A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Resumo 3

Pré-visualização | Página 3 de 3

exige para sua integral regulamentação a edição de lei 
formal, entendida como ato normativo emanado do 
Congresso Nacional elaborado de acordo com o devido 
processo legislativo constitucional. 
 
 Reserva legal relativa: quando a CF, apesar de exigir edição 
de lei formal, permite que esta fixe tão-somente 
parâmetros de atuação para o órgão administrativo, que 
poderá complementá-la por ato infralegal, sempre, porém, 
respeitados os limites ou requisitos estabelecidos pela 
legislação. 
 
 Como salienta Canotilho, 
 
"quanto a certas matérias, a Constituição preferiu 
a lei como meio de actuação das disposições 
constitucionais, mas não proibiu a intervenção de 
outros actos legislativos, desde que a lei formal 
isso mesmo autorize e estabeleça, previamente, os 
princípios e objecto de regulamentação das 
matérias (reserva relativa)". 
 
 
 As hipóteses de reserva legal relativa são 
estabelecidas diretamente pela Constituição 
Federal, que permitirá, excepcionalmente, a 
complementação da legislação por atos normativos 
infraconstitucionais, pois em caso contrário, como 
salienta Canotilho, 
 
"a lei deve estabelecer ela mesmo o respectivo 
regime jurídico, não podendo declinar a sua 
competência normativa a favor de outras fontes 
(proibição da incompetência negativa do 
legislador)".