Manipulação do Comportamento 5, Guia do professor para a formulação de objetivos instrucionais   Alan H. Wheeler e Wayne L. Fox
58 pág.

Manipulação do Comportamento 5, Guia do professor para a formulação de objetivos instrucionais Alan H. Wheeler e Wayne L. Fox


DisciplinaTerapia Cognitiva3.076 materiais19.491 seguidores
Pré-visualização6 páginas
MANIPULAÇÃO
D E
COMPORTAMENTO
Obra publicada 
com a colaboração da
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Reitor: Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva
EDITORA DA UNIVER5IDADE DE SÃO PAULO
Presidente: Prof. Dr. Mário Guimarães Ferri 
Comissão Editorial:
Presidente: Prof. Dr. Mário Guimarães Ferri (Instituto 
de Biociências). Membros: Prof. Dr, Antonio Brito da 
Cunha (Instituto de Biociências), Prof. Dr. Carlos da 
Silva Lacaz (Faculdade de Medicina), Prof. Dr. Pérsio 
de Souza Santos (Escola Politécnica) e Prof. Dr. Roque 
Spencer Maciel de Barros (Faculdade de Educação).
FICHA CATALOGRÁFICA
(Preparada pelo Centro de Catalogaçao-na-fonte, 
Câmara Brasileira do Livro, SP)
Wheeler, Alan H.
W571g Guia do professor para a formulação de obje­
tivos instrucionais [por [ Alan H. Wheeler e Wayne 
L. Fox; tradução de Waldir Betoi, São Paulo, EPU, 
1974.
49p. (Manipulação de comportamento. Modifi­
cação de comportamento, v,5)
1. Comportamento humano 2. Ensino \u2014 Mé­
todos 3. Psicologia da aprendizagem I. Fox, Way­
ne L. II. Título. III. Série.
CDD-371.3
-153.15
-150
74-0841
Índices para catálogo sistemático:
1. Aprendizagem: Psicologia 153.15
2. Comportamento humano: Psicologia 150
3. Instrução: Métodos: Educação 371.3
4. Métodos de ensino: Educação 371.3
5. Psicologia da aprendizagem 153.15
ALAN H, W H E E L E R e W A Y N E L. F O X
MANIPULAÇÃO
DE
COMPORTAMENTO
PARTE V
M ODIFICAÇÃO DE CO M PO RTA M EN TO : 
GUIA DO PRO FESSO R PARA A FORM ULAÇÃO 
D E O BJETIV O S INSTRUCIONAIS
TRADUÇÃO
de
W a l d ir B e t o i
2 ^Reimpressão
E.P.U. - Editora Pedagógica e Universitária Ltda. 
EDUSP - Editora da Universidade dc São Paulo 
São Paulo
Tradução brasileira do original americano Managing behavior. Be­
havior modification: A teacher's guide to writing instructional objectives, 
de Alan H. Wheeler e Wayne L. Fox, publicado por H & H Enterprises, 
Inc. Lawrence, Kansas.
© H and H Enterprises, Inc. 1972
Código 63025
© E.P.U . \u2014 Editora Pedagógica e Universitária Ltda., São Paulo, 1973. 
Todos os direitos reservados. Interdito qualquer tipo de reprodução, mesmo 
de partes deste livro, sem a permissão, por escrito, dos editores. Aos 
infratores se aplicam as sanções previstas na Lei (artigos 122-130 da 
Lei 5.988. de Í4 de dezembro de í 973).
E.P.U. \u2014 Praça Dom José Gaspar, 106, 3^ andar \u2014 caixa postal 7509 \u2014 
01.000 São Paulo, Brasil.
Impresso no Brasil Printed in Brazil
ÍN D IC E
Especificação dos resultados educacionais ................................ 1
Fins educacionais ............................................................................................. 1
Objetivos educacionais ....................................................................... 2
Objetivos instrucionais ................................................................................... 3
Sistema de formulação de objetivos instrucionais .................. 7
Exercícios de formulação de objetivos instrucionais .............. 10
Três categorias de verbos de ação ............................................. 31
Verbos de ação diretamente observáveis ..................................... 31
Verbos de ação ambíguos .................................................................. 32
Verbos de ação não diretamente observáveis .............................. 33
Tradução de fins educacionais em objetivos instrucionais . . 33 
Exercícios de tradução de fins educacionais era objetivos
instrucionais .................................................................................. 38
Referências bibliográficas ................................................................. 49
ESPECIFICAÇÃO DOS RESULTADOS EDUCACIONAIS
Resultado educacional é uma descrição daquilo que o indi­
víduo deveria ser capaz de fazer ao fim de uma seqüência 
instrucional. Os resultados educacionais não deveriam ser con­
fundidos com descrições do processo instrucional ou com descrições 
do comportamento esperado da professora. Resultado educacional 
é uma afirmação de como o aprendiz irá comportar-se depois de 
completar satisfatoriamente a experiência de aprendizagem. O 
resultado representa o produto final do processo de aprendizagem 
e ensino.
Os resultados educacionais podem ser formulados de diversas 
maneiras, desde uma afirmação abstrata a respeito de \u201cpatrio­
tismo\u201d até uma afirmação altamente específica do tipo \u201ca criança 
aponta em direção a\u201d. Os resultados educacionais são definidos 
usando-se três categorias gerais caracterizadas pelo grau de espe­
cificidade com que são formuladas: os fins educacionais, os 
objetivos educacionais e os objetivos instrucionais.
Fins educacionais
Fins educacionais são formulações abstratas a respeito de 
resultados educacionais a serem obtidos no futuro. Esses fins 
refletem os propósitos ideais da educação. Como exemplos de fins 
educacionais temos:
A o término deste programa, o indivíduo irá criar e aplicar 
estratégias variadas para a utilização da educação como msfru- 
mento de mudança, para desenvolver a potencialidade humana, 
atir.gir a harmonia ecológica, eliminar a pobreza , guerra e racis~
1
mo, prom over igualdade d o valor humano e para lutar pela auto- 
-realização individual e social.
O objetivo de nossas escolas é criar indivíduos socialmente 
bem ajustados, economicamente auto-suficientes e prontos para 
assumir um papel na sociedade.
Criar cidadãos qualificados que saibam apreciar sua herança 
culturaL
Educar indivíduos que sejam bons cidadãos .
Filósofos, cientistas políticos, sociólogos, educadores e outros 
profissionais trabalham juntos para estabelecer fins educacionais, 
Os fins educacionais refletem os resultados desejados que são 
traduzidos nos currículos de nossas escolas. Esses fins devem ser 
constantemente reavaliados para que possam refletir as exigências 
atuais. Um exemplo excelente dessa reavaliação ocorreu na última 
década de 1950, depois que a União Soviética lançou o primeiro 
satélite terrestre construído pelo homem. A reavaliação de nossos 
objetivos educacionais fez com que as ciências e a matemática 
assumissem um papel muito mais proeminente na educação.
O bjetivos educacionais
Resultados educacionais específicos que não são observáveis 
podem ser caracterizados como objetivos educacionais. Esses obje­
tivos freqüentemente representam estados hipotéticos do indivíduo 
ao término do processo de ensino. As descrições dos objetivos 
educacionais contêm termos como \u201csabe\u201d, "aprecia\u2019', \u201csente**, 
"entende" e \u2018\u2019valoriza\u201d. Esses conceitos não são diretamente 
observáveis e devem ser inferidos de outras observações.
Objetivos educacionais que não são diretamente observáveis 
constituem um perigo potencial ao educador. Bastante freqüen­
temente, as inferências relativas aos resultados educacionais estão 
baseadas em observações dos eventos que entram no processo 
educacional. Por exemplo, uma professora de aritmética pode 
concluir que seus alunos "entendem as funções trigonométricas\u201d 
porque tiveram muitas horas de aula sobre o assunto. Uma outra
2
armadilha é concluir que o aluno domina o assunto de uma disci­
plina específica porque fez cursos da matéria e foi aprovado nos 
exames. Isto ocorre especialmente no caso do diploma de licen­
ciatura, no qual os números e os títulos dos cursos (e não o nível 
de habilidade do indivíduo) são os fatores determinantes do diplo­
ma obtido.
Entretanto, deveríamos notar que os objetivos educacionais, 
apesar de formulados em termos não diretamente observáveis, 
podem ainda servir ao profissional da educação. Eles podem pro­
piciar um quadro de referência que auxiliará o educador no desen­
volvimento de programas escolares mais específicos. Fornecem 
direção e ordem aos esforços do profissional. O perigo de se 
usarem objetivos educacionais não observáveis