Estudo do Espaço e do Ponto
43 pág.

Estudo do Espaço e do Ponto


DisciplinaGeometria Descritiva I1.225 materiais40.147 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Professora: Daniely Formiga Braga 
E-mail: danielyformiga@ufersa.edu.br 
ESTUDO DO ESPAÇO E 
DO PONTO 
Caraúbas/RN 
OBJETIVOS 
- Representar um ponto espacial e em épura 
- Ler a épura de um ponto 
- Identificar pontos simétricos 
ELEMENTOS DE PROJEÇÃO 
A projeção de um objeto é sua 
REPRESENTAÇÃO GRÁFICA num plano. 
 
- Plano de projeção 
- Objeto 
- Projetante, ou raio projetante 
- Centro de projeção 
ELEMENTOS DE PROJEÇÃO 
- A lanterna é o 
centro de projeção; 
 
- Os raios de luz 
são as projetantes; 
 
- A sombra é a 
representação do 
objeto em projeção. 
O CENTRO DE PROJEÇÃO É PRÓPRIO: 
PROJEÇÃO CÔNICA OU SISTEMA CÔNICO DE 
PROJEÇÃO 
- O centro de projeção 
está no infinito; 
 
- Os raios solares 
podem ser considerados 
raios projetantes; 
 
- A sombra 
é a representação da 
projeção do objeto. 
O CENTRO DE PROJEÇÃO É IMPRÓPRIO: 
PROJEÇÃO CILINDRICA 
OU SISTEMA CILÍNDRICO DE PROJEÇÃO 
A PROJETANTE é a reta que passa pelos 
pontos do objeto e intercepta o plano de projeção. 
 
CENTRO DE PROJEÇÃO é o ponto fixo de 
onde partem ou por onde passam as projetantes. 
Um ponto se projeta num plano quando a 
projetante intercepta o plano de projeção 
CLASSIFICAÇÃO DAS PROJEÇÕES 
Os sistemas de projeções são classificados de 
acordo com a posição ocupada pelo CENTRO DE 
PROJEÇÃO. Esse centro pode ser finito, ou 
infinito, determinando: SISTEMA CÔNICO, 
também chamado de Sistema Central e o 
SISTEMA CILÍNDRICO. 
SISTEMA CÔNICO DE PROJEÇÃO 
Os raios projetantes partem do centro O de projeção e 
passam pelos pontos do objeto a ser projetado levando 
esses pontos até o plano, onde definem a projeção do 
objeto no plano 
SISTEMA CILÍNDRICO DE PROJEÇÃO 
Os raios projetantes vêm do infinito e passam 
pelos pontos do objeto a ser projetado levando 
esses pontos até o plano, onde definem a projeção 
do objeto no plano. Dependendo da direção das 
projetantes as PROJEÇÕES CILÍNDRICAS 
podem ser OBLÍQUAS ou ORTOGONAIS. 
SISTEMA CILÍNDRICO OBLÍQUO 
As projetantes partem do infinito e têm direção oblíqua 
em relação ao plano de projeção, isto é, formam ângulos 
diferentes de 90º 
SISTEMA CILÍNDRICO ORTOGONAL 
As projetantes partem do infinito e têm direção ortogonal 
em relação ao plano de projeção, isto é, formam com o 
plano um ângulo de 90º 
Os objetos são diferentes, mas observe que quando os 
sobrepomos no espaço, suas projeções coincidem. 
SISTEMA MONGEANO DE PROJEÇÃO 
A projeção cilíndrica ortogonal foi adotada 
por Gaspard Monge, para a criação do 
 
SISTEMA MONGEANO DE PROJEÇÃO 
 
 
As projeções no PLANO VERTICAL são diferentes das projeções no PLANO 
HORIZONTAL, isto faz com que os objetos fiquem melhor definidos. 
Veja agora como é possível determinar a forma e a posição dos 
objetos no espaço 
 O ESPAÇO 
3º Diedro 4º Diedro 
1º Diedro 2º Diedro 
SPHP 
Linha de Terra 
CONCEITO 
Pode-se representar um ponto de várias 
maneiras, mas é uma entidade 
matemática sem dimensões 
ESTUDO DO PONTO 
Um ponto é representado por suas 
coordenadas descritivas 
(P) [X; Y ;Z] 
(P) [P0; P; P\u2019] 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO NO ESPAÇO 
Y > 0 e Z >0 
0 
z
 (
A
) 
(A) 
y (A) 
Afastamento 
C
o
ta
 
Plano de perfil 
A0 
A` 
A 
Um ponto é caracterizado numericamente pela expressão: 
 (P) [x; y; z] 
1º Diedro 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO NO ESPAÇO 
2º Diedro 
Y< 0 e Z >0 
0 
z
 (
B
) 
(B) 
y (B) 
B0 
B` 
B 
(B) [x; y<0; z>0] 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO NO ESPAÇO 
3º Diedro 
Y< 0 e Z <0 
0 
z
 (
C
) 
(C) 
y (C) 
C0 
C` 
C 
(B) [x; y<0; z<0] 
0 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO NO ESPAÇO 
4º Diedro 
Y> 0 e Z <0 
0 
z
 (
D
) 
(D) 
y (D) 
D0 
C` 
D 
(D) [x; y>0; z<0] 
D´ 
L T 
(A) 
A\u2019 
A 
A\u2019 
A0 A0 
A 
Após o rebatimento obtemos a representação do ponto no 
plano por suas projeções. Esta representação é 
denominada ÉPURA. 
REPRESENTAÇÃO DO PONTO NO PLANO BIDIMENSIONAL 
SPHA \u2261 SPVI 
SPHP \u2261 SPVS 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO EM ÉPURA 
1º Diedro 
0 
Linha de chamada 
A0 
A` 
A 
z > 0 
y > 0 
No 1º Diedro a cota (z > 0) é medida da LT para cima e o 
afastamento (y > 0) é medido da LT para baixo. 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO EM ÉPURA 
2º Diedro 
0 
Linha de chamada 
B0 
B` 
B 
z > 0 
y < 0 
0 X
(B
)
z
(B
)
(B)
y (B)
B0
B`
B
LT
SP
VI
SP
VS
SP
HP
SP
HA0 X
(B
)
z
(B
)
(B)
y (B)
B0
B`
B
LTLT
SP
VI
SP
VS
SP
HP
SP
HA
No 2º Diedro a cota (z > 0) e o afastamento (y < 0) são 
medidos da LT para cima 
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO EM ÉPURA 
3º Diedro 
0 
Linha de chamada 
C0 
C` 
C 
z < 0 
y < 0 
No 3º Diedro a cota (z < 0) é medida da LT para baixo e o 
afastamento (y < 0) é medido da LT para cima. 
0
X (
C)
z
(C
)
(C)
y (C)
C0
C`
C
SP
V
I
SP
VS
SP
H
P
SP
H
A
0
LT
0
X (
C)
z
(C
)
(C)
y (C)
C0
C`
C
SP
V
I
SP
VS
SP
H
P
SP
H
A
0
LT
REPRESENTAÇÃO DE UM PONTO EM ÉPURA 
4º Diedro 
0 
Linha de chamada 
D0 
D` 
D 
z < 0 
y > 0 
No 4º Diedro a cota (z < 0) e o afastamento (z > 0) são 
medidos da LT para baixo 
0
X (
D)
z
(D
)
(D)
y (D)
D0
C`
D
SP
V
I
SP
VS
SP
H
P
SP
H
A
D´
LT
0
X (
D)
z
(D
)
(D)
y (D)
D0
C`
D
SP
V
I
SP
VS
SP
H
P
SP
H
A
D´
LT
DIEDRO - é formado por dois planos de projeção ortogonais - um horizontal, 
um vertical 
 
LINHA DE TERRA - reta determinada pela intersecção dos planos Horizontal e 
Vertical de projeção 
 
REBATIMENTO \u2013 rotação do PH em 90º para obtenção da épura 
 
ÉPURA - representação de figuras no plano bidimensional, por suas projeções. 
 
LINHAS DE CHAMADA - reta perpendicular à linha de terra, que liga as 
projeções horizontais e verticais de pontos 
 
COTA \u2013 distância de um ponto objeto ao PH 
 
AFASTAMENTO \u2013 distância de um ponto objeto ao PV. 
RESUMO 
EXERCÍCIOS 
\u2022 1º Diedro (A) [2; 3; 4] 
\u2022 2º Diedro (B) [4; -2; 5] 
\u2022 3º Diedro (C) [6; -3; -1] 
\u2022 4º Diedro (D) [8; 4; -2] 
\u2022 SPHA (E) [10; 2; ?] 
\u2022 SPVI (F) [12; ?; -3] 
\u2022 Linha de terra (G) [14; ?; ?] 
- Planos bissetores ímpar (bI) e par (bP) 
PLANOS BISSETORES 
(bI) 
1º Diedro 
3º Diedro 
(bP) 
2º Diedro 
4º Diedro 
Corte dos planos de projeção, (p) e (p\u2019), e 
dos planos bissetores, (bI) e (bP) 
(p\u2019s) 1º d 
(p\u2019I) 
(pA) (pP) 
(bI) 
2º d 
(bP) 
3º d 
4º d 
p`p 
1a 
2a 3a 
4a 
5a 
6a 7a 
8a 
(bI) 
(bP) 
Planos bissetores ímpar (bI) e par (bP) 
Planos bissetores ímpar (bI) e 
par (bP) 
 
(p\u2019) 
(p) 
(bI) 
A\u2019 
Coordenadas de pontos nos bissetores e suas 
representações em ÉPURA (bissetor ímpar): 
45º 
(A) 
A 
C\u2019 (C) 
45º 
C 
Cota e afastamento igual 
Y(A) = Z (A) e Y(C) = Z(C) 
Y(A) 
Y(C) 
Z
(A
) 
Z
(C
) 
As projeções são simétricas 
0 
A0 
A 
A\u2019 
C0 
Z
(A
) 
C 
Y(A) 
C\u2019 
Z
(C
) 
Y(C) 
1º diedro 3º diedro 
(p\u2019) 
(p) 
(bp) 
B\u2019 
Coordenadas de pontos nos bissetores e suas 
representações em ÉPURA (bissetor par): 
45º 
(B) 
B 
D\u2019 (D) 
D 
|Y(B) | = Z (B) e Y(D) = |Z(D)| 
ou 
Y(B) = - Z(B) e Y(D)