A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
90 pág.
Aula_7_e_8

Pré-visualização | Página 2 de 4

de 
sistemas de tratamento de água, aqueles 
gerados em equipamentos e instalações de 
controle de poluição, bem como determinados 
líquidos 
Resíduos sólidos... 
Lixão ou vazadouro 
– disposição sobre o solo, sem medidas de proteção ao 
meio ambiente ou à saúde pública 
Aterro controlado 
– envolve o confinamento dos resíduos sólidos, o 
recobrimento com uma camada de material inerte 
– não é exigida a impermeabilização da base nem 
sistemas de tratamento de chorume ou coleta de gases 
Resíduos sólidos... 
Aterro sanitário 
• Envolve o confinamento 
(redução máxima de 
volume por meio da 
compactação), cobertura 
com uma camada de terra 
ou material inerte, 
sistemas de 
impermeabilização da 
base e laterais, sistema de 
drenagem, tratamento do 
chorume, e queima dos 
gases produzidos 
 Assoreamento 
• Poluição causada por excesso de sedimentos ou 
materiais sólidos nos cursos d’água (como o lixo) 
• Resposta à erosão acelerada na bacia hidrográfica 
quando a maior quantidade de sedimentos supera a 
capacidade e/ou competência do curso d’água 
• O leito é gradualmente preenchido por sedimentos, 
reduzindo seu espaço útil para o escoamento das 
águas 
– as inundações podem tornar-se mais freqüentes e 
intensas 
 Assoreamento... 
Parâmetros físicos e químicos... 
• A erosão acelerada tende a aumentar, também, a carga 
em suspensão, levando ao aumento da turbidez 
 
TURBIDEZ (UNT – Unidade Nefelométrica de Turbidez) 
• Indica o nível de interferência ou atenuação que a luz 
sofre ao passar pela água, devido aos sólidos e colóides 
em suspensão (argila, matéria orgânica, etc) 
• A redução da penetração da luz reduz também a produção 
primária dos ecossistemas aquáticos, ou seja, a 
fotossíntese (a base do ciclo biológico aquático) 
• A turbidez também pode ser gerada por efluentes 
diversos, ou mesmo por elevadas concentrações de 
microorganismos, como algas plantônicas 
Parâmetros físicos e químicos... 
TURBIDEZ... 
• A medição da turbidez pode ser realizada com 
turbidímetro, colorímetro ou espectrofotômetro 
 
 
 
 
 
 
SÓLIDOS EM SUSPENSÃO (mg/l) 
• Carga sólida em suspensão depois de seca e pesada 
• Pode ser separada por simples filtração 
 Assoreamento... 
• O assoreamento tende a aumentar, também, a poluição 
orgânica e tóxica 
– as argilas têm elevado poder absorvente de alguns 
poluentes 
– os sedimentos do leito dos cursos d’água podem 
apresentar uma concentração de elementos-traço 
entre 1000 e 10.000 vezes maior do que nas águas, 
já que os metais podem ser absorvidos por minerais 
ou podem combinar-se com outros minerais, 
precipitando-se 
• Desdobramentos sobre a biota 
• Não confundir com padrão naturalmente entrelaçado 
• Desassoreamento 
 Depósitos tecnogênicos 
• Nos ambientes fluviais, os danos provocados 
por atividades antrópicas podem ser percebidos 
– na variabilidade das vazões, além de 
parâmetros físico-químicos das águas 
– na alteração da morfologia fluvial (padrão 
fluvial) 
– nas características das sequências 
estratigráficas de níveis deposicionais 
 Depósitos tecnogênicos... 
• Tecnógeno 
– termo usado para se referir a situação geológico-
geomorfológica atual, em que a ação geológica 
humana ganha destaque significativo nos processos 
da dinâmica externa, em relação à processualidade 
holocênica (PELOGGIA, 2005) 
 
• Depósitos tecnogênicos 
– correlativos da ação geológica humana, representam 
eventos de caráter novo e independente e, portanto, 
distintos da processualidade holocênica precedente 
(PELOGGIA, 2003) 
 Depósitos tecnogênicos... 
 Depósitos tecnogênicos... 
• Os materiais tecnogênicos abrangem (Oliveira, 1994): 
– depósitos construídos (aterros, corpos de rejeitos, 
etc.) 
– depósitos induzidos (sedimentação ligada à erosão 
acelerada decorrente do uso inadequado do solo) 
– depósitos modificados (depósitos naturais alterados 
por efluentes, adubos, etc.) 
 Depósitos tecnogênicos... 
• Classificação de Flanning e Flanning (1989): 
– depósitos úrbicos (tijolos, vidro, plástico, metais 
diversos, etc.) 
– depósitos gárbicos (material detrítico com lixo orgânico 
suficiente para a geração de metano em condições 
anaeróbicas) 
– depósitos espólicos (materiais terrosos escavados e 
redepositados e depósitos de assoreamento) e 
dragados 
Poluição térmica 
• Leva ao aumento ou redução da temperaturas das águas 
• Comumente originada em processos industriais de 
resfriamento de equipamentos (refinarias, indústrias 
metalúrgicas, etc.) 
• Elevação da temperatura do corpo receptor 
– aumento da evaporação e da velocidade das reações 
químicas (2x a cada 10 ºC), acelerando as reações 
ligadas à atividade microbiana 
– A cada 1ºC de aumento da temperatura da água, esta 
perde 2% de oxigênio dissolvido, aumentando a DBO 
– Queda na produção primária do fitoplâncton 
Parâmetros físicos e químicos... 
TEMPERATURA (ºC) 
• Resolução CONAMA 357/05 
– determina como padrão de emissão de 
efluentes a temperatura máxima de 40º C, 
tanto para lançamentos na rede pública de 
esgotos como os lançamentos diretos nas 
águas naturais 
Parâmetros físicos e químicos... 
OXIGÊNIO DISSOLVIDO 
• Indica a redução das substâncias orgânicas e a 
intensidade de autodepuração 
• A medição é realizada com oxímetro, mas o seu cálculo 
também pode ser realizado por técnicas de titulação 
• O oxigênio possui baixa solubilidade na água em 
relação ao ar sob condições normais de pressão e 
temperatura (9 e 270 mg/l, respectivamente) 
• As águas subterrâneas apresentam geralmente OD em 
quantidades inferiores às das águas superficiais (em 
média 1 a 5 mg/l), devido ao contato restrito com o ar e 
à baixa concentração de seres vivos 
Parâmetros físicos e químicos... 
OXIGÊNIO DISSOLVIDO... 
• Em corpos d’água eutrofizados, a concentração de algas 
fazendo fotossíntese libera oxigênio e consome gás 
carbônico, porém, à noite a fotossíntese, logicamente, 
não ocorre 
• Com o tempo, o OD tende a diminuir devido ao consumo 
de oxigênio pelas algas à noite e à perda do oxigênio 
das camadas superiores para a atmosfera, já que o OD 
tende a ficar concentrado próximo à superfície devido à 
dificuldade de penetração da luz em maiores 
profundidades por causa da turbidez gerada pelas algas 
Parâmetros físicos e químicos... 
DBO – Demanda Bioquímica de Oxigênio 
• É a demanda bioquímica de oxigênio (em mg/l) relativa 
a uma demanda em uma unidade de tempo 
• É usado para medir a quantidade de oxigênio 
necessária para estabilizar (oxidar) a matéria orgânica 
carbonácea contida na água, mediante processos 
bioquímicos aeróbicos 
• Quanto mais abundante o carbono orgânico 
biodegradável, maior a presença de bactérias 
decompositoras, e maior o consumo de oxigênio na 
respiração, logo, maior será a DBO 
• DBO média para água superficial não poluída = ~0,7 
mgO2/L; concentração de saturação de oxigênio em 
água = ~8,3 mgO2/L; valores para efluentes podem 
chegar a várias centenas de mgO2/L 
Parâmetros físicos e químicos... 
 
DBO – Demanda Bioquímica de Oxigênio... 
 
• Geralmente, as reações bioquímicas envolvidas no 
cálculo da DBO envolvem: 
– Decomposição de carboidratos em dióxido de 
carbono e água 
– Decomposição das proteínas em aminoácidos, que 
por sua vez, decompõem-se em NH4 (amônia), NO2 
(nitritos), NO3 (nitratos), sulfatos e fosfatos 
• A matéria orgânica biodegradável presente nos esgotos, 
composta principalmente de proteínas (40 a 60%), 
carboidratos (25 a 50%) e gorduras (10%), é mensurada