A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
38 pág.
Aula 2 - Introdução à Análise das Demonstrações Contábeis

Pré-visualização | Página 1 de 2

Prof. João Estevão Barbosa Neto
joao.estevao@unifal-mg.edu.br
Universidade Federal de Alfenas
Instituto de Ciências Sociais Aplicadas 
Análise das Demonstrações Contábeis
Amplitude da Análise Financeira
Visão estratégica da empresa
As demonstrações contábeis são instrumentos de análise que fornecem dados e informações para o diagnóstico do desempenho e da saúde financeira da empresa. 
Porém, a análise financeira transcende a análise das demonstrações contábeis, uma vez que leva em conta todos os aspectos que influenciam os negócios. 
Visão estratégica da empresa
A análise financeira, para que seja eficaz, deve ser realizada de forma a abranger suas estratégias e decisões de investimento, de financiamento e ainda suas operações.
Análise de investimento
Devem ser avaliadas sob o ponto de vista de seus retornos e riscos esperados. 
Parte dos recursos resultantes dos investimentos são aplicados em ativo permanente que possuem capacidade produtiva e operacional da empresa e, em princípio não se destinam a venda. 
Outra parte dos recursos é aplicado em ativos responsáveis pelo giro da empresa, como estoques e caixa. 
Análise de financiamento
Indica de onde vieram os recursos que a empresa está utilizando.
 Existem basicamente três fontes de recursos para as empresas:
 recursos provenientes de seus sócios e acionistas;
 de lucros gerados e retidos por suas operações;
 de dívidas com terceiros.
Para obter recursos externos a empresa pode vender participação ou tomar empréstimos. 
A relação risco e retorno deve ser levada em consideração em ambos os casos. 
Análise de financiamento
Do ponto de vista dos acionistas, o retorno vem sob a forma de distribuição de dividendos e de retenção de lucro.
O retorno dos acionistas depende do desempenho futuro da empresa, e espera-se que ele seja superior a outras aplicações de risco igual ou inferior. 
Análise de financiamento
Os fundos provenientes de empréstimos com terceiros somente serão viáveis se o preço que se paga por esses recursos for inferior ao rendimento propiciado por sua aplicação na empresa. 
Existem ainda outros recursos obtidos direta ou indiretamente de terceiros decorrentes das operações da empresa, como salários, fornecedores e encargos sociais.
O que é análise financeira?
Pode ser considerada como um exame minucioso:
 dos dados financeiros disponíveis sobre a empresa;
 das condições endógenas e exógenas que afetam financeiramente a empresa. 
Análise financeira responde:
A empresa é lucrativa?
É eficiente no uso dos seus recursos?
Está muito endividada?
Corre o risco de se tornar insolvente?
É mais competitiva que as suas concorrentes?
Qual o potencial de geração futura de lucros?
Quais os planos de investimento da firma?
Etapas da análise financeira
Coleta
Consiste na obtenção das demonstrações financeiras da empresa analisada, bem como no levantamento de outras informações relevantes referentes à empresa e ao seu mercado de atuação tais como:
Nível tecnológico
Produtos ofertados (oferta e demanda)
Qualidade da administração 
Conferência
Consiste em uma pré-análise para se avaliar se as informações estão completas, compreensíveis e confiáveis. 
Preparação
Nessa etapa deve-se fazer as reclassificações, padronizações e atualização monetária das demonstrações para adequar as mesmas `as necessidades do pesquisador, analista ou instituição que irá proceder a análise. 
Processamento
Nessa etapa deve-se: 
Calcular os índices financeiros de interesse;
Efetuar as estimativas dos modelos estatísticos de análise;
Elaborar as tabelas e escalas de índices- padrão;
Calcular notas para os índices da empresa em relação aos padrões do setor.
Análise
Nessa fase efetua-se a interpretação financeira (e estatística quando for o caso) dos resultados encontrados na fase de processamento. 
Análise
É a principal etapa do processo. Deve-se aqui verificar a existência de padrões e tendências nos índices, bem como avaliar as conseqüências desses resultados para a empresa e para a tomada de decisões referentes a:
Empréstimos
Investimentos
Correção de rumos da firma 
Conclusão
Consiste em identificar, ordenar, destacar e escrever um relatório final sintético sobre os principais pontos e recomendações acerca da empresa no que tange ao objetivo da análise (investimento, empréstimo, etc...).
Nesse relatório, termos técnicos e apresentação de valores devem ser evitados. A linguagem deve ser simples, porém consistente.
Evolução histórica da análise financeira
Historicamente, a análise financeira sempre esteve muito ligada à necessidade de identificação da solidez e da performance das empresas.
A partir de meados do século XIX, fatos como o surgimento das grandes corporações nos Estados Unidos levaram à separação das funções de proprietário e de administrador da empresa, o que efetivamente passou a exigir um sistema de avaliação formal da performance da própria administração.
Evolução histórica da análise financeira
Ao mesmo tempo, banqueiros e credores também começaram a usar formas de avaliação baseadas nas demonstrações contábeis.
Por volta de 1890, já era procedimento rotineiro dos bancos comerciais solicitarem demonstrações contábeis para avaliação de seus clientes nos Estados Unidos. 
A primeira década do século XX foi marcada pelo uso de índices financeiros como os de liquidez.
Evolução histórica da análise financeira
Em 1913, nos Estados Unidos, a legislação do Imposto de Renda incrementou significativamente a demanda por dados financeiros confiáveis. 
A partir de 1920, as agências de crédito, associações comerciais e instituições acadêmicas passaram a desenvolver análise de demonstrações contábeis de forma mais intensa. 
Evolução histórica da análise financeira
Em 1930, a formação da SEC (Security and Exchange Comission) contribuiu para a exigência de demonstrações contábeis mais detalhadas e confiáveis.
No Brasil, a Lei 6.404/76 representou para aquele momento um grande avanço, obrigando as empresas brasileiras de capital aberto a publicar demonstrações contábeis. 
Análise e áreas afins
A análise financeira de empresas mantém relação com várias outras disciplinas afins, como:
 contabilidade,
 administração financeira, 
 economia,
 direito,
 estatística. 
Contabilidade
Fornece as informações contidas nas demonstrações contábeis para o processo de análise financeira.
É necessário o conhecimento dos princípios e procedimentos contábeis para a realização de uma boa análise. 
Porém, tais conhecimentos não são suficientes, é necessário ainda a análise de dados que extrapolam a esfera contábil, como flutuações econômicas da oferta e demanda. 
Administração financeira
O papel da administração depende do porte da empresa, uma vez que as empresas menores não possuem um órgão especifico responsável pelo gerenciamento das operações financeiras, ficando essas atribuições distribuídas entre a contabilidade e o proprietário.
Por outro lado, nas grandes organizações, há a separação entre finanças e controladoria. 
É importante que o analista financeiro tenha conhecimento sobre os conceitos e fundamentos da administração financeira, para melhor compreender a performance da empresa que esteja analisando, ainda que não possa ter ação sobre as decisões que aquela empresa tenha tomado.
Administração financeira
Economia
A economia pode ser vista em duas dimensões:
 Microeconomia
 Macroeconomia.
O ambiente econômico em que a empresa está inserida irá influenciar e direcionar suas decisões estratégicas.
Desta forma, a análise da performance da empresa deverá levar em consideração o comportamento das empresas do mesmo setor em que atua e do seu mercado consumidor.
Deve-se em alguns casos levar em conta, inclusive, aspectos do ambiente econômico no mercado externo.
Direito