A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
320 pág.
O conceito de responsabilidade de proteger e o direito internacional humanitário

Pré-visualização | Página 1 de 50

o conceito de responsabilidade de 
proteger e o direito internacional 
humanitário
ministÉrio das relações exteriores
 Ministro de Estado Embaixador Antonio de Aguiar Patriota
 Secretário-Geral Embaixador Ruy Nunes Pinto Nogueira
fundação alexandre de gusmão
 Presidente Embaixador Gilberto Vergne Saboia
Instituto de Pesquisa de 
Relações Internacionais
 Diretor Embaixador José Vicente de Sá Pimentel
Centro de História e 
Documentação Diplomática
 Diretor Embaixador Maurício E. Cortes Costa
A Fundação Alexandre de Gusmão, instituída em 1971, é uma fundação pública vinculada ao 
Ministério das Relações Exteriores e tem a fi nalidade de levar à sociedade civil informações 
sobre a realidade internacional e sobre aspectos da pauta diplomática brasileira. Sua missão é 
promover a sensibilização da opinião pública nacional para os temas de relações internacionais 
e para a política externa brasileira.
Ministério das Relações Exteriores
Esplanada dos Ministérios, Bloco H
Anexo II, Térreo, Sala 1
70170-900 Brasília, DF
Telefones: (61) 3411-6033/6034/6847
Fax: (61) 3411-9125
Site: www.funag.gov.br
Brasília, 2011
O conceito de responsabilidade 
de proteger e o Direito 
Internacional Humanitário
ana maria bierrenbach
Direitos de publicação reservados à
Fundação Alexandre de Gusmão
Ministério das Relações Exteriores
Esplanada dos Ministérios, Bloco H
Anexo II, Térreo
70170-900 Brasília – DF
Telefones: (61) 3411-6033/6034
Fax: (61) 3411-9125
Site: www.funag.gov.br
E-mail: funag@itamaraty.gov.br
Depósito Legal na Fundação Biblioteca Nacional conforme Lei 
n° 10.994, de 14/12/2004.
Equipe Técnica:
Henrique da Silveira Sardinha Pinto Filho
Fernanda Antunes Siqueira
Fernanda Leal Wanderley
Juliana Corrêa de Freitas
Mariana Alejarra Branco Troncoso
Rafael Ramos da Luz
Programação Visual e Diagramação:
Juliana Orem
Revisão:
Mariana de Moura Coelho
Impresso no Brasil 2011
CDU: 321.011 
Ficha catalográfica elaborada pela
Bibliotecária Sonale Paiva - CRB /1810
Bierrenbach, Ana Maria.
O conceito de responsabilidade de proteger e 
o direito internacional humanitário / Ana Maria 
Bierrenbach. – Brasília: Fundação Alexandre de 
Gusmão, 2011.
320 p.
ISBN 978-85-7631-344-1
1. Soberania. 2. Intervenção Humanitária. 3. 
Direito Internacional Humanitário. 4. Relações 
Internacionais.
Para Flavio e Maria Ignês, meus pais, que me mostraram o caminho 
dos direitos humanos.
Sumário
Siglas utilizadas, 9
Introdução, 13
Capítulo 1 - Considerações sobre os conceitos de soberania, legalidade e 
legitimidade, 23
1.1 Considerações iniciais, 23
1.2 A questão da soberania, 24
1.3 A questão da legitimidade, 34
1.5 Considerações finais, 45
Capítulo 2 - Intervenções humanitárias e o Direito de Ingerência, 49
2.1 Considerações iniciais, 49
2.2 A intervenção humanitária do ponto de vista teórico, 52
2.3 O direito (ou dever) de ingerência, 57
2.4 Intervenções humanitárias na história, 61
2.4.1 Intervenções ocorridas de 1945 a 1990, 65
2.4.2 Intervenções a partir de 1990, 72
2.5 Considerações finais, 81
Capítulo 3 - O Direito Internacional Humanitário, 85
3.1 Considerações iniciais, 85
3.2 O jus ad bellum e a guerra justa, 86
3. 3 O Direito Internacional Humanitário como e expressão do jus in bello, 90
3.4 O Comitê Internacional da Cruz Vermelha, 96
3.5 O Direito Internacional dos Direitos Humanos, 101
3.6 A relação entre o Direito Internacional Humanitário e o Direito Internacional 
dos Direitos Humanos, 106
3.7 Considerações finais, 109
Capítulo 4 - A responsabilidade de proteger, 115
4.1 Antecedentes, 115
4.2 O conceito de segurança humana, 125
4.3 A Comissão Internacional sobre Intervenção e Soberania Estatal, 127
4.4 O Painel de Alto Nível sobre Ameaças, Desafios e Mudanças das Nações 
Unidas, 139
4.5 A Cúpula Mundial de 2005, 145
4.6. Desdobramentos recentes, 149
4.7 Considerações finais, 159
Capítulo 5 - A aplicação da responsabilidade de proteger: genocídio, crimes 
contra a humanidade, limpeza étnica e crimes de guerra, 163
5.1 Considerações iniciais, 163
5.2 Genocídio, 165
5.3 Crimes contra a humanidade, 179
5.4 Limpeza étnica, 184
5.5 Crimes de guerra, 189
5.6 O Tribunal Penal Internacional, 191
5.7 Considerações finais, 196
Conclusão, 199
Referências bibliográficas, 209
Anexo - Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional Nações Unidas - 1998, 223
Siglas utilizadas
Acnur Alto-Comissariado das Nações Unidas para 
Refugiados
AGNU/UNGA Assembleia-Geral das Nações Unidas/United 
Nations General Assembly
Asean Association of Southeast Asian Nations
CDI Comissão de Direito Internacional
CICV/ICRC Comitê Internacional da Cruz Vermelha/International 
Committee of the Red Cross
CIJ/ICJ Corte Internacional de Justiça/International Court 
of Justice
DIDH Direito Internacional dos Direitos Humanos
DIH Direito Internacional Humanitário
Delbrasonu Delegação do Brasil junto às Nações Unidas
Ecosoc Conselho Econômico e Social das Nações Unidas
Ecowas/Cedeao Economic Community of West African States/
Comunidade Econômica dos Estados da África 
Ocidental
FAO Organização das Nações Unidas para a Alimentação 
e a Agricultura
FMI Fundo Monetário Internacional
ana maria bierrenbach
10
ICISS/ International Commission on Intervention and 
State Sovergeignty/ Comissão Internacional sobre 
Soberania e Intervenção Estatal
IMT International Military Tribunal (Nuremberg 
Tribunal)
ICTR International Criminal Tribunal for Ruanda
ICTY International Criminal Tribunal for the former 
Yugoslavia
Interfet Força Internacional no Timor Leste
Minustah Missão das Nações Unidas para a Estabilização no 
Haiti
Monuc Missão das Nações Unidas na República 
Democrática do Congo
OEA Organização dos Estados Americanos
Oecs Organização dos Estados do Caribe Oriental
OIT Organização Internacional do Trabalho
OMC/WTO Organização Mundial do Comércio/ World Trade 
Organization
OMS Organização Mundial da Saúde
ONG Organização Não Governamental
ONU/UN Organização das Nações Unidas/United Nations
Onuc Operação das Nações Unidas no Congo
Otan Organização do Tratado do Atlântico Norte
OUA Organização da Unidade Africana
P-5 Nomenclatura que se refere aos cinco membros 
permanentes do Conselho de Segurança das Nações 
Unidas: Estados Unidos, Rússia, França, China e 
Reino Unido.
RDC República Democrática do Congo
R2P Responsibility to Protect
RPF Frente Patriótica Ruandesa
RUF Frente Unida Revolucionária
SC/ UNSC/ CSNU United Nations Security Council/ Conselho de 
Segurança das Nações Unidas
SGNU Secretário-Geral das Nações Unidas
SGOEA Secretário-Geral da Organização dos Estados 
Americanos
11
siglas utilizadas
TPI Tribunal Penal Internacional
UA União Africana
UE /EU União Europeia/ European Union
UFC Uniting for Consensus
Unamir United Nations Assistance Mission for Rwanda/ 
Assistência das Nações Unidas em Ruanda
Unomisil United Nations Observer Mission in Sierra Leone
Unamsil United Nations Mission in Sierra Leone
Unamet Missão das Nações Unidas no Timor Leste 
UNDP/Pnud United Nations Development Programme/ Programa 
das Nações Unidas para o Desenvimento
Unef Força de Emergência das Nações Unidas em Suez
Unprofor United Nations Protection Force
Unmis Missão das Nações Unidas no Sudão
Unosom United Nations Operations in Somalia/ Operação 
das Nações Unidas na Somália
Unosom II United Nations Operation in Somalia II/ Operação 
das Nações Unidas na Somália II
Untaet Administração de Transição das Nações Unidas no 
Timor Leste
G-4 Grupo integrado por Brasil, Alemanha, Japão e 
Índia, que atua em favor da reforma do Conselho 
de Segurança das Nações Unidas.
G-77 Grupo de países em desenvolvimento que atua no 
âmbito da Organização das Nações Unidas.
13
La guerra