A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
277 pág.
TCC dicas e regras de como enfrentar esse desafio

Pré-visualização | Página 21 de 50

os dados necessários dependem de onde a mesma foi consultada. Se for num 
livro, segue a instrução para livros, se for diretamente a legislação, na Internet, por exemplo, 
deve-se anotar: 
a) jurisprudência da legislação, 
- federal: nome do país; 
- estadual: nome do estado; 
- municipal: nome do município; 
b) órgãos responsáveis pela sua elaboração, citando todos, em ordem hierárquica 
decrescente (normalmente indicados antes do caput da mesma, sendo o caput a 
apresentação resumida, antes do texto da legislação propriamente dita, que 
resumo a sua finalidade); 
c) tipo de legislação e correspondente número, por exemplo: Lei n. 4.591; 
d) data da publicação (dia, mês e ano); 
e) caput da legislação: enunciado que está no início da legislação que resume o 
seu objetivo; 
f) local de publicação; 
g) endereço completo do site no qual a legislação foi consultada; 
h) data completa de acesso à internet. 
3.5.2.1.8 Dados para composição de referências de mensagens pessoais 
Se mensagem pessoal (exceção: pois não é de livre acesso a todos, mas é considerado por 
NBR 6023 (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002b) passível de se 
criar citação e referência): 
a) autor (quem enviou); 
b) endereço do e-mail que recebeu a mensagem; 
c) data na qual a mensagem foi enviada (dia, mês, ano). 
3.5.2.1.9 Dados para composição de referências de documentos disponíveis na internet 
Se algum tipo de documento citado anteriormente estiver acessível em um site da 
Internet: 
 
70 
a) todas as informações em função do tipo de documento (conforme itens 
anteriores); 
b) endereço completo do site que leva diretamente ao documento (se necessário, 
anotar caminho no site para localizar documento, se este não gera um endereço 
particular para visualizar o mesmo); 
c) data de acesso completa (dia, mês, ano). 
 
Em caso de informação disponível somente na Internet, isto é, não se caracteriza com um 
tipo de documento que se possa acessar fora da mesma, anotar: 
a) autor: pessoa física ou jurídica responsável pelo site ou texto; 
b) título do site ou trabalho e quando não existir, entre colchetes, explicar qual o 
seu conteúdo; 
c) data da publicação: raramente está disponível; 
d) endereço completo do site que leva diretamente ao documento (se necessário, 
anotar caminho no site para localizar documento, se este não gera um endereço 
particular para visualizar o mesmo); 
e) data de acesso (dia, mês, ano). 
3.5.2.2 Lista de palavras-chave 
Como frisado anteriormente, para ser possível localizar as informações colhidas de uma obra, 
que foram registradas nas fichas de leitura, devem ser usadas palavras-chave. Uma palavra-
chave é, nesse caso, uma palavra significativa para encontrar as citações transcritas de um 
tema de interesse. 
As palavras-chave de todas as fichas de leitura devem ser apresentadas numa lista única, em 
ordem alfabética, por exemplo, pois se houver uma lista para cada ficha, um mesmo tema 
pode ser identificado por várias palavras-chave equivalentes. Isto geraria uma grande 
dificuldade de localizar as informações. Assim, antes de criar uma nova palavra-chave, deve-
se primeiro consultar a lista já criada para não registrar uma que seja equivalente a uma já 
existente. 
As palavras-chave das fichas de leitura devem ser bastante específicas, pois, caso contrário, 
também dificultam o trabalho. Por exemplo, se um dos temas tratado é o material de 
construção concreto, a palavra-chave não deve ser concreto, mas de forma mais específica, 
como por exemplo, concreto – materiais constituintes, concreto – dosagem, concreto – 
71 
 
cura. As palavras-chave devem ser indicadas ao longo das citações incluídas nas fichas de 
leitura para que se cumpra a função de localização do tema. 
3.5.2.3 Registro do conteúdo da obra na ficha de leitura 
É necessário fazer o registro do conteúdo da obra para maior retenção do que foi lido, uma 
vez que só pequena parte fica memorizada. Não fazer anotações na primeira leitura, mas 
quando o material já está selecionado como relevante. 
Deve-se resumir ou transcrever ideias sempre guardando referência da parte na qual a citação 
estava no texto (página, em geral, ou página e/ou seção/item no caso de normas técnicas e 
legislação) para poder retornar facilmente para uma releitura e citação. Mas cuidar para não se 
afastar dos objetivos da pesquisa ao fazer apontamentos. Na medida que o pesquisador se 
sente motivado para fazer comentários sobre o conteúdo da obra (ou comparações entre 
obras), fazer aqui este registro para não perdê-los com o passar do tempo. Esses comentários, 
quando existirem, devem estar bem sinalizados (por exemplo, dentro de uma moldura) para 
que não sejam confundidos em citações da obra. 
As informações retiradas de uma obra podem ser apresentadas na forma de citação: 
a) direta: reprodução do texto do autor exatamente como está no material 
consultado; 
b) indireta: reprodução da informação que está no material consultado, mas com 
nova redação. Uma nova redação não é a substituição ou exclusão de poucas 
palavras por outras, mantendo a estrutura do autor, mas uma redação diferente, 
com as características e termos do autor deste novo texto; 
c) de citação: direta ou indireta, de uma informação que está no material 
consultado, mas não é de autoria do autor da obra lida, mas de autor citado por 
esse autor. 
 
Nas fichas de leitura, é aconselhável registrar citações diretas para o texto não passar por 
várias alterações antes de chegar a sua redação final no trabalho. As citações indiretas são 
adequadas, nas fichas de leitura, para trechos que se deseja resumir, não trazendo do original 
o conteúdo com todos os detalhes lá registrados. 
É interessante indicar que é importante já incluir na ficha de leitura também as ilustrações e 
tabelas que parecem importantes para o texto, pois assim, além de já as ter em separado da 
obra, se testa se a qualidade de reprodução destas é adequada para o trabalho. Assim, quando 
72 
o material estiver disponível em papel as ilustrações e tabelas devem ser scaneadas e, quando 
em arquivos pdf, deve ser usado alguma ferramenta de captura. Sempre recortar a ilustração 
ou tabela sem criar uma grande margem ao redor dos seus limites. No caso de quadros e 
tabelas, incluir na ficha de leitura para manter o registro do original, mas, preferencialmente, 
criar um padrão de quadros e tabelas no Microsoft Excel® e, posteriormente, as copiar e colar 
no trabalho. Sempre que a ilustração ou tabela for trazida de outro arquivo deve-se utilizar 
não o simples copiar-colar, mas o copiar, no arquivo de origem, e o colar especial, como 
imagem, no texto que a recebe. Feito isso, usar botão direito do mouse, formatar figura e 
selecionar <layout> e <alinhado>. Isto permite fixar a ilustração ou tabela num determinado 
local do texto e lhe atribuir o estilo adequado (ilustração ou tabela colada). 
A inclusão da ilustração ou tabela na ficha de leitura se dá anotando também a página na 
qual se encontra, reproduzindo a sua identificação e quando no original houver indicação de 
fonte, essa deve ser também reproduzida. Usar já na ficha de leitura os estilos adequados para 
identificação (identificação de ilustração ou tabela), para a ilustração propriamente dita 
(ilustração/tabela colada) e para a fonte (fonte dados ilustração/tabela). Indica-se, também, 
palavra-chave para a ilustração ou tabela. Essa palavra chave é indicada na sequência a 
identificação da mesma. Veja exemplo 3.14. 
Como já salientado, deve-se registrar junto a cada citação, sempre que possível, a página na 
qual essa informação está no original. Indica-se a página (por exemplo, p. 2) ou o intervalo de 
páginas