A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Resumo - 2ª prova MICOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 6

Micologia – Resumo – 2ª Prova 
1 
Alberto Galdino - Biomedicina 
LEVEDUROSES 
São doenças causadas por leveduras. 
 Candidas 
 Brotamento 
 Pseudomicélio 
 Micélio Verdadeiro 
 
- O exame direto não tem valor diagnóstico depois de 2 horas 
- No caso da pele apenas em dobras 
 
 Espécies de Interesse Médico 
 Candida albicans (mais comum. HIFAS resistentes até 35°C) 
 C. dubliniensis 
 C. tropicalis 
 C. parapsilosis 
 C. glabrata (resistente a foconazol) 
 C. pseudotropicalis 
 C. krusei (resistente a foconazol. Pseudomicélio pequeno). 
 
↗Candidíase 
 Manifestações Clínicas – Candidíase Alérgica 
 Características 
- Lesões secundárias 
- Lesões cutâneas: Vesiculares; Papulosas; Czemotóides 
 Fatores Predisponentes: irritação do foco 
 Microscopia direta 
 Estrutura Fungica 
 Cultura + ED: mícide, quando sugerir uma candidíase 
C: tem-se candidíase 
 
↗Candidíase Cutâneo-Mucosa 
- Micose interlabial – uso prolongado de antibiótico 
- Micose perianal – (swab) 
- Candidíase atrelada à higiene, fazer a assepsia antes do exame. 
 
 Fatores Predisponentes 
 Higiene 
 Promiscuidade 
 Gravidez 
 Antibioticoterapia prolongada 
 Indumentária inadequada 
 
 Formas Cutâneas 
 Submamárias 
 Subaxilares 
 Inguinocrurais 
 Retroauriculares 
 Espaços interdigitais 
 Cicatriz umbilical 
- Não precisa fazer coleta na borda da lesão como no caso das dermatofitoses. 
Exame direto 
LEVEDUROSE 
Colonização  Doença 
Forma estruturas de resistência 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
2 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Formas mucosas 
 Estomatite cremosa 
 Glossite – fica restrita à língua – fungo e/ou bactéria 
 Amigdalite, Faringite 
 Esofagite, Gastroenterite 
 Ceratite – lente de contato ou uso de corticoide 
 Vulvovaginite 
 
 Formas Cutâneo-Mucosas 
 Estomatite angular – secundária anterior 
 Balonoprepucial 
 
 Candidíase Intertriginosa (cutâneo mucosas) 
 Vulvovaginite 
 Balonopostite 
 Interglutea 
 Genitocrurais 
 
ONICOMICOSE 
↗Candidíase Oral 
- Pseudomembranosa (sapinho) 
- Atrófica aguda ou glossite (secundária a pseudomembranosa) 
- Hiperplásica crônica (leucoplasia) – placas de coloração branca na boca 
- Quelite angular (boqueira) 
 
 Amostras Clínicas 
- Escamas epidérmicas 
- Escamas ungueais 
- Secreções 
- Urina 
 
 Coleta e Manipulação 
- Oral: swab + tubo com soro fisiológico 
 
 Manipulação – à fresco 
 Purificação: identificação – prova da enzima (urease) ‘v. de fenol’; 
 Oxinograma; Zimograma; 
 Testes Bioquímicos  Fonte de carbono (D. G. S. M. L. R) 
 N- nitrogênio: S+ 
- Toda fonte que se fermenta obrigatoriamente deve ter sido assimilado 
- Fica um halo (assimila-se) 
 
↗Candidíase Mucocutânea Crônica 
- É decorrente do mau funcionamento dos leucócitos 
- Acomete simultaneamente pele, unhas e mucosas. 
- Persistente em lactentes ou adultos jovens 
- ↑ meninos 
 
 Características 
- Longa evolução clínica 
- Resistente aos tratamentos 
Clarificação: KOH 
Cultura: Sabouraud + Antibióticos 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
3 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Fatores Predisponentes 
 Agamoglobulinemias 
 Displasia do timo 
 Disgenesia tímea 
 Síndrome de DiGeorge 
 Alterações Endócrinas 
 Alterações imunológicas primárias 
 
- Candidíase Língua negro pilosa 
 
Queixa clínica: boca seca, queimação, hipertrofia das papilas (torna-se escura). 
 
 
CANDIDÍASE SISTÊMICA OU VISCERAL 
 Características 
- Geralmente é propagada pela corrente sanguínea 
- Pode acometer vários órgãos 
- IMPORTANTE: 
 Pode ser potencialmente fatal (Neutropenia Grave) 
 Manifestações clínicas com grande variabilidade de sintomas, inespecífica. 
 
 Amostras biológicas 
- Quatro placas positivas para o mesmo fungo. 
1) (AGS)  28 +- 2°C 
2) (AGS)  37°C 
3) (BHI)  28 +- 2°C 
4) (BHI)  37°C 
 
- Exame direto de sangue tem-se limitações, mas pode ajudar na rapidez do diagnóstico 
 
 Fatores Predisponentes 
 Radioterapia e Quimioterapia 
 Medicação imunossupressora e drogas Citotóxicas 
 Emprego de corticoides 
 AIDS 
 Cuidados intensivos e rupturas de barreiras mecânicas 
 Fatores relacionados aos microorganismos 
 Antibioticoterapia prolongada e de largo espectro. 
 
 Quadros Clínicos 
 Cardíaca (endocardite) 
 Respiratória (pulmonar) 
 SNC (meningite) 
 Digestiva 
 Renal 
 Disseminada 
 Fingemia 
 
 Amostras Clínicas 
 Aspirado e lavado brônquico 
 Biopsia de diversos órgãos 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
4 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Urina 
 LCR 
 Sangue 
 
*CUIDADOS* 
- Jejum, Assepsia bucal, Observar lesões orais 
- Amostra de escarro: 3 amostras positivas para fechar diagnóstico = observar as condições da 
cavidade oral é importante, o tempo de coleta da amostra. 
- Urina, cuidados com a coleta: assepsia e coleta do jato médio (desprezar o 1º jato, afastar os 
grandes lábios). 
- Receber material COLETADO NA HORA, apenas. 
- Toda vez que o médico fazer a cirurgia, tem que falar a melhor maneira da biópsia: cortes 
finos (KOH ou corantes). Inocula no meio para fazer a cultura. 
- Microscopia direta: tem o valor para dizer se é DOENÇA (Candidíase) ou COLONIZAÇÃO DE 
FUNGOS (Candida). 
 
 Diagnóstico: Visualização microscópica 
- LEVEDURAS e PSEUDOMICÉLIO em exame direto de LCR 
- MICÉLIO e CÉLULAS BROTANTES no escarro, corado por GRAM 
- Biópsia – Septicemia por cândida (de rim e coração, por exemplo). 
 
 
CRIPTOCOCOSE 
É uma micose crônica, aguda ou subaguda de evolução geralmente grave causada por uma 
LEVEDURA CAPSULADA. 
 
 Agente Etiológico 
 Cryptococcus neoformans 
 C. laurentii 
- As 3 espécies são capsuladas, mas nem sempre apresentarão a capsula. 
- Fase filamentosa (com basídio e basidiósporo) forma infectante, no corpo ela muda e produz 
a cápsula. 
- Tem afinidade pelo SNC (disseminação) 
 
 Epidemiologia e Ecologia 
 Cosmopolita (Sorotipo A, D e AD) 
 Regiões tropicais e subtropicais (Sorotipo B e C) 
 Alta incidência em pacientes com AIDS por C. neoformans var neoformans 
 Alta incidência em nativos do Norte por C. neoformans var gattii 
 
 Fonte de Infecção 
 Solo 
 Fezes de pombos e outras aves 
 Madeira em decomposição 
 
 Vias de Infecção 
 Inalatória 
 Tegumentar (introdução do fungo diretamente) 
 
 
 
Micologia – Resumo – 2ª Prova 
5 
Alberto Galdino - Biomedicina 
 Ciclo de Infecção 
Excreção da ave  Dejetos ricos em esporos (basidiósporos)  Inalação e ida pro 
pulmão  Alojamento nos alvéolos  Disseminação no SNC  Cultura Positiva 
 
 Quadros Clínicos 
 
 
Formas Anatomo-Clínicas 
da Criptococose 
 
 
- Diagnóstico Diferencial: Molusco Contagioso 
 
 Amostras Clínicas 
 LCR 
 Esputo 
 Lavado Brônquico 
 Sangue 
 
 Exame Direto 
 Clarificação com KOH 
 Coloração com Tinta Nanquin (tinta da China): PRODUZ MELANINA 
- Lesões com pápulas e lesões granulomatosas 
 
 Cultura 
 Ágar Sabouraud adicionado de antibiótico 
 Meio de Staib (meio contendo sementes de níger) 
 
 Identificação 
- Aspectos MACROSCÓPICOS, MICROSCÓPICOS e FISIOLÓGICOS 
- Produção da enzima UREASE 
- Células de levedura isoladas ou brotantes c/cápsula (nanquin) 
- Espécies de Criptococose: mucoide no meio (é brilhante e coloração creme) 
- Resistente 
- Meio Canavina-Glicina- Azul de Bromotimol (CGB): 
 resultado positivo: var gattii (amarelo escuro, pois fermenta glicina) 
 resultado negativo: var neoformans (fica azul) 
 
 Diagnóstico Micopatológico e Histopatológico 
 Visualização de levedura capsulada em preparações com tinta nanquim. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lesões Tegumentares 
(predominantemente