A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
140 pág.
AULAS DE 1 A 10 - Contabilidade Tributária(1)

Pré-visualização | Página 26 de 39

bruta auferida mensalmente, observadas as disposições a seguir.
A regra geral para a apuração da base de cálculo do imposto mensal devido por estimativa sobre a receita bruta é de 8%. Esta "regra geral" alcança, especificamente, receitas das seguintes atividades:
 
Da venda de produtos de fabricação própria ou adquiridos para revenda; 
Da industrialização, por encomenda, de produtos em que os insumos tenham sido fornecidos por quem encomendou a industrialização; 
De serviços hospitalares; 
De transporte de cargas; 
De atividades de loteamento de terrenos, incorporação imobiliária e venda de imóveis construídos ou adquiridos para revenda; 
Da atividade de construção por empreitada, quando houver emprego de material fornecido pelo empreiteiro (ADN 6/97);
Da atividade rural.
Para exemplificar a apuração da base de cálculo pela regra geral, considere-se uma empresa comercial com receita bruta mensal mais acréscimos de R$120.000. Nesta opção, a base de cálculo para fins de estimativa do Imposto de Renda sobre a receita bruta seria de R$9.600 (120.000 x 8%). Neste caso o imposto devido seria de R$1.440 = 15% de R$9.600.
Percentual Sobre Receita de Combustíveis
O percentual de 1,6% aplica-se sobre a receita bruta mensal auferida na revenda para consumo de combustível derivado de petróleo (querosene, gasolina, óleo diesel), álcool etílico carburante e gás natural (Lei 9.249/95, art. 15, § 1º, inc. I). É importante notar que não é qualquer derivado de petróleo que tem este percentual de estimativa do lucro. O óleo lubrificante, por exemplo, vendido no posto de gasolina, tem o lucro projetado em 8%.
Serviços de Transporte de Passageiros e Serviços Financeiros
O lucro será estimado em 16% (dezesseis por cento):
Para a atividade de prestação de serviços de transporte, exceto o de carga para o qual se aplicará o percentual de 8%;
Para as pessoas jurídicas cujas atividades sejam de bancos comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras de títulos, valores mobiliários e câmbio, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de seguros privados e de capitalização e entidades de previdência privada aberta.
Prestação de Serviços em Geral
A estimativa será de 32% (trinta e dois por cento), para as atividades de:
Prestação de serviços em geral, exceto os já mencionados anteriormente;
Intermediação de negócios;
Administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis e direitos de qualquer natureza;
prestação cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia, mercadológica, gestão de crédito, seleção de riscos, administração de contas a pagar e a receber, compra de direitos creditórios resultantes de vendas mercantis a prazo ou de prestação de serviços (factoring).
Prestação de serviços de profissões legalmente regulamentadas.
Enquadra-se na letra "a" a construção por administração ou empreitada unicamente de mão-de-obra quando não há fornecimento de materiais, e qualquer outro serviço não mencionado expressamente.
As atividades de corretagem de seguros ou de imóveis e as de representação comercial são consideradas atividades de intermediação de negócios mencionada no item "b".
Na letra "c" está compreendida a receita proveniente da administração de imóveis próprios e de terceiros. Os rendimentos de aluguéis de imóveis próprios, quando a empresa tem como objeto a administração de imóveis próprios, são considerados receita bruta para efeito de cálculo do imposto a ser pago por estimativa, aplicando-se o percentual de 32% (ou 16%). Os rendimentos de aluguéis, quando o objeto da empresa não é a administração de imóveis próprios, serão considerados nas demais receitas e não como receita bruta (ADN 10/93).
Prestadoras de Serviços de Baixa Receita
A base de cálculo mensal do imposto das pessoas jurídicas exclusivamente prestadoras de serviços, relacionadas nas letras "a" até "d" do item precedente, cuja receita bruta não ultrapasse, no ano, a R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais), será determinada mediante aplicação do percentual de 16% (dezesseis por cento) sobre a receita bruta auferida mensalmente. Vale lembrar que serviços hospitalares e de transporte de carga são estimados, independentemente de valor, em 8%.
Se, no decorrer do ano, a receita bruta ultrapassar o limite de R$ 120.000,00 e a empresa, antes de atingir este patamar, estimou o lucro com a utilização do percentual favorecido de 16%, considera-se ter havido uma insuficiência de IR estimado. Neste caso, no mês em que se registrar o excesso, a empresa apurará a estimativa calculada em 32% sobre a receita bruta total do mês, e acrescerá, ao lucro assim determinado, a insuficiência de lucro dos meses anteriores em razão da aplicação do percentual de 16%. A insuficiência será recolhida juntamente com o IR estimado relativo ao mês do excesso, sem acréscimos legais (IN nº11/96, art. 3º,§§ 3º e 4º).
A questão do percentual de estimativa diferenciado (16% ou 32%), utilizável pelas empresas de prestação de serviços em geral, em razão do montante anual do faturamento (R$120.000,00), apresenta-se confusa, pois a empresa normalmente não tem como prever, ao iniciar os recolhimentos mensais, se a receita do ano superará ou não o limite. Neste caso, inicia-se apurando o lucro estimado pela aplicação, sobre a receita bruta mensal, do percentual de 16%. Caso a receita bruta supere o limite anual de R$120.000,00, o que faz com que o lucro de todos os meses do ano deva ser estimado pelo percentual de 32%, haverá recolhimento complementar, calculado retroativamente, vencendo-se o imposto de renda (e a contribuição social sobre o lucro líquido) juntamente com aquele apurado no mês em que o limite foi ultrapassado, não havendo, porém, necessidade de recolhê-lo com acréscimos de juros e multa.
Para exemplificar, suponhamos que uma empresa prestadora de serviços de lavagem de veículos, tributada pelo lucro real anual, apurou nos quatro primeiros meses do ano de 2004 a seguinte receita bruta:
1º mês: R$ 30.000,00;
2º mês: R$ 50.000,00;
3º mês: R$ 50.000,00;
4º mês: R$ 20.000,00.
O imposto de renda correspondente, caso haja opção pelos recolhimentos mensais calculados por estimativa sobre a receita bruta e acréscimos, deverá ser recolhido nas seguintes datas e valores:
O relativo ao mês 1 - no último dia útil de 02, de R$720,00 (30.000,00 x 16% x 15%);
O relativo ao mês 2 - no último dia útil do mês 03, de R$1.200,00 (50.000,00 x 16% x 15%);
O relativo ao mês 3 (e diferenças dos meses 1 e 2), mês em o limite de R$120.000,00 foi superado - no último dia útil do mês 4, de R$4.320,00 [30.000,00 x 16% (mês 1) + 50.000,00 x 16% (mês 2) + 50.000,00 x 32% (mês 3)] x 15%;
O relativo ao mês 4 - no último dia útil do mês 5, de R$ 960,00 (20.000,00 x 32% x 15%).
Nos meses seguintes, qualquer que seja a receita bruta, o percentual será de 32%, uma vez que a empresa alcançou o limite já no 3º mês.
Percentual de Estimativa em Atividades Mistas
Para fins de estimativa, quando a empresa exerce diversas atividades, isto é, a receita bruta tem origem em atividades de natureza distinta, os percentuais de estimativa serão aplicados separadamente.
A título de ilustração, consideremos um posto de gasolina que possui em determinado mês receitas de diversas origens, todas derivadas de atividades objeto da empresa. Este apurará a base de cálculo para fins de lucro estimado, considerando isoladamente cada receita, aplicando sobre esta o respectivo percentual, como segue:
	Origem da Receita
	Receita
	%
	Base de Cálculo
	Revenda de Combustíveis
	500.000,00
	1,6%
	8.000,00
	Revenda de acessórios para veículos
	30.000,00
	8%
	2.400,00
	Revenda de óleo lubrificante
	50.000,00
	8%
	4.000,00
	Serviços de lavagem

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.