Resumo Fisiologia (Sistema Endócrino)
39 pág.

Resumo Fisiologia (Sistema Endócrino)


DisciplinaFisiologia I31.491 materiais292.620 seguidores
Pré-visualização9 páginas
Resumo de Fisiologia Sistema Endócrino 
 
Gabriela Carvalho Abreu Página 1 
 
SISTEMA ENDÓCRINO 
\uf0b7 Responsável pela regulação e coordenação dos processos fisiológicos. 
\uf0b7 Integra e controla as funções corporais. 
\uf0b7 Proporciona estabilidade ao meio ambiente interno. 
\uf0b7 Regula o desenvolvimento, crescimento e reprodução. 
 
\uf0fc Mensageiro químico \u2013 hormônio \uf0e0 substâncias químicas secretados na 
corrente sanguínea por células especializadas que regulam as funções 
metabólicas. 
 
 
 
 
Hormônios 
\uf0b7 Ativação / Atuação: célula alvo com receptor. 
\uf0b7 Transporte: sangue, livres ou ligados às proteínas plasmáticas. 
\uf0b7 Degradação: fígado (fezes) e excreção renal. 
\uf0b7 Produção: glândulas endócrinas e tecido neurossecretor (hipotálamo). 
\uf0b7 Composição química: peptídeos, derivados de aminoácidos, derivados de 
colesterol e aminas (derivados de tirosina). 
Resumo de Fisiologia Sistema Endócrino 
 
Gabriela Carvalho Abreu Página 2 
 
\uf0b7 Funções gerais: crescimento, desenvolvimento, reprodução, regulação da 
disponibilidade energética, manutenção do meio interno e modulação do 
comportamento. 
\uf0b7 Mecanismos de ação: ou por ativação direta do gene (Ex. Hormônios 
esteroides) ou por formação de segundo mensageiro \uf0e0 ativação de AMPc 
e ativação de IP3/Ca++ (Ex. Hormônios peptídicos). 
 
Principais glândulas endócrinas 
\uf0b7 Hipotálamo: tem função endócrina, produz hormônios liberadores (GHRH, 
CRH, TRH, GnRH) e inibidores (GHIH, HIP). 
\uf0b7 Hipófise ou pituitária: é uma glândula regulada pelo hipotálamo, libera 
hormônios estimuladores de outras glândulas. A adenohipófise produz GH, 
FSH, TSH, LH, ACTH e prolactina. A neurohipófise secreta o ADH e a 
ocitocina (que são produzidas no hipotálamo). 
\uf0b7 Tireoide: T3, T4 (células foliculares), calcitonina (células parafoliculares ou 
células C). 
\uf0b7 Paratireoide: paratormônio, controlado pela concentração de cálcio, está 
fora do eixo de regulação. 
\uf0b7 Adrenal: Medula (catecolamina - adrenalina e noradrenalina). Córtex 
(mineralocorticoides \u2013 aldosterona, glicocorticoide \u2013 cortisol e androgênios). 
\uf0b7 Pâncreas: insulina e glucagon, regulada pela concentração sanguínea de 
glicose. 
\uf0b7 Gônadas sexuais: testículos (testosterona), ovários (estrógeno e 
progesterona). 
\uf0b7 Rim: secreta eritropoietina, calcitriol (vitamina D ativa), renina. 
 
Ações 
\uf0b7 Endócrinas: corrente sanguínea \u2013 receptor. 
\uf0b7 Parácrinas: célula a célula (no mesmo tecido). É produzida e secretada 
dentro de um tecido. 
\uf0b7 Neurócrinas: precisa de estímulo nervoso. 
\uf0b7 Neuro-hormonal: Endócrino + neurócrino (ex. Adrenalina). Neurotransmissor 
que não cai na fenda sináptica e sim na corrente sanguínea. 
 
Natureza dos hormônios 
\uf0b7 Peptídeos (insulina, ADH, epinefrina). Hidrofílicos. 
\uf0b7 Esteroides (base-composição-colesterol) - progesterona, testosterona, 
cortisol. Hidrofóbicos. 
Obs: hormônios peptídeos são sintetizados e armazenados em vesículas, 
diferente dos hormônios esteroides que não são armazenados. Portanto o 
estímulo nos hormônios peptídeos provoca liberação e nos hormônios 
esteroides síntese. Os hormônios hidrofóbicos utilizam transportadores na 
circulação. 
Resumo de Fisiologia Sistema Endócrino 
 
Gabriela Carvalho Abreu Página 3 
 
Derivados da tirosina 
\uf0b7 Liga-se a proteínas citoplasmáticas (tireoglobulina). 
\uf0b7 Armazenado em vesículas secretoras (noradrenalina e adrenalina). 
Obs: Esses hormônios obtêm suas especificidades a partir da alteração 
enzimática do aminoácido da tirosina. O hormônio que a tireoide produz fica 
ligado a uma tireoglobulina até ser estimulado para ser secretado. 
 
Hormônios Peptídicos 
\uf0b7 Síntese e armazenamento: na célula, em vesículas. Quando a célula é 
estimulada, ele é liberado. 
 
Transcrição DNA para formar o RNAm. Apresenta em sua extremidade N 
terminal um grupo de 15 a 30 aminoácidos chamados de peptídeo sinal 
(pré-pro-hormônio) 
 
 
 
RNAm faz a síntese da proteína do RER (Tradução). Remoção do peptídeo 
sinal pela peptidase sinal 
(pró-hormônio) 
 
No Golgi ocorre a clivagem do pró-hormônio em hormônios + peptídeos. 
(hormônio) 
 
Empacotamento de hormônios + copeptídeos em vesículas 
 
Estímulo para exocitose: aumento [Ca2+] e [AMPc]. 
 
Hormônios Esteróides 
\uf0b7 Síntese a partir do colesterol. 
\uf0b7 Praticamente não são armazenados. 
\uf0b7 Apresentam receptores específicos intracelulares. 
\uf0b7 Estão associados à proteína (Ex. Albumina, tireoglobulina). 
\uf0b7 Como estão ligados a proteínas plasmáticas no sangue, eles ficam 
dessa maneira inativos enquanto ligados, funcionando como 
reservatórios e retardando sua depuração. 
 
Transporte 
\uf0b7 Livre (hormônios peptídeos e catecolaminas). 
Resumo de Fisiologia Sistema Endócrino 
 
Gabriela Carvalho Abreu Página 4 
 
\uf0b7 Ligados a proteínas plasmáticas (hormônios esteroides e hormônios da 
tireoide). 
Obs: O hormônio livre é a forma biologicamente ativa para a ação no órgão-
alvo, no controle do feedback, na metabolização do hormônio e consumo pela 
célula. A ligação à proteína serve para diversos propósitos, ela prolonga a meia 
vida do hormônio, serve como reserva de hormônios e facilita seu transporte. 
 
Os receptores podem estar 
\uf0b7 Intracelulares. 
\uf0b7 Membrana plasmática: 
- receptor com atividade tirosina quinase (Ex. Insulina); 
- ligado ao canal iônico \uf0e0 ionotrópico; 
- ligado à proteína G \uf0e0 metabotrópico. 
 
\uf0fc Hormônio peptídeo: receptor na membrana plasmática. 
\uf0fc Hormônio esteroide: receptor intracelular. 
 
 
Mecanismo de ação hormonal 
Os hormônios podem atuar formando AMPc (ativa a proteína quinase) ou 
podem inibir a formação do AMPc. 
Ex: A maioria dos hormônios hipofisários utilizam o 2º mensageiro AMPc. 
Outro mecanismo de ação = Inusitoltrifosfato (IP3/Ca++). 
 
Mecanismo ligado à proteína G \uf0e0 Quando o hormônio ativa o receptor, o 
complexo de proteínas alfa, gama e beta estão inativos, quando existe à 
associação com o receptor vai haver conversão de GDP em GTP. Isso faz com 
Resumo de Fisiologia Sistema Endócrino 
 
Gabriela Carvalho Abreu Página 5 
 
que a subunidade alfa à qual está ligado o GTP se dissocie das subunidades 
beta e gama da proteína G, e interaja com as proteínas alvo ligadas à 
membrana (enzimas) que iniciam sinais intracelulares. 
Essa é a via de transdução do sinal ou via de sinalização. A via é desativada 
por meio da internalização do hormônio e ou do receptor. 
 
GDP + subunidade alfa \uf0e0 inativo 
GTP + subunidade alfa \uf0e0 ativo 
 
\uf0fc Resumo: 
Proteína G + hormônio \uf0e0 Ativa subunidade alfa \uf0e0 Ativa adenilil ciclase \uf0e0 
AMPc \uf0e0 ativa proteínas quinases. 
 
Obs: Os receptores de membrana possuem efeitos rápidos nos processos 
celulares, que são independentes da síntese proteica, ou podem regular a 
expressão genica. Enquanto que receptores intracelulares apresentam efeitos 
lentos e de longo prazo que envolvem o remodelamento da cromatina e 
alterações da expressão genica. 
 
Descrição segundo o livro da Linda 
Obs: Proteína Gs ou Gi (Gs \u2013 proteína ativa, Gi \u2013 proteína inativa). 
 
Mecanismo de adenilil ciclase: envolve a ligação de hormônio ao receptor 
acoplado por proteína Gs ou Gi e, depois ativação ou inibição de adenilil 
ciclase, levando a aumentos ou diminuição de AMPc intracelular. AMPc 
(segundo mensageiro), então amplifica o sinal hormonal produzindo ações 
fisiológicas finais. 
 
1. Hormônio se liga ao receptor na membrana celular, produzindo alteração 
conformacional na subunidade alfa-s, o que produz duas alterações: o 
GDP é liberado da subunidade alfa-s e é substituído por GTP e a 
subunidade alfa-s se separa. 
2. Complexo alfa-s \u2013 GTP migra pela membrana celular e se
Amanda
Amanda fez um comentário
Disponibiliza pra download, por favooor!!!
0 aprovações
Natália
Natália fez um comentário
Muito bom!
0 aprovações
Carregar mais