A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
A Competência Amorosa

Pré-visualização | Página 1 de 2

A compêtencia amorosa (in: Ética, valores humanos e transformação, Regina Migliori)
	“Ao termino de um período de decadência sobrevém o ponto de mutação. A luz poderosa que fora banida ressurge. Há movimento, mas este não é gerado pela força... O movimento é natural, surge espontaneamente. Por essa razão, a transformação do antigo torna-se fácil. O velho é descartado, e o novo, introduzido. Ambas as medidas se harmonizam com o tempo, não resultando daí nenhum dano.” (I Ching)
	Às vezes, uma dureza interna nos faz muito infelizes.
	“O que importa é que sejas sempre novo, que te desprendas cada dia o homem-velho, e que cada dia tornes a nascer, a crescer e a progredir.” (Sto. Agostinho) (13)
	Acostumamos a organizar a realidade sob o ponto de vista da ordem linear, estabelecemos relações de causa e efeito fechadas e intransigentes, que cerceiam a nossa capacidade de compreender o outro e a nós mesmos...
	Qualquer ação movida pelo ressentimento, pela indignação, pela discórdia, gera sofrimento.
	A harmonia da sociedade, dos países, está ligada diretamente ‘a harmonia interna das pessoas que atuam nesses universos: são as consciências individuais e coletivas interagindo, criando ações, idéias, dando forma ao mundo em que vivemos. (14)
	A novidade não é a transformação. Nova é a consciência que temos dela. (15)
	PAG. 16: Esquema: Filtro Mental (Paradigmas) -> Processamento mental -> Produtos -> transformação da realidade -> realidade externa -> Percepção.
	Filtros mentais: paradigmas
	Paradigma: Referencial primário, da estrutura básica de pensamento que irá determinar a nossa postura perante a realidade. É algo que antecede a criação de nossas idéias, determina o modo de pensar. Mais, o referencial paradigmático estabelece parâmetros tb de valor, de crenças, de relacionamento, de nossa vida, enfim.
	Mudança paradigmática é pois mudança de vida, de estruturas profundas...
	É como encararmos a maior parte de tudo o que conhecemos e sentimos, nossa casa, escola, cto, emprego, sentimentos, mundo. POr trás de tudo o que estamos cansados de saber esconde-se tudo o que precisamos descobrir. ...questão de fé.
	É uma criação humana para viver o mundo.
	Em Thomas Kuhn, paradigma é “ conjunto implícito de pressupostos que servem de base a teorias e sistemas de pensamento”. É algo que os membros de uma comunidade cii compartilham. (17)
	Eis o ponto central: a condição de exemplo compartilhado. Essa forma, os membros de uma cultura acabam vendo as mesmas coisas quando submetidos aos mesmos estímulos. 
	Sua influencia na vida é tão grande que passa a ser subliminar, inconsciente. Não nos damos conta e que nossa compreensão está sendo regida pelos cânones paradigmáticos. 
	Considerar o ser humano como “obviamente” dividido em corpo e mente é um bom exemplo desses condicionamentos que separaram em nós ação, pensamento e sentimento.
	Crise paradigmática...
	O novo paradigma propõe uma nova postura científico-filosófica e preconiza a retomada de uma visão da realidade de forma integrada, dinâmica, complexa e complementar. (18)
	Isso exige que se mude tb os antigos esquemas de compreensão de si e do mundo. 
	O filtro mental pode ser nosso carrasco ou nosso libertador. (19)
	NOSSA percepção
	Vivemos a era do audiovisual. Pouco tocamos e quase nada provamos ou cheiramos. 
	A nat. dotou cada espécie de diferentes programas sensoriais de sobrevivência. ...mas não podemos ser “predadores dos sentidos”, quando passamos a desequilibrar nossos p. processos mentais.
	...cuidar para não interferir negativamente no desenvolvimento da nossa capacidade perceptiva, pois desequilibraremos uma programação natural que não nos sobrecarrega com habilidades desnecessárias em detrimento de outras imprescindíveis. 
	Tudo já é conhecido, esmiuçado, detalhado, rotineiro e enfadonho.
	Já vi um disso, já vi todos... é a monotonia instaurada como modo de vida dominante. 
	Criamos nossa p. rotina, e aí saímos em busca de algo diferente que nos entusiasme, porque o dia-a-dia é sempre igual.
	...as pessoas na cidade grande se acostumam ao barulho... (21), poluição visual, cheiros... registramos tudo como generalidades, não se processa as informações.
	A proposta paradigmática e pragmática e termos de percepção é ACORDAR. Voltar a ver as pessoas, o cto, o trabalho com o mesmo entusiasmo e a mesma insegurança que caract. As primeiras vezes.
	Processo mental
	Dois lados do cérebro. Um funcional e outro estrutural.
	O estrutural é o que nos faz pertencer ao gênero humano. O funcional fala do funcionamento desta estrutura. É o que difere em cada indivíduo. Dessa forma, acabamos decidindo e interferindo na nossa p. competência cerebral/funcional. (22)
	O cérebro “pensa” de dois modos: o hemisfério esquerdo propicia o pensamento esquemático, crítico, linear, dividindo o muno em pedaços. O direito processa a totalidade, conectando imagens e sensações. 
	Mesmo em funções diferentes, ambos trabalham juntos, em cooperação, através do corpo caloso, estrutura de tecido nervoso que liga os hemisférios. 
	A soc. Moderna discriminou o hemisfério direito.
	Quais os processos mentais provocados em aula ?
	Estrutura de conexões
	Primeiro nível. Eu comigo mesmo: quem sou eu ?
	Quais nossas forças e fraquezas para atuarmos no mundo ?
	Estamos tão habituados ao modelo de vida fragmentado que não percebemos o quanto estamos desligados da realidade, e de nós mesmos. Quem sou eu? O que pretendo oferecer ao mundo ? O cto de si traz a consciência. e a responsabilidade pela autoria de nossas ações e nos prepara para entrarmos em ação.
	II nível. O inivíduo e seu universo próximo.
	Consciente ou não estamos em ação. Discutir a qualidade dela é discutir tb o grau de consciência que temos dela. 
	Queiramos ou não, nossos atos estão sempre interferindo na realidade externa. O fato de não termos consciência de nossas ações não significa que elas deixarão de determinar inúmeras conseqüências, pois esses atos passam a ter existência p. (25)
	Nossa ação não é linear. O que fazemos está conectado a tudo o que já vivemos anteriormente, ao que estamos vivendo e ao que iremos viver. 
	Na realiade, o que ocorre não é “não saber nada sobre o assunto”, mas sim naoconseguir identificar dentro de si a conexão com a solicitação que está sendo feita. ...o que eu tenho dentro de mim para oferecer ao mundo neste momento, nesta situação?”
	Se eu realmente sei algo nessa vida, isto está presente nos meus pensamentos, idéias, sentimentos, discurso e ação. (26)
	
	III Nível.
	Conexão global
	O potencial é individual, a ação, local, e a repercussão, planetária. O que faço aqui, terá repercussões que se estendem no eixo tempo e do espaço.
	E pretendemos exercer nosso poder sobre essa realidade pentassensorial. Esse é um poder exterior que pode ser obtido, conquistado,comprado, vendido, negociado; enfim, ele se coloca sempre numa posição externa a nós mesmos. 
	As distorções no exercício desse poder, gerado por um modelo de vida competitivo que nos impele ‘a dominação, nos conduz ‘a produção de 2 universos: vencedores e vencidos. Essas posições geram o isolamento, a fragmentação, e nos levam ao confronto que gera a violência: vencedores protegendo conquistas e vencidos tentando alcançar o que não têm ou reconquistar o que tinham. 	Um modelo de evolução centrado só na noção de sobrevivência e exercício de poder externo pode nos conduzir ao confronto e destruição. Não somos somente um corpo em busca de sobrevivência, tentando dominar seu meio. 
	A evolução da consciência nos conduz não ao anseio de dominação e sim ao de compreensão. Para haver compreensão é preciso ampliar a nossa percepção e o processo mental, expandidos para além do universo pentassensorial da realidade mensurável e onde exercemos o domínio. (27) reconhece-se aqui um poder interior, natural ao SH, algo que não se conquista, não se usurpa, não se domina.