Aula 3   Modificações da dieta
66 pág.

Aula 3 Modificações da dieta


DisciplinaDietoterapia I1.261 materiais7.573 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Modificações da 
Dieta Normal 
Christielle Félix Barroso 
 
 Nutricionista - UECE 
Mestre em Nutrição e Saúde (enfoque em IRC em hemodiálise) - UECE 
Centro Universitário Estácio do Ceará 
Curso de Nutrição 
Disciplina: Fisiopatologia da Nutrição e Dietoterapia I 
DIETA 
Corresponde à alimentação de um indivíduo ou de 
um grupo de indivíduos 
\u2022 Padrões alimentares 
\u2022 Combinação recomendada de alimentos 
OBJETIVO: 
\u2192 atender às necessidades energéticas e recomendações para 
ingestão de nutrientes: 
\u2022 estado nutricional 
\u2022 fisiológico 
\u2022 patológico 
 
\u2192 Em situações hospitalares: 
\u2022 estado clínico 
\u2022 manutenção/recuperação da saúde 
PRESCRIÇÃO DA DIETA 
Adequar as necessidades requeridas 
Calcular o plano alimentar (tabelas de composição química dos alimentos) 
Determinar macronutrientes e micronutrientes 
Determinar o peso adequado e as necessidades calóricas 
Detecção de deficiências nutricionais 
Avaliação nutricional 
(anamnese alimentar, exames antropométricos, clínicos e laboratoriais) 
Conhecer a patologia 
Dietas padronizadas em todos os hospitais: 
 
\u2022 uniformidade 
\u2022 condutas sistematizadas 
\u2022 conveniência do serviço 
 
\uf0fcfacilitando o trabalho na produção e a distribuição das refeições 
\uf0fcgarantindo a qualidade do serviço prestado 
Dietas 
nutricionalmente 
adequadas 
Podem sofrer modificações quanto a: 
\u2022 consistência 
\u2022 adequação de valor calórico 
\u2022 alteração nas proporções de macronutrientes 
\u2022 acréscimo ou restrição de nutrientes 
DIETAS 
DE 
ROTINA 
Recuperação 
ou 
manutenção 
da saúde 
Sem 
restrições 
alimentares 
Alimentos que o 
paciente é capaz 
de comer 
Com 
modificações 
alimentares 
Modificações \u2013 Consistência: 
\u2022 Permitem adaptação da dieta ao paciente, em casos de 
dificuldade na aceitação, ou na transição para outros tipos de dieta. 
\u2022 São feitas modificações na textura dos alimentos 
\u2022 Tipos: Geral, Branda, Pastosa, Leve, Líquida, Líquida Restrita 
 
Modificações \u2013 Valor Calórico: 
\u2022 Há modificação no valor calórico (necessidades energéticas) 
- Hipocalóricas (valor calórico aquém/abaixo das necessidades 
energéticas estimadas) 
 Ex.: excesso de peso 
- Hipercalóricas (valor calórico além/acima das necessidades 
energéticas estimadas) 
Ex.: estados catabólicos (queimaduras, câncer, doenças 
infecciosas) 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Calorias * 
\u2022 Quantidades normais de calorias, dentro das necessidades de 
cada paciente. 
Normocalórica: 
\u2022 Restrita em calorias 
\u2022 Função: Produzir balanço energético negativo \uf0e0 perda de peso 
\u2022 Indicações: Pacientes obesos ou com doenças que requerem 
urgência em perda de peso. 
Hipocalórica: 
\u2022 Quantidades aumentadas de calorias 
\u2022 Função: Gerar balanço positivo \uf0e0 ganho de peso 
\u2022 Indicação: Pacientes em subnutrição 
Hipercalórica: 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Proteínas * 
\u2022 Quantidades normais de proteínas, segundo as necessidades 
Normoprotéica: 
\u2022 Quantidades diminuídas de proteínas 
\u2022 Finalidade: Prevenir o acúmulo de metabólitos nitrogenados 
\u2022 Alimentos comuns: Doces à base de frutas, mel e vegetais 
\u2022 Indicações: Pacientes com IRC, Encefalopatia Hepática ou outra 
patologia cujo catabolismo protéico possa interferir na evolução 
Hipoprotéica: 
\u2022 Quantidades aumentadas de proteínas 
\u2022 Finalidade: Produzir balanço positivo de nitrogênio 
\u2022 Indicações: Pacientes em estado de hipercatabolismo 
Hiperprotéica: 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Carboidratos * 
\u2022 Quantidades normais de hidratos de carbono, conforme as 
necessidades 
Normoglicídica: 
\u2022 Quantidades de carboidratos reduzidas 
\u2022 Pode reduzir HC, sem diminuir calorias 
\u2022 Ex.: DM \uf0e0 dieta pobre em glicídios simples 
Hipoglicídica: 
\u2022 Quantidades aumentadas de carboidratos 
Hiperglicídica: 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Lipídios * 
\u2022 Quantidades normais de gorduras, segundo as necessidades 
Normolipídica: 
\u2022 Pobre em gorduras, principalmente saturadas 
\u2022 Indicações: Pacientes com hipercolesterolemia e obesos 
Hipolipídica: 
\u2022 Boa quantidade de gorduras 
\u2022 Principalmente: Triglicerídeos de Cadeia média (TCMs) 
\u2022 Indicações: Tratamento de desnutrição grave 
\u2022 Nem sempre é hipercalórica 
\u2022 Pode ser ajustada de acordo com as necessidades 
\u2022 Foco nas gorduras de boa qualidade 
Hiperlipídica: 
Modificações \u2013 Acréscimo ou Restrição de Nutrientes: 
\u2022 São feitas alterações na quantidade de nutrientes 
 
 -Diminuição ou aumento de nutrientes, aquém ou além das 
quantidades recomendadas 
 
\u2022 Modificações das dietas quanto ao teor de: 
- Exemplos: colesterol, potássio, purinas, sódio, glúten, fibras, água, 
aminoácidos, vitamina K 
 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Sódio e Potássio * 
\u2022 Pobre no eletrólito/mineral Sódio (Na) 
\u2022 Exemplo de alimentos excluídos: adoçantes, embutidos, enlatados, 
conservas dentre outros. 
\u2022 Indicações: Hipertensos, cardiopatas, com retenção de líquidos 
(edemas) etc 
Hipossódica: 
\u2022 Indicações: Pós-operatórios, má nutrição, perdas gastrintestinais e 
alcalose metabólica (\uf068 pH sanguíneo), IC 
Rica em potássio: 
\u2022 Indicações: doenças renais onde a acidose metabólica é comum, 
Pobre em potássio: 
\u2022 Objetivo: Aumentar a motilidade intestinal 
\u2022 Redução do risco de doenças cardíacas 
\u2022 Equilíbrio glicêmico 
\u2022 A dieta rica em fibras deve fornecer variáveis de fibras 
Rica em fibras: 
\u2022 Objetivo: Diminuir o esforço gastrintestinal. 
\u2022 Indicações: Problemas no TGI e cirurgias de cólon 
Pobre em Fibras: 
\u2022 Restringe a utilização de gorduras saturadas 
\u2022 Utilização moderada de gorduras poli e monoinsaturadas 
\u2022 Indicações: DLP, HAS 
Pobre em colesterol: 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Fibras e Colesterol * 
\u2022 Indicações: 
\u2022 IRA: rins incapazes de manter a homeostasia de água e 
eletrólitos 
\u2022 Fases oligúricas da doença. 
\u2022 Associada à restição de sódio e potássio. 
Restrita em líquidos: 
Prescrição da Dieta: Equilíbrio de Nutrientes 
* Líquidos * 
Dietas modificadas 
quanto à consistência 
DIETA GERAL (OU NORMAL OU LIVRE) 
Indicação: 
\u2022 ausência de alterações metabólicas importantes 
\u2022 funções de mastigação e gastrointestinais preservadas 
\u2022 sem risco nutricional (não necessitam de restrições ou acréscimos 
específicos) 
 
Características: 
\u2022 Sem processamento específico na textura/consistência dos alimentos 
\u2022 Composição química: quantidade recomendada de nutrientes (proteínas, 
carboidratos, lipídios, vitaminas e minerais), com a finalidade de 
manutenção da saúde e estado nutricional adequado 
 
 
VCT = 1600 a 2200 calorias 
PTN: 10 a 15% do VCT 
LIP: 25 a 30% do VCT 
HC: 50 a 60% do VCT 
DIETA GERAL (OU NORMAL OU LIVRE) 
Alimentos recomendados: 
\u2022 Todos os alimentos recomendados 
para alimentação nutricionalmente 
adequada. 
 
 
 
Alimentos não recomendados: 
\u2022 Nenhum. 
OBS: EVITAR! 
Alimentos de muito difícil digestão 
Alimentos ricos em gorduras e açúcar 
Guloseimas, croissant, bolos 
recheados e com coberturas, 
salgados e folhados, enlatados, 
salames, mortadelas, presunto e 
outros embutidos 
EXEMPLO DE DIETA GERAL (OU NORMAL OU LIVRE) 
Café da manhã 
Café com Leite Desnatado 
(com açúcar) 
Pão francês com margarina 
Banana 
 
Lanche da manhã 
Tangerina 
 
Almoço 
Salada de agrião, cenoura e tomate 
Bife acebolado 
Beterraba no vapor 
Arroz 
Feijão 
Doce de goiaba 
Lanche da tarde 
Leite Desnatado 
Bolachas água e sal 
Maçã 
 
Jantar 
Salada de alface com pimentão 
Frango grelhado 
Abóbora refogada 
Arroz 
Feijão