Slide de Materiais de Construção - Materiais de Pintura

Slide de Materiais de Construção - Materiais de Pintura


DisciplinaMateriais de Construção I5.737 materiais58.806 seguidores
Pré-visualização4 páginas
aderência reduzidas;
	O ideal é que a tinta tenha um aspecto leitoso e espesso, mais ou menos fluida e plástica;
	A pintura exige duas demãos, sendo a primeira dada com a metade da quantidade de cal extinta da demão final;
	Em forros é interessante a adição do gesso à mistura.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Resistentes ao Calor: São formuladas com veículos a base de "siliconas", pós metálicos e pigmentos estáveis ao calor. São usadas como acabamentos em fornos, chaminés, colunas de destilação, câmaras de combustão (figura) etc.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Retardadoras de Combustão: A tinta não é resistente ao calor no sentido de que ela não se altera quando sujeita a temperaturas mais elevadas. A efetividade da camada protetora, ao contrário, depende da decomposição dos componentes da tinta pelo calor.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Indicadoras de Temperatura: As tintas que contém materiais que apresentam uma mudança de cor em temperaturas definidas podem ser usadas para indicar pontos quentes em um equipamento, a eficiência de um isolamento etc.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Anticondensação: Estas tintas diminuem a tendência apresentada por algumas paredes e tetos, principalmente em navios, a se molharem.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Inibidoras do Desenvolvimento de Organismos: De especial interesse aos engenheiros ligados a construção naval, pois previnem o ataque aos navios e ancoradouros pelas larvas marinhas, fungos, algas, mariscos e outros organismos.
TINTAS
	TINTAS ESPECIAIS
	Tintas Luminescentes: Fluorescentes ou Fosforescentes.
VERNIZES
	VERNIZES
	São soluções de goma ou resina, em um veículo;
	A película útil obtida por meio da conversão dessas soluções são transparentes ou translúcidas;
	É aplicada em finas camadas.
	Em alguns casos, é necessário o processo de cura térmica.
	Costuma-se classificá-las em dois tipos:
	Vernizes à base de óleo;
	Vernizes à base de solvente.
VERNIZES
	VERNIZES À BASE DE ÓLEO
	São compostos por uma resina natural ou sintética e por óleos secativos.
	Sua película é formada a partir de reações químicas.
	As propriedades dos vernizes são sujeitas à natureza dos seus componentes principais: a resina e o óleo.
	Quanto maior o teor de óleo no material, mais flexível é a película.
	Possuem aplicações específicas, portanto, deve-se escolher o que melhor se adéqua a superfície a ser tratada.
Baquelite (polímero fenolformaldeído)
VERNIZES
	VERNIZES À BASE DE SOLVENTES
	São chamados de lacas; 
	Os seus compostos são: resina sintética, solventes voláteis, plastificantes, cargas e, ocasionalmente, um corante;
	Sua película é formada a partir da evaporação do solvente, ela apresenta rigidez, alta estabilidade e aspecto brilhante.
	As lacas com adição de siliconas são altamente resistentes às ações térmicas e de umidade excessiva.
VERNIZES
	ESMALTES
	São vernizes ou lacas que possuem a adição de pigmentos. O resultado é um tipo de tinta com capacidade de formar uma película altamente lisa. 
INDICAÇÃO DE APLICAÇÃO
	PAREDES INTERNAS: sistemas com tinta látex, esmalte ou tinta a óleo;
	PAREDES EXTERNAS: sistemas com tinta látex acrílico e caiação;
	TIJOLOS E CONCRETOS APARENTES: tinta à base de silicone, verniz acrílico, caiação;
	MADEIRAS: verniz, esmalte ou tinta a óleo;
	MATERIAIS METÁLICOS: tinta a óleo ou esmalte;
	GESSO: sistemas com tinta látex.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	Cada superfície carece de um preparo especial antes de receber a sua película protetora. Isso ocorre devido aos diferentes materiais que a compõem e também pelo seu estado;
	Providenciar um base própria para a película promoverá uma durabilidade prolongada e também uma otimização da cobertura final;
	A seguir, são apresentados métodos de preparação para três tipos de superfícies mais comuns na construção civil: paredes com reboco, madeira e metal.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	PAREDE COM REBOCO:
	1ª Etapa: Selagem
	Na selagem, a superfície que é coberta por um selador que reduz e uniformiza a absorção inútil e excessiva dela;
	2ª Etapa: Emassamento
	O emassamento é feito com uma massa plástica. No uso interno, é comum utilizar a massa PVA. Em contrapartida, a massa acrílica é recomendada para ambientes externos. Sua função é preencher as rachaduras e nichos existentes na superfície e garantir uma superfície uniforme.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	PAREDE COM REBOCO:
	Cuidados a serem tomados no preparo das superfícies com reboco:
	O reboco deve estar limpo, curado e livre de substâncias que possam prejudicar o desempenho físico-químico da tinta.
	Superfícies que possuam pinturas antigas devem ser lixadas e posteriormente varridas para uma nova aplicação de pintura.
	Quando o mofo estiver presente na base que irá receber a pintura, esta deve ser lavada com mistura de água e água sanitária na proporção de 1:1, depois deve ser enxaguada e pintada logo que estiver seca.
	Em caso de manchas de gordura sobre a base, a lavagem com detergente é indicada, enxagua-se e espere secar para efetuar a pintura.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	MADEIRA:
	O preparo de sua superfície é idêntica a da parede com reboco. Salvo que os materiais a serem devem ser específicos para o uso em madeiras.
	Os cuidados que se deve ter com a madeira são quanto a suas grandes quantidades de substâncias, algumas delas prejudiciais às tintas. Um exemplo são as madeiras com materiais fenólicos que interferem na secagem das tintas.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	METAIS:
	1ª Etapa: Aplicação do fundo antióxido de ancoragem
	Na selagem, a superfície que é coberta por um selador que reduz e uniformiza a absorção inútil e excessiva dela;
	2ª Etapa: Aplicação do complemento
	Há diversos tipos de complementos. Suas características dependem da sua composição. Dentre as funções do complemento estão: a selagem do material metálico, preenchimento de nichos, melhorar a aderência da pintura, dificultar o processo de corrrosão etc.
	Comumente, é aplicado com pincel ou rolo manual.
PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIES
	METAIS:
	Cuidados a serem tomados no preparo das superfícies metálicas:
	A elemento metálico a ser preparado deve estar limpo. Essa limpeza pode ser feita de diversas formas que variam de material para material.
	Em metais que se deseje um melhor desempenho da interface entre o material e a película, como é o caso dos alumínios e galvanizados, é indicado fosfatizar a superfície. Esse procedimento melhorará a aderência e promoverá um fechamento físico e mecânico excelente.
MÉTODOS DE APLICAÇÃO
	APLICAÇÃO A PINCEL E ROLO MANUAL
	A aplicação a pincel é um método relativamente lento e portanto não usualmente empregado em linhas de produção.
	Esse método apresenta suas vantagens, quando se quer obter um melhor contato da tinta com superfícies muito irregulares ou rugosas. Além disso, como ele não envolve equipamentos pesados, linhas de ar comprimido ou cabos elétricos, geralmente é o único método possível de usar em grandes estruturas como pontes, torres metálicas, estruturas metálicas nas industriais etc.
MÉTODOS DE APLICAÇÃO
	NEBULIZAÇÃO A AR COMPRIMIDO
	Consiste em introduzir a tinta num fluxo rápido de ar por meio de um sistema de orifícios adequados, subdividindo-a em minúsculas gotas.
	Este processo e efetivo apenas com tintas de baixa viscosidade, as quais tendem a formar películas que escorrem em superfícies verticais. Pode-se evitar esse defeito adicionando-se "solventes rápidos" (alta velocidade de evaporação).
MÉTODOS DE APLICAÇÃO
	NEBULIZAÇÃO SEM AR
	Uma bomba
Lucas
Lucas fez um comentário
Você tem O trabalho no Word??
0 aprovações
Carregar mais