A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
281 pág.
Manual de Petições

Pré-visualização | Página 8 de 50

quantia de R$ .................., acrescida de correção
e juros legais, custas e honorários de advogado, na razão de 20% do valor total do débito,
no tríduo legal, ou justificar a impossibilidade de fazê-lo, tudo de conformidade com o
dispositivo legal invocado;
b) os benefícios do art. 172, § 2º do CPC, para efeitos da citação;
c) seja a presente recebida e julgada no presente processo, nos termos do art. 589 do
CPC.
 Termos em que
Pede e espera deferimento.
(Local e data)
(Nome do advogado)
 (Número da OAB)
34
Execução de obrigação de fazer
Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da ...... Vara da Comarca de (cidade) - (UF)
 (deixar aproximadamente, 20 linhas em branco)
(NOME DO AUTOR), (nacionalidade), (estado civil), (profissão) e domiciliado
nesta cidade, na rua ..............., portador do CPF nº ................. e da Identidade nº ....................,
vem, mui respeitosamente, por seu advogado e bastante procurador, dizer que é esta para
promover
EXECUÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER
em face de (NOME DO RÉU), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), portador do CPF
nº ............................ e da Identidade nº ...................., residente e domiciliado nesta cidade,
na rua ..............., com fundamento nos arts. 633 e seguintes do CPC, pelos motivos fáticos
e de direito a seguir expostos.
1. Por sentença desse ínclito juízo, prolatada nos autos do processo nº
.............. da (NOME DA AÇÃO), o Réu foi condenado a pintar três quadros representativos
de ................, consoante estipulado no contrato que figura às fls. ... dos respectivos autos.
2. O Réu se abstém de cumprir a obrigação, apesar de intimado do trânsito
em julgado da sentença condenatória.
3. Na obrigação de fazer personalíssima, o credor poderá requerer ao juiz
que assine prazo ao devedor para cumpri-la. Havendo recusa ou mora do devedor, a
obrigação pessoal converter-se-á em perdas e danos, aplicando-se o disposto no nos arts.
633 e 638 do Código de Processo Civil, como se vê a seguir:
Art. 633
“Se, no prazo fixado, o devedor não satisfizer a obrigação, é lícito ao credor, nos próprios
35
autos do processo, requerer que ela seja executada à custa do devedor, ou haver perdas e
danos; caso em que ela se converte em indenização.
Parágrafo único. O valor das perdas e danos será apurado em liquidação, seguindo-se a
execução para cobrança de quantia certa.”
Art.638
“Nas obrigações de fazer, quando for convencionado que o devedor a faça pessoalmente, o
credor poderá requerer ao juiz que lhe assine prazo para cumpri-la.
Parágrafo único. Havendo recusa ou mora do devedor, a obrigação pessoal do devedor
converter-se-á em perdas e danos, aplicando-se outrossim o disposto no artigo633.”
Pelo exposto, requer a V. Excia. que se digne mandar citar o devedor
para, no prazo já constante do julgado, realizar as obras, respondendo, em caso de
recusa ou mora, por perdas e danos, convertida em indenização a obrigação de fazer.
D.R.A. esta, com seus inclusos documentos, dá à causa o valor de R$ ..............
Termos em que
Pede e espera deferimento.
(Local e data)
(Nome do advogado)
 (Número da OAB)
36
Execução de quantia certa contra devedor insolvente
Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da ...... Vara da Comarca de (cidade) - (UF)
 (deixar aproximadamente, 20 linhas em branco)
(NOME DO AUTOR), (nacionalidade), (estado civil), (profissão) e domiciliado
nesta cidade, na rua ..............., portador do CPF nº ................. e da Identidade nº ....................,
vem, mui respeitosamente, por seu advogado e bastante procurador, dizer que é esta para
promover
EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR INSOLVENTE
em face de (NOME DO RÉU), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), portador do CPF
nº ............................ e da Identidade nº ...................., residente e domiciliado nesta cidade,
na rua ..............., com fulcro nos arts. 748 e seguintes do CPC, pelos motivos fáticos e de
direito a seguir expostos.
DOS FATOS
1 - Que o Exequente tornou-se credor do Executado, da importância total de
R$ .................. (valor por extenso), quantia essa representada por 23 (vinte e três) Notas
Promissórias de R$ ........... (valor por extenso) cada uma.
2 - Que as supra mencionadas Notas Promissórias estão todas elas vencidas,
tendo a primeira seu vencimento em ................ e as demais, todo dia cinco de cada mês
subsequente, até a última, vencida em ............. .
3 - Que a dívida, assim contraída pelo Executado, a favor do Exequente, foi
garantida por aval, sendo a avalista a senhora .................., mulher do Executado.
4 - Que apresenta o Exequente no corpo desta, planilha de cálculo onde se
37
encontram as correções e juros de mora correspondentes a cada promissória, resultando
hoje a dívida em um montante de R$ .............. (valor por extenso).
 (fazer planilha expondo as notas promissórias e seus valores e vencimentos)
5 - Que o Exequente envidou todos os esforços para receber amigavelmente,
diga-se de passagem aceitando até mesmo em uma possibilidade de acordo, o valor originário
sem correção, tendo, no entanto, sido infrutíferos seus esforços, não lhe restando outra
alternativa, a não ser ajuizar ação de Execução para, invocando a tutela jurisdicional ver
cumprida a obrigação do Executado.
6 - Acontece que em uma proposta de acordo, o Executado tentou numa
manobra ilícita e desonesta, dar como garantia da dívida, imóvel em construção, que não
mais lhe pertencia, uma vez que já havia transferido o mesmo, para seu filho menor impúbere.
Assim procedendo, sem dúvida alguma, ficou de forma evidentemente estampada, a má-fé
daquele ao oferecer em garantia real, bem que não lhe pertencia.
7 - Por outro lado, o Exequente foi tomado de surpresa ao saber que o
Executado, por informações do próprio e de terceiros, não tem mais qualquer bem em seu
nome, pois, mais uma vez, numa manobra espúria, em flagrante fraude contra credores,
face à sua situação econômica, o Executado transferiu seu patrimônio, para nome de
terceiros, constando até que entre estes terceiros, alguns deles sejam parentes daquele.
8 - Mais recentemente o Exequente tomou conhecimento que o Executado
está promovendo alteração contratual na JUNTA COMERCIAL DO ESTADO ...................,
com o propósito de transferir as cotas de sua propriedade na firma ............................ situada
na rua .........................., nesta cidade.
9 - Que sua mulher, ................................. ao avalizar as promissórias retro
mencionadas, não possuindo bens próprios que bastem para a garantia oferecida, tornou-
se também conivente com a atitude desleal e ilícita do Executado, em flagrante fraude
contra credores, estando assim, os dois insolventes.
10 - Que com esta atitude, o Executado tornou-se propositadamente
insolvente, nos termos do art. 748 do CPC para que, com esta prática manifestamente
desonesta, viesse a se beneficiar, com a frustração de todo e qualquer processo de execução
por quantia certa contra devedor solvente, o que à todas as luzes do direito leva à ilação de
que o Executado procura, assim locupletar-se ilicitamente, através de meios ardilosos, que,
embora esta seja uma ação de jurisdição civil, não descaracteriza tal prática, na esfera
penal, a figura do estelionato, sendo certo que será levado ao conhecimento das autoridades
policiais competentes, a notícia crime, para que seja apurada a responsabilidade do
Executado.
38
11 - Ante os fatos acima relatados, o Exequente, na certeza de que seria
frustado o processo de execução singular, não tem outra alternativa a não ser promover a
presente EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR INSOLVENTE,
requerendo, desde já seja declarada a INSOLVÊNCIA do Executado e de sua mulher.
12 - Para comprovação