A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
140 pág.
AULAS DE 1 A 10 - Contabilidade Tributária(1)

Pré-visualização | Página 11 de 39

é sempre aplicada para estes tributos independente da opção de tributação, Lucro Real, Presumido ou Arbitrado;
A não cumulatividade é aplicada somente para o PIS e a COFINS para as empresas optantes pelo Lucro Real, Presumido e Arbitrado;
A cumulatividade é aplicada sempre para o ICMS e IPI, independentemente, da opção de tributação: Lucro Real, Presumido ou Arbitrado;
A não cumulatividade é aplicada para todos optantes pelo Lucro Real e a cumulatividade para o PIS e a COFINS, no caso dos optantes do Lucro Presumido e Arbitrado;
A opção dos regimes cumulativos e não cumulativos de todos estes tributos dependerá do contribuinte em função da opção pelo Lucro Real, Presumido ou Arbitrado. 
Com relação ao IPI nas organizações industriais, pode-se afirmar que:
Nem sempre é compensável nas operações de compra matérias-primas;
É sempre compensável mesmo nas operações de venda de imobilizado;
É sempre compensável nas compras de matérias-primas para a produção;
É sempre compensável inclusive nas aquisições de imobilizado;
Compõe sempre o custo de aquisição na compra de matérias-primas.
 
Considere uma transação de venda de produtos realizada por uma empresa industrial, cujo total da fatura foi de R$5.250,00, considerando IPI à alícota de 5%, ICMS à alícota de 18%, PIS a 1,65% e COFINS a 7,6%. Com base nestes dados a Receita Líquida de Vendas e o Faturamento Bruto apurados foram: 
R$4.199,50 e R$5.512,50; 
R$3.687,50 e R$5.250,00; 
R$3.637,50 e R$5.512,50; 
R$3.937,50 e R$5.512,50; 
R$4.199,50 e R$5.250,00.
Uma distribuidora de laticínios adquire direto do fabricante um carregamento produtos para revenda, cujo valor total da fatura é de R$8.500,00, incidente na operação IPI, ICMS, PIS e COFINS, às alícotas de 6,25%, 17%, 1,65% e 7,6%, respectivamente. Com base nestas informações indique a alternativa que apresente o valor da Receita Bruta e Líquida de venda do fabricante nesta operação.
R$7.140,00 e R$6.400,00;
R$8.000,00 e R$5.840,00; 
R$8.000,00 e R$5.900,00.
R$8.500,00 e R$7.140,00;
R$7.140,00 e R$5.900,00.
Uma empresa industrial adquire, diretamente do fabricante, matérias-primas por R$25.000,00, mais IPI à alícota de 5%. O ICMS incidente na operação foi de 17%, PIS à alícota de 1,65% e COFINS à alíquota de 7,6%. Com base nestas informações indique a alternativa que contempla a Receita Líquida de Vendas do fornecedor e o Custo de Aquisição do comprador na operação.
R$26.250,00 e R$18.437,50; 
R$19.687,50 e R$18.046,50;
R$17.187,50 e R$19.687,50;
R$18.437,50 e R$25.000,00; 
R$18.437,50 e R$18.437,50. 
Gabarito (A, D, C, B, C, E)�
AULA 5
FATOS QUE ALTERAM O VALOR DAS COMPRAS E DAS VENDAS
# DEVOLUÇÕES E ABATIMANTOS #
OBJETIVOS
CONCEITUAR OS FATOS QUE AFETAM AS COMPRAS E VENDAS;
COMPREENDER E APLICAR O ADEQUADO TRATAMENTO CONTÁBIL DESTES FATOS;
APURAR E COMPENSAR TRIBUTOS INCIDENTES;
COMPREENDER, REGISTRAR E EVIDENCIAR OS EFEITOS SOBRE O PATRIMÔNIO E O RESULTADO.
INTRODUÇÃO
Em todos os tipos de transações, frequentemente se operam negociações que alteram os custos de aquisição nas atividades de compra e as receitas obtidas nas atividades de venda. Para os efeitos contábeis os fatos que alteram o valor negociado e pago nestas transações são os abatimentos, os descontos, as devoluções de compras e os cancelamentos das vendas, ocorrências que afetam o patrimônio e os resultados das organizações, devendo ser tratados adequadamente pelo sistema contábil. Neste contexto, o valor real de uma transação não é somente o constante da nota fiscal, mas o valor resultante da negociação, não obstante aos gastos necessários para a colocação do produto em condições de venda, bem como os tributos incidentes nestas transações. Nessa aula iremos tratar destes fatos, seu reconhecimento e registro, bem como os seus efeitos sobre o patrimônio e o resultado.
FATOS QUE ALTERAM COMPRAS E VENDAS
Conforme visto os diversos fatos que acontecem nas negociações e que ocasionam a alteração nos valores das compras e das vendas são:
DEVOLUÇÕES DE COMPRAS
DEVOLUÇÕES DE VENDAS ou VENDAS CANCELADAS
ABATIMENTOS SOBRE COMPRAS
ABATIMENTOS SOBRE VENDAS
DESCONTOS INCONDICIONAIS ou COMERCIAIS
DESCONTOS CONDICIONAIS ou FINANCEIROS
DEVOLUÇÕES DE COMPRAS
O lançamento de devolução de compras pode ser feito em conta retificadora àquela que registra as aquisições, conhecida como DEVOLUÇÕES DE COMPRAS. Pode-se, também, registrar a devolução diretamente na conta que registra o estoque de mercadorias. Este modelo é comumente usado pelas empresas que adotam o sistema de inventário permanente. O fluxo contábil é o seguinte:
Quando as devoluções são efetuadas, a conta é creditada;
Ao fim do período de apuração a conta é debitada para transferência de seu saldo para a conta compras ou outra que seja utilizada para o registro das aquisições de mercadorias, com a finalidade de se apurar as compras líquidas.
A contrapartida será a débito de uma conta que registre a forma de negociação da aquisição, ou seja, quando se tratar de transação a prazo debita-se uma conta que registre a obrigação da empresa (Fornecedores, Contas a Pagar ou similar), ou debita-se caixa ou bancos, quando se referir à transação à vista.
Ao ocorrer uma devolução de compras, as legislações tributárias determinam que os valores recuperáveis dos impostos e contribuições que incidiram na operação sejam estornados. Assim, efetua-se, no mesmo lançamento, um crédito na C/C ICMS, de C/C IPI, de C/C PIS de C/C COFINS (quando for o caso) por se tomarem insubsistentes, debitando-se Fornecedores (ou Duplicatas a Pagar ou Caixa ou Bancos, ou conta similar), conforme o exemplo abaixo:
Uma empresa comercial adquiriu 100 mesas para revenda, à vista, pelo valor de R$10.000, mais IPI à alíquota de 10%, ICMS à alíquota de 17%, PIS à alíquota de 1,65% e COFINS à alíquota de 7,6%. Quando recebeu as mercadorias, verificou que cinco mesas se encontravam com defeito. Por este motivo devolveu-as. Os registros contábeis da compra e da devolução das mercadorias são:
Aquisição
Composição da transação:
	ITENS
	R$
	Valor da compra
	10.000,00
	IPI (10% x 10.000,00) – cobrado destacadamente
	1.000,00
	Valor total da nota 
	11.000,00
	ICMS (17% x 10.000,00) - incluído no preço
	1.700,00
	PIS (1,65% x 11.000,00) - incluído no preço
	181,50
	COFINS (7,6% x 11.000,00) - incluído no preço
	836,00
	Valor líquido da aquisição
	8.282,50
Obs: Como o IPI não é recuperável no exemplo supra, porém o produto é destinado à comercialização, seu valor não entra na base de cálculo do ICMS, conforme o art. 155, § 2º, inciso XI, da Constituição Federal. Porém, integra a base de cálculo do PIS e da COFINS, e por interpretação ao disposto nos arts. 66, § 3º, da Instrução Normativa nº247/2002, e 8º, § 3º, inciso I, da Instrução Normativa SRF nº404/2004.
DIVERSOS
a BANCOS C/ MOVIMENTO
MERCADORIAS			R$8.282,50
C/C ICMS 				R$1.700,00
C/C PIS				R$ 181,50
C/C COFINS 			R$ 836,00	 	R$11.000,00
Devolução
Composição da transação:
	ITENS
	R$
	Valor da devolução
	500,00
	IPI (10% x 500,00) – cobrado destacadamente
	50,00
	Valor total da nota 
	550,00
	ICMS (17% x 500,00) – incluído no preço
	85,00
	PIS (1,65% x 550,00) – incluído no preço
	9,08
	COFINS (7,6% x 550,00) – incluído no preço
	41,80
	Valor líquido da mercadoria devolvida
	414,12
BANCOS C/ MOVIMENTO (se houver a devolução do dinheiro, senão direito a receber)
a DIVERSOS
a DEVOLUÇÃO DE COMPRAS 		R$414,12
a C/C ICMS					R$ 85,00
a C/C PIS					R$ 9,08
a C/C COFINS				R$ 41,80 		R$ 550,00
DEVOLUÇÃO DE VENDAS
Quando o adquirente de mercadorias devolve parte ou toda a compra efetuada, obviamente este fato irá gerar uma REDUÇÃO no resultado da empresa vendedora. Na prática o que aconteceu foi que a empresa vendeu menos. Para um correto entendimento da operação, usando o mesmo exemplo do