Chapter 3 A Macroeconomia Clássica (1) - complete and notes
1 pág.

Chapter 3 A Macroeconomia Clássica (1) - complete and notes

Disciplina:Economia do Setor Público446 materiais12.192 seguidores
Pré-visualização1 página
01/22/2008
1
Capítulo 3
A Macroeconomia Clássica (I):
Produto e Emprego de Equilíbrio
1
01/22/2008
2
O Modelo (neo)Clássico
A \u201ceconomia clássica\u201d se refere às teorias macroeconômicas convencionalmente por economistas aceitas até a Grande Depressão.
É o modelo teórico que John Maynad Keynes buscou suplantar.
Keynes usou o termo \u201cclássico\u201d para se referir a praticamente todos os economistas que tivessem escrito sobre macroeconomia antes de 1936.
2
01/22/2008
3
Características do Modelo Clássico
O modelo clássico é um modelo de equilíbrio:
O modelo descreve os fatores que determinam o nível de pleno emprego das variáveis chave da economia.
Resultados que não coincidem com o pleno emprego dos fatores de produção não são resultados de equilíbrio.
As forças da oferta e demanda garantem o equilíbrio dos mercados de fatores de produção.
O produto agregado da economia é sempre igual ao produto potencial da economia.
O \u201cgap de demanda\u201d é sempre zero.
3
01/22/2008
4
Propriedades do Modelo Clássico
O modelo clássico explica variações macroeconômicas pelo \u201clado da oferta\u201d:
As condições de demanda não são relevantes para a determinação dos resultados macroeconômicos.
A moeda é \u201cneutra\u201d:
Mudanças na oferta de moeda não afetam o emprego e o produto da economia, mas produzem apenas impactos nominais.
O uso da política monetária não produz efeitos reais.
O modelo clássico justifica o \u201cLaissez-faire\u201d:
Como o sistema tende naturalmente ao pleno emprego, não há razão para que governos realizem intervenções macroeconômicas para estimular ou estabilizar a economia.
4
01/22/2008
5
As questões mais importantes
O que determina o nível da renda/produto real da economia (y)?

O que determina o nível de emprego (N)?

O que determina o nível de preços (P)?

O que determina a taxa de juros (r)?

O capítulo 3 trata das duas primeiras questões e o capítulo 4 das outras duas.

5
01/22/2008
6
O Modelo Clássico
A função de produção \u2013 é a relação funcional entre a quantidade de insumos (fatores de produção) e o produto real da economia.
	
	y = A. \u192(K\u305,N)
6
01/22/2008
7
Os determinantes do produto agregado
O produto da economia é determinado pela função de produção;
Os determinantes do produto real são:
1. N
2. K
3. A (representada pelo fator de crescimento devido a mudanças tecnológicas)
K e T são fixos no curto prazo;

01/22/2008
8
Os determinantes do produto agregado
No longo prazo y depende de N, K e A;

No curto prazo, nós tratamos K e A como fixos, de modo que o nível de emprego (N) determina o produto real (y).

Assim, para descobrirmos o nível de produto de equilíbrio no curto prazo (y*), precisamos descobrir o nível de emprego de equilíbrio de curto prazo (N*);

8
01/22/2008
9
O Mercado de Trabalho
N* é determinado pelo equilíbrio no mercado de trabalho;
O mercado de trabalho:
é regido pelas forças de oferta e demanda;
opera sem barreiras ou tipos de rigidez ;
É equilibrado pelo ajuste do preço da mão de obra (\u3c9);
É ajustado instantaneamente de modo que o desemprego involuntário é teoricamente impossível.
01/22/2008
10
Construindo o modelo clássico
A demanda por trabalho: o produto marginal do trabalho \u2013 representa o aumento no produto real que resulta da adição de mais uma unidade de mão de obra (ceteris paribus)

MPN = \u2206y/\u2206N

Para que as firmas demandem uma unidade de mão de obra adicional, o seu custo (\u3c9 = W/p) não pode exceder o valor do produto adicional produzido pela unidade de mão de obra.

A oferta de trabalho: A desutilidade marginal do trabalho \u2013 determinado pelo trade-off entre trabalho e satisfação, onde os trabalhadores sacrificam satisfação para obter o salário real (\u3c9), que por sua vez pode ser utilizado para comprar satisfação na forma de bens e serviços.
10
01/22/2008
11

01/22/2008
12

01/22/2008
13
O mercado de trabalho
 (+)
NS = \u192 (\u3c9)
	 (-)
ND = \u192 (\u3c9)
\u3c9* e N* são
determinados simultaneamente

13
01/22/2008
14
Resolvendo para y*
N* é o nível de emprego de equilíbrio determinado no mercado de trabalho

Conhecendo N*, nós podemos achar o nível de produto real de equilíbrio y*

14
01/22/2008
15
Fatores que afetam y
Não afetam

O nível de demanda agregada (AD)
A quantidade da Moeda
Inflação
As compras pelo governo
O nível de investimento
\u2206 Impostos que afetam apenas o gasto.
15
01/22/2008
16
Afetam
\u2206N \u2013 por exemplo, um aumento na taxa de natalidade, imigração ou mudanças nas preferências dos trabalhadores.
\u2206K \u2013 um aumento no estoque de capital afeta a curva de demanda por mão de obra (ND) e a função de produção.
\u2206A \u2013 a tecnologia produtiva da economia.
Fatores que afetam y
16
01/22/2008
17
Conclusões
De acordo com o modelo clássico, as variáveis do lado da oferta variam apenas lentamente;
Portanto, de acordo com o modelo clássico, as flutuações no nível de emprego e produto real de uma economia deveriam ser infrequentes e pouco violentas;
Assim, uma falha obvia do modelo clássico foi não explicar a queda violenta da atividade produtiva e o aumento do desemprego durante a Grande Depressão dos anos 1930.

17