A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
578

Pré-visualização | Página 1 de 1

Introdução aos Estudos Universitários
http://ead.ugf.br/
1
Introdução aos Estudos 
Universitários
Sistema Nacional De Avaliação Da 
Educação Superior.
Introdução aos Estudos Universitários Introdução aos Estudos Universitários
http://ead.ugf.br/ http://ead.ugf.br/
2 3
Sistema Nacional De Avaliação Da Educação Superior 4
Referências 6Sumário
Introdução aos Estudos Universitários Introdução aos Estudos Universitários
http://ead.ugf.br/ http://ead.ugf.br/
4 5
7. SiStema NacioNal De avaliação 
Da eDucação Superior
O Sistema Nacional de Avaliação da Educação 
Superior (Sinaes) foi instituído pela Lei nº 10.861, de 14 
de abril de 2004, sendo formado por três componentes 
principais: a avaliação das instituições, dos cursos e do 
desempenho dos estudantes. O Sinaes avalia todos os 
aspectos relacionados ao ensino, à pesquisa, à extensão, 
à responsabilidade social, ao desempenho dos alunos e 
à gestão da instituição, bem como o corpo docente, as 
instalações e vários outros aspectos.
Os resultados das avaliações possibilitam traçar 
um panorama da qualidade dos cursos e instituições 
de educação superior no País. As informações obtidas 
com o Sinaes são utilizadas pelas Instituições de 
Ensino Superior (IES), para orientação da sua eficácia 
institucional e efetividade acadêmica e social; pelos 
órgãos governamentais, para orientar políticas públicas; 
e por estudantes, pais de alunos, instituições acadêmicas 
e público em geral, para orientar suas decisões quanto à 
realidade dos cursos e das instituições.
Assim, o processo de avaliação institucional tem como 
objetivo:
• a melhoria da qualidade da educação superior; 
• a orientação da expansão de sua oferta;
• o aumento permanente da sua eficácia 
institucional e efetividade acadêmica e social; 
• o aprofundamento dos compromissos e 
responsabilidades sociais;
• a afirmação da autonomia e da identidade 
institucional.
O Sinaes é um sistema de avaliação global e integrada 
das atividades acadêmicas, composto por três processos 
diferenciados, a saber:
1. Avaliação das instituições: estas avaliações se 
desenvolvem em dois momentos principais:
a) Autoavaliação institucional, conduzida pelas 
Comissões Próprias de Avaliação: precede os processos 
avaliativos do Ministério da Educação. É considerada 
uma ferramenta indispensável para o aprimoramento 
das atividades desenvolvidas pela universidade, devendo 
permear os serviços da instituição e envolver todos seus 
segmentos.
b) Avaliação externa, realizada por comissões 
externas, cujos membros pertencem à comunidade 
acadêmica e científica, designadas pelo Instituto Nacional 
de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP).
2. Avaliação dos cursos de graduação: é um 
procedimento utilizado pelo Ministério da Educação para 
o reconhecimento ou a renovação de reconhecimento 
dos cursos de graduação, representando uma medida 
necessária para a emissão de diplomas. 
3. Avaliação do desempenho dos estudantes – ENADE: 
tem o objetivo de verificar o rendimento dos alunos 
dos cursos de graduação em relação aos conteúdos 
programáticos previstos nas diretrizes curriculares, 
suas habilidades e competências. O ENADE é aplicado 
periodicamente e constitui-se como um componente 
curricular obrigatório dos cursos de graduação, sendo 
inscrita no histórico escolar do estudante somente a sua 
situação regular com relação a essa obrigação.
Na UGF, o objetivo geral da autoavaliação institucional, 
segundo o seu PDI, é: 
(...) avaliar as atividades acadêmicas e 
de gestão da instituição de forma global e 
sistemática, identificando pontos fortes e 
fragilidades, de tal modo que essa prática se 
constitua em ação estratégica para a tomada 
de decisões. A autoavaliação busca viabilizar 
mudanças e empreendimentos institucionais 
baseados em avaliações realizadas por todos 
os atores envolvidos no processo, integrando 
distintos momentos, instrumentos e modalidades 
avaliativas, conforme os princípios e diretrizes 
do Sinaes. (UGF, PDI, 2007, p. 75)
Assim, a adesão à avaliação é de extrema importância 
para promover a autoconsciência da instituição, 
fundamental ao desenvolvimento de pessoas e de 
projetos inovadores. A UGF utiliza como estratégia para 
disseminar a cultura avaliativa o estabelecimento de 
Semana de AutoAvaliação a cada semestre letivo. 
Então, conheça e participe da Avaliação Institucional 
da UGF através do link: http://www.ugf.br/
avaliacao/ 
Introdução aos Estudos Universitários
http://ead.ugf.br/
6
referêNciaS
BERNHEIM, Carlos Tunnermann; CHAUI, Marilena. 
Desafios da universidade na sociedade do conhecimento: 
cinco anos depois da Conferência Mundial sobre educação 
superior. Disponível em: www.unesdoc.unesco.org/
images/0013/001344/134422por.pdf. Acesso em:
FÁVERO, Maria de Lourdes (Org.). A universidade 
em questão. São Paulo; Campinas: Cortez; Autores 
Associados, 1989.
______. A universidade do Brasil. Um itinerário 
marcado de lutas. In: Revista Brasileira de Educação, n. 
10, jan./abr. 1999. Disponível em: www.scielo.br. Acesso 
em:
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes 
necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 
2011.
FREITAS, Marcos C. Memória intelectual da educação 
brasileira. Bragança Paulista: EDUSF, 1999. 
GARCIA, W. E. Inovação educacional no Brasil: 
problemas e perspectivas. Campinas: Autores Associados, 
1995. 
LAMPERT, Ernâni; BAUMGARTEN, Maíra. Universidade 
e conhecimento: possibilidades e desafios na 
contemporaneidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 
2010.
MANACORDA, Mario A. História da educação: da 
antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 2000.
RIBEIRO, D. A Universidade Necessária. São Paulo: Paz 
e Terra, 1969.
SILVA, Waldeck Carneiro da. Universidade e sociedade 
no Brasil: oposição propositiva ao neoliberalismo na 
educação superior. Niterói; Rio de Janeiro: Intertexto; 
Quartet, 2001.
VEIGA, Ilma Passos A. (Org). Projeto Político 
Pedagógico da Escola: Uma Construção Possível. 16. ed. 
Campinas: Papirus, 2003.
______. Projeto Político Pedagógico: Educação Básica 
e Superior. Campinas: Papirus, 2004.
VEIGA, Ilma Passos A.; FONSECA, Marília (Org.). As 
Dimensões do Projeto Político-Pedagógico. Campinas: 
Papirus, 2001.
VERGER, Jacques. Homens de saber na Idade Média. 
São Paulo: EDUSC, 1999
Sites
MISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Formulário do Plano 
de Desenvolvimento Institucional (PDI). Disponível em 
http://www2.mec.gov.br/sapiens/Form_PDI.htm. Acesso 
em: 27 nov. 2011.
UNIVERSIDADE GAMA FILHO. Projeto Pedagógico 
Institucional (PPI). Rio de Janeiro: UGF, 2007. Disponível 
em http://www.ugf.br/files/ppi_2007.pdf. Acesso: em 27 
nov. 2011.
______. Plano de Desenvolvimento Institucional 
(PDI). Rio de Janeiro: UGF, 2007. Disponível em http://
www.ugf.br/files/pdi_2007-2016.pdf. Acesso em: 27 nov. 
2011.
	Trabalhos acadêmicos