APOST PORTUGUES CONCURSOS
176 pág.

APOST PORTUGUES CONCURSOS


DisciplinaPortuguês para Concurso718 materiais4.772 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de um nome chama-se complemento nominal. O 
complemento nominal liga-se ao nome que completa por intermédio de preposição: 
a) Desenvolvemos profundo respeito à arte; 
b) A arte é necessária à vida; 
c) Tenho-lhe profundo respeito. 
Os nomes que se fazem acompanhar de complemento nominal pertencem a dois grupos: 
a) substantivos, adjetivos ou advérbios derivados de verbos transitivos, 
b) adjetivos transitivos e seus derivados. 
 
1.3 Termos acessórios da oração e vocativo: 
Os termos acessórios recebem esse nome por serem acidentais, explicativos, 
circunstanciais. 
São termos acessórios o adjunto adverbial, adjunto adnominal e o aposto. 
O adjunto adverbial é o termo da oração que indica uma circunstância do processo 
verbal, ou intensifica o sentido de um adjetivo, verbo ou advérbio. É uma função 
adverbial, pois cabe ao advérbio e às locuções adverbiais exercer o papel de adjunto 
adverbial. 
Amanhã voltarei de bicicleta àquela velha praça. 
As circunstâncias comumente expressas pelo adjunto adverbial são: 
\uf0b7 acréscimo: Além de tristeza, sentia profundo cansaço. 
\uf0b7 afirmação: Sim, realmente irei partir. 
\uf0b7 assunto: Falavam sobre futebol. 
\uf0b7 causa: Morrer ou matar de fome, de raiva e de sede... são tantas vezes gestos 
naturais. 
\uf0b7 companhia: Sempre contigo bailando sob as estrelas. 
\uf0b7 concessão: Apesar de você, amanhã há de ser outro dia. 
\uf0b7 conformidade: Fez tudo conforme o combinado. 
\uf0b7 dúvida: Talvez nos deixem entrar. 
\uf0b7 fim: Estudou para o exame. 
\uf0b7 freqüência: Sempre aparecia por lá. 
\uf0b7 instrumento: Fez o corte com a faca. 
\uf0b7 intensidade: Corria bastante. 
\uf0b7 limite: Andava atabalhoado do quarto à sala. 
 
Sugestões,críticas,envio de questões para resolução em sala,envie e-mail para janainasicoli@hotmail.com 
\uf0b7 lugar: Vou à cidade. 
\uf0b7 matéria: Compunha-se de substâncias estranhas. 
\uf0b7 meio: Viajarei de trem. 
\uf0b7 modo: Foram recrutados a dedo. 
\uf0b7 negação: Não há ninguém que mereça. 
\uf0b7 preço: As casas estão sendo vendidas a preços exorbitantes. 
\uf0b7 substituição ou troca: Abandonou suas convicções por privilégios econômicos. 
\uf0b7 tempo: Ontem à tarde encontrou o velho amigo. 
O adjunto adnominal é o termo acessório que determina, especifica ou explica um 
substantivo. É uma função adjetiva, pois são os adjetivos e as locuções adjetivas que 
exercem o papel de adjunto adnominal na oração. Também atuam como adjuntos 
adnominais os artigos, os numerais e os pronomes adjetivos. 
O poeta inovador enviou dois longos trabalhos ao seu amigo de infância. 
O adjunto adnominal se liga diretamente ao substantivo a que se refere, sem 
participação do verbo. 
Já o predicativo do objeto se liga ao objeto por meio de um verbo. 
O poeta português deixou uma obra originalíssima. 
O poeta deixou-a. 
O poeta português deixou uma obra inacabada. 
O poeta deixou-a inacabada. 
Enquanto o complemento nominal relaciona-se a um substantivo, adjetivo ou advérbio; 
o adjunto nominal relaciona-se apenas ao substantivo. 
O aposto é um termo acessório que permite ampliar, explicar, desenvolver ou resumir a 
idéia contida num termo que exerça qualquer função sintática. 
Ontem, segunda-feira, passei o dia mal-humorado. 
Segunda-feira é aposto do adjunto adverbial de tempo ontem. Dizemos que o aposto é 
sintaticamente equivalente ao termo que se relaciona porque poderia substituí-lo: 
Segunda-feira passei o dia mal-humorado. 
O aposto pode ser classificado, de acordo com seu valor na oração, em: 
a) explicativo: A lingüística, ciência das línguas humanas, permite-nos interpretar 
melhor nossa relação com o mundo. 
b) enumerativo: A vida humana se compõe de muitas coisas: amor, arte, ação. 
c) resumidor ou recapitulativo: Fantasias, suor e sonho, tudo isso forma o carnaval. 
d) comparativo: Seus olhos, indagadores holofotes, fixaram-se por muito tempo na 
baía anoitecida. 
Além desses, há o aposto especificativo, que difere dos demais por não ser marcado por 
sinais de pontuação (dois-pontos ou vírgula). 
A rua Augusta está muito longe do rio São Francisco. 
O vocativo é um termo que serve para chamar, invocar ou interpelar um ouvinte real ou 
hipotético. 
A função de vocativo é substantiva, cabendo a substantivos, pronomes substantivos, 
numerais e palavras substantivadas esse papel na linguagem. 
 
 
 
 
 
 
Sugestões,críticas,envio de questões para resolução em sala,envie e-mail para janainasicoli@hotmail.com 
2. Período composto por coordenação: 
O período composto por coordenação é formado por orações sintaticamente completas, 
ou seja, equivalentes. 
Os homens investigam o mundo, descobrem suas riquezas e constroem suas sociedades 
competitivas. 
O período acima é formada por três orações, no entanto essas orações são independentes 
e poderiam constituir orações absolutas, caracterizando o período composto por 
coordenação. 
Quanto às orações coordenadas, elas estão divididas em assindéticas e sindéticas, sendo 
estas aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas. 
As orações coordenadas assindéticas são aquelas ligadas sem o uso da conjunção: 
Um pé-de-vento cobria de poeira a folhagem das imburanas, sinhá Vitória catava 
piolhos no filho mais velho, Baleia descansava a cabeça na pedra de amolar. 
Já as orações coordenadas sindéticas são aquelas ligadas por meio de conjunções: 
Dormiu e sonhou. 
As orações coordenadas sindéticas aditivas são ligadas por meio de conjunções aditivas. 
Ocorrem quando os fatos estão em seqüência simples, sem que acrescente outra idéia. 
As aditivas típicas são e e nem. 
Discutimos as várias propostas e analisamos possíveis soluções. 
Não discutimos as várias propostas, nem (e não) analisamos quaisquer soluções. 
As orações sindéticas aditivas podem também ser ligadas pelas locuções não só, mas 
(também), tanto ... como. 
Não só provocaram graves problemas, mas (também) abandonaram os projetos de 
reestruturação social do país. 
As coordenadas sindéticas adversativas são introduzidas pelas conjunções adversativas. 
A segunda oração exprime contraste, oposição ou compensação em relação à anterior. 
As adversativas típicas são mas, porém, contudo, todavia, entanto, entretanto, e as 
locuções no entanto, não obstante, nada obstante. 
Este mundo é redondo mas está ficando muito chato. 
O país é extremamente rico; o povo, porém, vive em profunda penúria. 
Já as coordenadas sindéticas alternativas são introduzidas por conjunções alternativas, 
indicando pensamentos ou fatos que se alternam ou excluem. A conjunção alternativa 
típica é ou. Há também os pares ora... ora, já... já, quer... quer, seja... seja. 
Diga agora ou cale-se para sempre. 
Ora atua com dedicação e seriedade, ora age de forma desleixada e relapsa. 
As coordenadas sindéticas conclusivas são introduzidas por conjunções conclusivas. 
Nesse caso, a segunda oração exprime conclusão ou conseqüência lógica da primeira. 
As conjunções e locuções típicas são logo, portanto, então, assim, por isso, por 
conseguinte, de modo que, em vista disso, pois (apenas quando não anteposta ao 
verbo). 
Aquela substância é altamente tóxica, logo deve ser manuseada cautelosamente. 
A situação econômica é delicada; devemos, pois, agir cuidadosamente. 
As coordenadas sintéticas explicativas são introduzidas por conjunções explicativas e 
exprimem o motivo, a justificativa de se ter feito a declaração anterior. As conjunções 
explicativas são que, porque e pois (anteposta ao verbo). 
"Vem, que eu te quero fraco." 
Ele se mudou, pois seu apartamento está vazio. 
 
 
Sugestões,críticas,envio de questões para resolução em sala,envie e-mail para janainasicoli@hotmail.com 
 
3. Período composto por subordinação: 
O período composto por subordinação é aquele composto por uma