4 Reflexão sobre o texto UM RELATO DE CASO
1 pág.

4 Reflexão sobre o texto UM RELATO DE CASO


DisciplinaPsicologia e Cognição11 materiais200 seguidores
Pré-visualização1 página
CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA 
BACHARELADO EM PSICOLOGIA
PSICOLOGIA E COGNIÇÃO
Prof. Cleber Gibbon Ratto
Aluna: Vanessa Branco Cardoso
Estudo Dirigido:
O médico do \u201cRelato de um Caso\u201d estava acostumado a seguir um modelo de atendimento, em que não interagia de fato com a sua paciente. Ele não passava pela experiência do contato singular que é cada encontro, apenas encaixava as pessoas em suas regras médicas, dava recomendações segundo a sua técnica e considerava seu trabalho feito. Um dia, ele se viu incomodado com essa situação, e nessa sua \u201cprodutiva inquietude\u201d resolveu produzir um encontro totalmente diferente. Resolveu fugir da técnica modelizadora habitual, iria enriquecer esse momento. Uma relação inédita estava para se estabelecer. 
Essa nova possibilidade de acontecer, oportunizou novos desfechos. Aceitou que a paciente também fosse diferente. Isso me lembra os conceitos de \u201cbons e maus encontros\u201d de Espinoza: resumidamente, os bons potencializariam as forças criativas envolvidas e os maus diminuíam as forças que ali estavam. Nessa nova relação se estabeleceu um \u201cbom encontro\u201d, uma experiência que ultrapassou a técnica médica e possibilitou que tanto terapeuta, quanto paciente tivessem um novo olhar sobre o outro e sobre si mesmos, fomentando as suas forças.
Nada é mais esperado do que isso no relacionamento entre o psicólogo e seu paciente. Se como profissionais formos para o atendimento sempre determinados a encaixar as pessoas que nos procuram em algum tipo de modelo-diagnóstico isso não frutificará a relação. Entretanto, se nos deixarmos levar pela experiência que o momento nos propicia, poderemos ter um \u201cbom encontro\u201d que de fato produza resultados inéditos para ambos.