidas no art. 26, II;
			V \u2013 os recursos naturais da plataforma continental e da zona econômica exclusiva;
			VI \u2013 o mar territorial;
			VII \u2013 os terrenos de marinha e seus acrescidos;
			VIII \u2013 os potenciais de energia hidráulica;
			IX \u2013 os recursos minerais, inclusive os do subsolo;
			X \u2013 as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos;
			XI \u2013 as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios.
			§ 1º É assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, bem como a órgãos da administração direta da União, participação no resultado da exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território, plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeira por essa exploração.
			§ 2º A faixa de até cento e cinqüenta quilômetros de largura, ao longo das fronteiras terrestres, designada como faixa de fronteira, é considerada fundamental para defesa do território nacional, e sua ocupação e utilização serão reguladas em lei.
			Art. 21. Compete à União: (EC nº 8/95, EC nº 19/98, EC nº 49/2006 e EC nº 69/2012)
			I \u2013 manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais;
			II \u2013 declarar a guerra e celebrar a paz;
			III \u2013 assegurar a defesa nacional;
			IV \u2013 permitir, nos casos previstos em lei complementar, que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente;
			V \u2013 decretar o estado de sítio, o estado de defesa e a intervenção federal;
			VI \u2013 autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de material bélico;
			VII \u2013 emitir moeda;
			VIII \u2013 administrar as reservas cambiais do País e fiscalizar as operações de natureza financeira, especialmente as de crédito, câmbio