A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
legislacao tributaria

Pré-visualização | Página 2 de 5

É a fonte principal da obrigação tributária, pois que não existe tributo que não seja criado e exigido em função de uma lei prévia. É por intermédio da lei que o tributo nasce, pois é ela que descreve os fatos de conteúdo econômico capazes de gerar a obrigação tributária. Tal legislação compreende a Constituição Federal, as leis, os tratados e convenções internacionais, os decretos e as normas complementares que versem, no todo ou em parte sobre tributos e as relações jurídicas a ele referentes. b) Fato Gerador É o evento descrito pela norma e que, ao ser praticado por alguém, dá origem à obrigação de pagar determinado tributo. Ex: Imposto sobre exportação: fato gerador = saída de produtos nacionais ou nacionalizados do território nacional. Imposto sobre importação: fato gerador = entrada de produtos estrangeiros em território nacional. Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana ¿ IPTU: fato gerador = propriedade, domínio útil ou posse de bem imóvel localizado na zona urbana do município. c) Sujeito Ativo É a Pessoa Jurídica de Direito Público (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) titular da competência para exigir o cumprimento da obrigação. d) Sujeito Passivo É a pessoa que tem o dever de pagar o tributo. Em regra o sujeito passivo da obrigação tributária é o contribuinte, isto é, o sujeito que tenha relação pessoal e direta com a situação que constitua o respectivo fato gerador do tributo, mas pode ser também o responsável.
�
 2a Questão (Cód.: 41695)
Pontos: 1,0  / 1,0
A efetiva competência para instituições de taxas é comum à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, entretanto, estes não podem:
(c) exigi-las das pessoas jurídicas.
(a) cobrá-las com base de cálculo idêntica as dos impostos.
(b) exigi-las entre eles, ou seja, uns dos outros.
 
(d) NDA
�
 3a Questão (Cód.: 49204)
Pontos: 0,0  / 0,5
Em relação ao exercício do poder de polícia, marque a alternativa correta:
possibilita a incidência de taxa de polícia
 
faculta a incidência simultânea da taxa de serviço e da taxa de polícia
 
não permite a exigência de taxa
torna possível a cobrança de pedágio
permite a exigência de taxa de serviço
�
 4a Questão (Cód.: 41658)
Pontos: 0,5  / 0,5
Miquéias Malafaia alienou a Judith Teixeira um imóvel sobre o qual recaia débito de IPTU - Imposto Predial Territorial Urbano, alusivo a determinado exercício social. Após assinar o contrato de compra e venda a adquirente recebeu notificação de cobrança de débito emitida pela Secretaria de Fazenda Municipal, porém recusou-se a proceder ao pagamento, alegando que na ocorrência do fato gerador outra pessoa era proprietária do imóvel; além disso, o alienante assumiu contratualmente a obrigação de proceder ao pagamento dos débitos tributários anteriores à compra e venda. Pode-se afirmar que o procedimento é correspondente a esta alegação:
(c) errado, pois o contrato celebrado tem que ser respeitado.
(d) correto, desde que o alienante ainda conste como proprietário nos cadastros municipais.
 
(b) correto, pois o débito tributário se transmite com o imóvel à pessoa do adquirente.
(a) errado, pois o débito tributário só pode ser exigido do proprietário do imóvel à época da ocorrência do fato gerador.
�
 5a Questão (Cód.: 18987)
Pontos: 0,0  / 0,5
A ação para cobrança do crédito tributário está sujeita a prazo:
 
decadencial de 5 (cinco anos), contados do primeiro dia do exercício civil seguinte àquele em que o lançamento poderia ser efetuado.
prescricional de 20 (vinte) anos, contados do vencimento do prazo para pagamento.
prescricional de 180 (cento e oitenta) dias, contados da inscrição do crédito tributário na divida ativa.
 
prescricional de 5 (cinco) anos, contados da data da sua constituição definitiva.
decadencial de 180 (cento e oitenta) dias, contados da inscrição do crédito tributário na dívida ativa.
�
 6a Questão (Cód.: 175517)
Pontos: 0,5  / 0,5
Originam-se do patrimônio do particular, cujo regime jurídico é de Direito Público, com características de um Estado que usa o seu poder e obriga o particular a contribuir em dinheiro através dos tributos, multas, penalidade e etc, são chamadas de:
Receitas de Capital
Receitas Originárias
Receitas Oriundas.
 
Receitas Derivadas
Receitas Correntes
�
 7a Questão (Cód.: 175117)
Pontos: 0,0  / 0,5
Em relação à imposição tributária e às convenções particulares, é correto afirmar:
 
Em caso de responsabilidade solidária passiva, o fisco pode exigir a totalidade do crédito de qualquer dos codevedores, independente de acordo entre eles para que apenas um responda pelos débitos tributários.
A assunção de responsabilidade tributária em escritura pública de venda e compra pelo vendedor, basta para desobrigar o adquirente do pagamento de tributos incidentes sobre o imóvel, cujo fato gerador seja anterior à aquisição.
As partes podem convencionar em escritura pública acerca da responsabilidade tributária pelo recolhimento de imposto de transmissão inter vivos, tendo este contrato validade perante o fisco.
Quando da aquisição de veículo automotor seminovo, o adquirente se exonera de dívida de IPVA anterior à aquisição quando assim convencionar com o vendedor, desde que este assuma a dívida por instrumento público.
 
Em contrato de locação, poderá ser atribuída ao locatário a responsabilidade tributária pelo pagamento dos tributos incidentes sobre o imóvel, a critério do locador.
�
 8a Questão (Cód.: 43189)
Pontos: 0,0  / 0,5
O comerciante X deve Cr$ 500.000,00 a título de imposto de renda à União. Ao mesmo tempo é credor da União no valor de Cr$ 600.000,00, dívida já vencida, pelo fornecimento de mercadorias. O crédito tributário, então, será extinto
automaticamente, pela transação, nos termos do CTN
pela compensação, havendo lei federal autorizativa e acerto entre as partes
automaticamente, pela decadência, na data do vencimento do crédito do contribuinte
 
automaticamente, pela transação desde que haja lei federal específica, autorizando-a
 
automaticamente, pela compensação nos termos do CTN, independentemente de lei federal específica, autorizando-a
�
 9a Questão (Cód.: 61262)
Pontos: 0,0  / 1,5
ZULMIRA e ADELAIDA optaram em 2008 por participar da sociedade constituída por ASSAD e ASSAF, destinada à venda de iguarias árabes. Os sócios iniciais contribuíram para a formação do capital social na ordem de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) e as novas sócias aumentaram o capital social da sociedade em 45% com a transferência de um bem imóvel. À época do registro da transferência do referido imóvel não houve incidência do ITBI, considerando os termos da Constituição Federal. Questiona-se: se acaso a redação da Carta Constitucional for alterada, passando a exigir a incidência do ITBI nos casos de transferência de bens imóveis para a formação e ampliação do capital social, poderiam as referidas sócias ser cobradas pelo ente federativo credor? Qual seria o ente federativo responsável pelo referido recolhimento tributário? [SBM/UNESA/10.02]
Resposta: Sim. A União.
Gabarito: Observando o Princípio da Irretroatividade Tributária, determinao pelo Art. 150, III, a, CRFB/88, percebe-se que há conectividade com o Principio da Irretroatividade da Lei, determinado no Art. 5º, XXXVI, CRFB/88, segundo o qual a lei não pode prejudicar o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada, ou seja, aquilo que já faz parte de seu patrimônio ou rol de bens e direitos não pode ser exigido pela mudança estrutural da lei, bem como não pode alterar cláusulas contratuais e condições por alterações posteriores da lei, e não pode modificar decisões judiciais prolatadas e exigíveis; com uma única exceção nos casos de materiais de cunho penal (criminal), conforme Art. 5º, XL, CRFB/88. Assim, a imposição dos tributos só se faz a atos posteriores a sua criação legal, sendo impossível o retrocesso.
�
 10a