Apostila_Histologia 2013-2_parte1
10 pág.

Apostila_Histologia 2013-2_parte1


DisciplinaHistologia I11.050 materiais192.991 seguidores
Pré-visualização2 páginas
de partículas. 
Os tecidos epiteliais são altamente resistentes à tração e suas células dificilmente se separam 
umas das outras. Tais células se apresentam envoltas por uma camada glicoproteica (glicocálix), com 
função adesiva, além de possuírem, em suas membranas laterais, estruturas especializadas que 
 6 
participam desse processo de adesão, as chamadas junções intercelulares, que servem não só como 
locais de adesão, mas também oferecem vedação, além de permitirem a comunicação entre células 
vizinhas, estando presentes em uma sequência que vai do ápice para a base da célula, a saber: 
\uf0b7 zônula de oclusão \u2013 região onde há uma fusão entre as membranas plasmáticas de células 
adjacentes, estabelecendo uma barreira à entrada de macromoléculas no espaço entre essas células. 
\uf0b7 zônula de adesão \u2013 região onde as células vizinhas estão firmemente unidas por uma substância 
intercelular adesiva, porém, suas membranas plasmáticas não chegam a se tocar. Na face 
citoplasmática dessas membranas existe o acúmulo de um material denso, onde estão inseridos 
numerosos filamentos de actina, conferindo maior resistência a essa região. 
\uf0b7 junções comunicantes ou junções gap \u2013 grupos de proteínas específicas presentes nas membranas 
plasmáticas de células adjacentes que se tocam no espaço intercelular e se dispõem formando canais 
que atravessam as bicamadas lipídicas, estabelecendo canais de comunicação entre as células. 
\uf0b7 desmossomos \u2013 correspondem a discos de adesão entre as células, formados por duas partes que se 
unem, sendo uma delas localizada em uma célula e a outra, na célula vizinha. Cada disco é 
constituído por um material proteico denso, chamado placa de ancoragem, para onde filamentos 
intermediários de queratina se estendem, reforçando o processo de adesão. 
\uf0b7 hemidesmossomos \u2013 apresentam a estrutura semelhante à metade de um desmossomo, prendendo a 
célula epitelial à sua lâmina basal. 
 
(A) Esquema com três células epiteliais mostrando as principais estruturas que participam da sua coesão; (B) Elétron-
micrografia de uma seção de células do revestimento epitelial de intestino mostrando uma microvilosidade \u2013 MV, a zônula 
de oclusão - ZO, zônula de adesão - ZA e um desmossomo - D. 
(B) (A) 
 7 
Classificação: 
O tecido epitelial é dividido em dois grandes grupos principais, de acordo com a sua estrutura e 
função: tecido epitelial de revestimento, que reveste todas as superfícies internas e externas do corpo 
e o tecido epitelial glandular ou de secreção, que também participa da formação glandular. 
\uf0b7 Tecido epitelial de revestimento: podem ser classificados quanto ao número de camadas celulares 
e conforme as características morfológicas das células presentes na camada superficial. 
\uf0d8 Quanto ao número de camadas celulares: 
\uf0a7 Simples: possui uma só camada de células; 
\uf0a7 Estratificado: possui mais de uma camada de células; 
\uf0a7 Pseudoestratificado: embora possua apenas uma única camada de células, os núcleos estão 
em diferentes alturas, dando a impressão de diferentes camadas, porém, todas as células se 
encontram apoiadas na lâmina basal. 
\uf0d8 Quanto às características morfológicas das células: 
\uf0a7 Pavimentoso: formado por células achatadas; 
\uf0a7 Cúbico: formado por células de aspecto cúbico; 
\uf0a7 Prismático, Colunar ou Cilíndrico: formado por células alongadas; 
\uf0a7 Transição: formado por células que modificam o seu formato de acordo com o grau de 
distensão do órgão. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Esquemas de epitélios simples 
 8 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Número de camadas de células Forma das células Exemplos de localização Função principal
Pavimentoso
Revestimento dos vasos sanguíneos e 
l infáticos (endotélio); alvéolos 
pulmonares; revestimento das 
cavidades pericárdica, pleural, 
peritoneal (mesotélio)
Facilita o movimento das visceras 
(mesotélio); transporte ativo por 
pinocitose (mesotélio e endotélio); 
secreção de moléculas biologicamente 
ativas (mesotélio)
Cúbico
Revestimento externo do ovário, dutos 
glândulares, folículos tireoideanos, 
túbulos renais
Revestimento, secreção
Prismático ou colunar
Revestimento do intestino, estômago, 
vesícula biliar
Proteção, lubrificação, absorção, 
secreção
Pseudo-estratificado (camada de células 
de diferentes volumes, nem todas as 
células alcançam a superfície, mas todas 
se apoiam na lâmina basal)
Revestimento da traquéia, brônquios, 
cavidade nasal
Proteção, secreção, transporte mediado 
por cíl ios das partículas aderidas ao 
muco nas passagens aéreas
Pavimentoso 
queratinizado (seco)
Epiderme Proteção, previne a perda de água
Pavimentoso não 
queratinizado (úmido)
Boca, esôfago, canal vaginal e anal
Proteção, secreção, previne a perda de 
água
Cúbico
Glândulas sudoríparas, folículos 
ovarianos em crescimento
Proteção, secreção
Transição Bexiga, ureteres, cálices renais Proteção, distensibilidade
Prismático ou colunar Conjuntiva, ureteres Proteção
Simples (uma camada)
Estratificado (duas ou mais camadas)
 
\uf0b7 Tecido epitelial glandular: é constituído por células especializadas na produção de secreções, que 
podem ser utilizadas internamente ou eliminadas do organismo. A maioria das glândulas é 
multicelular, porém, existem também aquelas unicelulares, como as glândulas caliciformes. As 
glândulas multicelulares originam-se dos epitélios de revestimento, através da proliferação de suas 
 
Esquemas de epitélios estratificados 
e pseudo-estratificado 
 9 
células para o interior do tecido conjuntivo subjacente, com posterior diferenciação. São 
classificadas em 3 tipos: 
\uf0a7 Glândulas exócrinas: apresentam a porção secretora associada a dutos que lançam suas 
secreções para fora ou para o interior das cavidades do corpo (glândulas sudoríparas, 
lacrimais, mamárias, sebáceas e salivares), respectivamente. 
\uf0a7 Glândulas endócrinas: não apresentam canais ou dutos de comunicação com o epitélio de 
origem. O produto da secreção é denominado de hormônio e é lançado diretamente nos 
vasos sanguíneos ou linfáticos (glândula hipófise, tireóide, paratireóide e suprarrenal). 
\uf0a7 Glândulas mistas: apresentam porções endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo. É o caso 
do pâncreas, cuja porção exócrina secreta enzimas digestivas que são lançadas no duodeno, 
enquanto que a porção endócrina é responsável pela secreção dos hormônios insulina e 
glucagon, atuando, respectivamente, na redução e no aumento dos níveis de glicose no 
sangue. 
 
Formação de glândulas a partir de epitélios de revestimento 
 10 
BIBLIOGRAFIA 
 
ALBERTS, B.; et al. Biologia Molecular da Célula. 4ª edição. Ed. Artmed; Porto Alegre. 2004. 
 
BOYLE, M. & SENIOR, K. Human Biology. 3ª edição. Collins Advanced Science. Hammersmith, 
Londres. 2008. 
 
CAMPBELL, N.; et al. Biologia. 8ª edição. Ed. Artmed; Porto Alegre. 2010. 
 
GARTNER, L. Tratado de Histologia. 2ª edição. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro. 2003. 
 
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Hisologia Básica. 11ª edição. Guanabara Koogan. Rio de 
Janeiro. 2008. 
 
KATCHBURIAN, E.; ARIANA, V. Histologia e Embriologia Oral. 3ª edição. Guanabara Koogan. 
Rio de Janeiro. 2012. 
 
SADAVA, D.; et al. Vida: a ciêcia da biologia. Volume 1: célula e hereditariedade. 8ª edição. Ed. 
Artmed; Porto Alegre. 2009.