Apostila de Estatistica Geral e Aplicada
228 pág.

Apostila de Estatistica Geral e Aplicada


DisciplinaIntrodução à Estatística251 materiais2.032 seguidores
Pré-visualização50 páginas
ordinais ou nominais: 
 
 
 
 
(III) V a r i á v e i s q u a l i t a t i v a s o r d i n a i s: Quando as variáveis têm uma ordenação natural, 
indicando intensidades crescentes de realização. 
 
 
 11
 
 
Exemplos 
 
\u2022 Tamanho (pequeno, médio ou grande) 
\u2022 Nível de instrução da pessoa, do aluno, do pai, da mãe (Ensino Fundamental, Médio ou Superior) 
\u2022 Classe social (baixa, média ou alta; ou A, B, C, D, E) 
\u2022 Atuação escolar (fraca, regular, boa ou ótima) 
\u2022 Gravidade de uma doença (leve, moderada, severa) 
 
 
 
 
(IV) V a r i á v e i s q u a l i t a t i v a s n o m i n a i s: Quando não é possível estabelecer uma ordem natural 
entre seus valores. 
 
 
Exemplos 
 
\u2022 Bairro em que reside 
\u2022 Região de procedência 
\u2022 Cor de cabelos (castanho, preto, loiro, ruivo) 
\u2022 Esporte que pratica (futebol, natação etc.) 
\u2022 Estado civil (solteiro, casado etc.) 
\u2022 Estado em que nasceu (São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná etc.) 
\u2022 Fumante (sim ou não) 
\u2022 Indicadores de inflação (IPC, dólar oficial etc.) 
\u2022 Nacionalidade (brasileiro ou estrangeiro) 
\u2022 Religião (católico, evangélico, espírita, outra) 
\u2022 Sexo (feminino ou masculino) 
\u2022 Time de futebol (Santos, Fluminense etc.) 
\u2022 Tipo sanguíneo (A, B, AB, O) 
\u2022 Tipos de aplicações em Banco (fundos de investimentos, dólar, poupança etc.) 
\u2022 Turma (A, B ou C) 
\u2022 Verdadeiro ou falso 
 
 
 
 
E X E M P L O S (variáveis quantitativas e qualitativas) 
 
 
 
1. A tabela abaixo envolve todos os tipos de dados mencionados: 
 
 
População 
Variáveis Quantitativas Variáveis Quantitativas 
 Discretas Contínuas Nominais Ordinais 
 Funcionários de 
uma empresa 
Nº de 
funcionários 
Tempo de serviço 
na empresa Homens Assiduidade 
 
 
 
2. A tabela abaixo corresponde a uma pesquisa realizada com cinco famílias de determinada comunidade: 
 
 
Família Idade do pai 
Grau de 
instrução 
do pai 
Religião Classe 
social 
Renda mensal 
(salário 
mínimo) 
Número de 
filhos em 
idade escolar 
Região de 
procedência 
 1 25 E. Fundam. Católica Baixa 4 3 Interior 
 2 33 E. Médio Africana Média 10 2 Capital 
 3 42 E. Médio Espírita Média 12 3 Outro Estado 
 4 28 Superior Nenhuma Média 16,5 3 Capital 
 5 38 Nenhum Católica Baixa 4 4 Outro Estado 
 
 
Classificando as variáveis da tabela, temos: 
 
 
V a r i á v e l q u a l i t a t i v a: 
 
\u2022 Qualitativa nominal: Família, Religião, Região de procedência. 
 
\u2022 Qualitativa ordinal: Grau de instrução do pai, Classe social. 
 
 
V a r i á v e l q u a n t i t a t i v a: 
 
\u2022 Quantitativa discreta: Idade do pai, Número de filhos. 
 
\u2022 Quantitativa contínua: Renda mensal. 
 
 
 12
 
 
A m o s t r a s e P o p u l a ç õ e s 
 
 
 
 
 
Ao fazermos um levantamento com um grande número de dados, dificilmente temos acesso ao todo, que se 
chama população ou universo, então consideramos apenas uma parte dessa população, que se chama 
amostra, e que deve ser aleatória, isto é, todo elemento da população tem a mesma chance que todos os outros 
elementos da população de pertencer a essa amostra. 
 
 
 
Por que se usam amostras? 
 
Resposta: São poucas as razões, mas muito relevantes: 
 
 
 
a) Custo e demora dos levantamentos. 
 
Exemplo 
 
Qual é o peso médio de todos os recém-nascidos vivos no Brasil em determinado ano? 
 
 
 
b) Populações muito grandes. 
 
Exemplo 
 
Quantos peixes têm no mar? 
 
 
 
c) Impossibilidade física de examinar toda a população. 
 
Exemplo 
 
Como uma fábrica faria para testar todos os fósforos por ela produzidos? 
 
 
 
d) Comprovado valor científico das informações coletadas por meio de amostras. 
 
Exemplo 
 
Se um pesquisador quiser estudar os hábitos de consumo de bebidas alcoólicas entre adolescentes de uma 
grande cidade, o melhor que ele pode fazer é uma avaliação criteriosa de uma amostra, ao invés de obter 
uma avaliação sumária de toda a população de adolescentes dessa cidade. 
 
 
 
 
 
P l a n e j a m e n t o d e E x p e r i m e n t o s 
 
 
 
Para o planejamento de um estudo que possa trazer bons resultados, destacamos: 
 
 
a) Definir claramente a população de interesse. 
 
 
b) Identificar com precisão e clareza as questões a serem respondidas. 
 
 
c) Estabelecer um plano de coleta de dados. 
 
 
d) Efetuar a coleta de dados cuidadosamente. 
 
 
e) Analisar os dados obtidos, identificar os possíveis erros e tirar as conclusões. 
 
 
Se os dados amostrais não forem bem coletados de maneira apropriada, eles podem ser de tal modo 
inúteis que nenhuma manipulação estatística poderá salvá-los. 
 
 
 
 
O r g a n i z a ç ã o d e D a d o s 
 
 
 
Após a coleta de um conjunto de dados, a fim de se extrair informações a respeito de uma ou mais 
características de interesse, geralmente fazemos uso de tabelas e gráficos. 
 
Dados brutos: São os dados originais que ainda não se encontram numericamente organizados. 
 
 
ROL: É uma lista em que os valores estão dispostos em ordem crescente ou decrescente. 
 
 
 13
 
 
T A B E L A S E S T A T Í S T I C A S 
 
 
 
Após o término da coleta dos dados de uma pesquisa, devemos apresentar esses dados em tabela (já 
usamos algumas anteriormente). 
Uma tabela é composta de três partes: cabeçalho, corpo e rodapé. 
Cabeçalho: Corresponde ao título, o qual deve explicar o conteúdo da tabela. No exemplo abaixo, de tabela 
histórica, o título é: Censo: População brasileira. 
Corpo: É formado por colunas, nas quais são colocados os dados apurados na pesquisa. No exemplo 
abaixo, de tabela histórica, são as colunas contendo o ano e as respectivas quantidades de pessoas obtidas em 
cada um desses anos. 
Rodapé: Local onde se coloca a fonte dos dados. No exemplo abaixo, de tabela histórica, a fonte é: Censo 
Demográfico do IBGE. 
Essa tabela contém os dados da maneira que foram coletados. 
 
 
 
 
T I P O S D E T A B E L A S E S T A T Í S T I C A S 
 
 
 
1. Tabela Histórica 
 
 
Exemplo: Censo: População brasileira 
 
 
Ano Quantidade 
 
 (em milhões) 
 
 1920 30,6 
 
 1940 41.2 
 
 1950 51,9 
 
 1960 70,2 
 
 1970 93,1 
 
 1980 121.1 
 
 1991 146,8 
 
 2000 166,1 
 
 2010 190,7 
Fonte: Censo Demográfico do IBGE 
 
 
2. Tabela Geográfica 
 
 
Exemplo: Áreas continentais 
 
 Continente Área(106 km²) 
 
 Ásia 43,608 
 
 África 30,335 
 
 América do Norte 23,434 
 
 América do Sul 17,611 
 
 Antártida 13,340 
 
 Europa 10,498 
 
 Oceania 8,923 
 
 América Central 1,915 
Fonte: Atlas Mundial Folha de São Paulo 
 
 
3. Tabela Específica 
 
 
Exemplo: Distribuição da renda na Argentina (2010) 
 
 Classe % da renda 
 
 Pobres 8,2 
 
 Classe média baixa 18,7 
 
 Classe média alta 36,8 
 
 Ricos 36,3 
Fonte: Instituto Nacional de Estatística e Censo 
 
 
 14
 
 
4. Tabela Mista 
 
Exemplo: Área e produção agrícola no Brasil (2009) 
 
 Classe Área Produção 
 
 Norte 3,858 2,2 
 
 Nordeste 1,549 6,8 
 
 Centro-Oeste 1,602 20,0 
 
 Sul/Sudeste 1,503 49,3 
Fonte: IBGE; em milhões de km² e de toneladas 
 
 
 
 
 
5. Tabelas de Dupla Entrada (tabulações cruzadas) 
 
 
Essa tabela contém duas variáveis com dados conjuntos, formando pares de dados. 
 
Exemplos 
 
a) A tabela abaixo apresenta as informações de se ter ou não planos de saúde (variável X) de um grupo de 48 
pessoas, cujas idades (variável Y) estão subdivididas por faixas etárias, em anos: 
 
 X / Y 16 a 25 26 a 35 36 a 45 46 a 55 Total