A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
119 pág.
dissertacao - estudos - violoncelo

Pré-visualização | Página 4 de 16

FIGURA 1 - J. L. Duport 
FONTE - CAMPBELL, 1989. Após pág. 128. 
 
 
 
1.2 - Justus Johann Friedrich Dotzauer 
Violoncelista, professor e compositor alemão (Haselrieth, 1783 - Dresden, 
1860). Estudou piano com Heuschkel, violino com Gleichmann e composição 
com Rüttinger (este último formou-se com J. C. Kittel, um discípulo de J. S. 
Bach) em Hildburghausen, onde também teve lições de violoncelo com 
Hessner, além de contrabaixo, trompa e clarinete. 
 
 
12
Ao escolher o violoncelo como principal instrumento seguiu para Meiningen, em 
1799, onde estudou com J. J. Kriegh (aluno de J. L. Duport) durante dois anos. 
Após este período ingressou na orquestra da Côrte, onde permaneceu até 
1805 seguindo para a orquestra de Leipzig. A partir de 1811 trabalhou na 
orquestra da Côrte de Dresden, tornando-se o primeiro violoncelo em 1821, 
posto no qual permaneceu até sua aposentadoria em 1850. Em 1806 visitou 
Berlim onde estudou e foi influenciado por Romberg7, estabelecendo assim 
mais uma ligação com os Duport. 
Dotzauer foi o fundador do Quarteto dos Professores de Leipzig e embora 
tenha se apresentado com sucesso como solista em Viena, em grandes 
cidades alemãs e na Holanda, foi também um grande professor: 
“Sua habilidade pedagógica e suas publicações didáticas resultaram 
na então chamada ‘Dresden School’ of playing, que influenciou 
alunos como F. A. Kummer, C. Drechsler, C. Schuberth e seu filho 
Karl Ludwig, e através destes, Grützmacher, Cossmann, J. 
Goltermann e outros”. (STRAETEN, 2001:518). 
Entre suas composições constam a ópera “Graciosa” (1841), missas e outras 
obras sacras, sinfonias, quartetos, trios e duos, nove concertos e três 
concertinos para violoncelo entre outras, além de ter publicado uma edição das 
Suítes para Violoncelo Solo de Bach (1826). Embora muitas de suas 
 
7 Considerado o pai da Escola Alemã de violoncelo, Bernhard Romberg (1767-1841) 
estabeleceu uma “ponte” entre Boccherini e Duport, ou seja, entre os períodos clássico e 
romântico, tendo se apresentado freqüentemente com os Duport durante sua estadia em 
Berlim. (CAMPBELL, 1989: 61-62). 
 
 
13
composições tenham caído no esquecimento, outras têm sido ressuscitadas 
em gravações. Sua produção didática continua sendo, ainda hoje, considerada 
importante para o ensino do instrumento e devido a ela foi chamado de o 
“Czerny do violoncelo”8: 
“Seus trabalhos pedagógicos permanecem importante material 
didático e extratos têm aparecido freqüentemente em coleções de 
exercícios e Estudos de compositores posteriores”. (STRAETEN, 
2001:518). 
“Dotzauer distinguiu-se não apenas como um artista executante, mas 
também como professor”. (WASIELEWSKY, 1968:121). 
Escreveu os seguintes métodos: 
• Escola de violoncelo9, Op.165; 
• Método de violoncelo para as primeiras aulas com 40 exercícios10, Op.126; 
• Método de harmônicos do violoncelo11, Op.147; 
• Escola prática de performance do violoncelo12, Op.155. 
 
 8 Carl Czerny, pianista e professor austríaco (Viena, 1791-1857), também conhecido como 
 compositor, teórico e historiador. Foi aluno de Beethoven e professor de Lizt. Sua grande 
 produção pedagógica permanece essencial ao treinamento de todo pianista. (The New Grove 
 Dictionary of Music and Musicians, 2001). 
 9 Violoncellschule, Op.165 (Mainz, 1832). 
10 Violoncellschule für den ersten Unterricht nebst 40 Übungsstücken, 0p.126 (Vienna, 1836). 
11 Violoncell-Flageolett-Schule, Op.147 (Leipzig, 1837). 
12 Praktische Schule des Violoncellspiels, Op.155 (Hamburg-Leipzig, 1870). 
 
 
14
Segundo CAMPBELL (1989:67) e MACK (1961:43), Dotzauer compôs ainda 
180 Estudos e caprichos, alguns deles contendo prelúdios e fugas. 
Johann Klingenberg (Gorlitz, 1852 - Tyrol, 1905), violoncelista e editor de 
música para violoncelo da Litolff (MACK, 1961:153), foi o revisor e editor da 
publicação “Os 113 Estudos para Violoncelo de J. J. Dotzauer”, uma coletânea 
de Estudos selecionados do compositor, em 4 volumes, os quais serão 
analisados e classificados nesta pesquisa. 
1.3 - David Popper 
David Popper (Praga, 1843 - Baden, Viena, 1913) nasceu em uma família judia 
e aprendeu a tocar piano e violino muito cedo. Aos doze anos conseguiu uma 
vaga para estudar violoncelo no Conservatório de Praga com Julius 
Goltermann (o qual havia sido aluno de Kummer, um discípulo de Dotzauer), 
descendendo então da escola técnica de Romberg e Duport. Aos dezoito anos 
empregou-se como violoncelista na Capela Real do Príncipe Hohenzollern, em 
Löwenberg, sendo elevado posteriormente a “Kammervirtuoso”. 
Em 1864 Popper foi convidado para a 1ª performance do Concerto em Lá 
Menor (op. 33) de Robert Volkmann (Hans von Bülow escolheu-o entre outros 
famosos violoncelistas da época: Grützmacher, Cossmann, Goltermann, Piatti 
e Davidov). Em 1865 apresentou-se com sucesso no Festival de Música de 
Karlsruhe como solista. Após muitas tournés pela Europa tornou-se o 1º 
 
 
15
violoncelo da Ópera de Viena em 1868, onde permaneceu até 1873 (durante 
este período integrou também o quarteto Hellmesberger), quando abandonou o 
cargo para viajar novamente pela Europa dando concertos e recitais. 
Devido ao grande sucesso de suas apresentações na Inglaterra, Escócia e 
Irlanda em 1891, a crítica local considerou justo chamá-lo de “Sarasate do 
Violoncelo”13 (CAMPBELL, 1989:107). Neste mesmo ano Popper realizou a 1ª 
audição do seu Réquiem para 3 violoncelos e orquestra (op.66), juntamente 
com o inglês Howell e o belga Delsart, na Sala St. James em Londres. 
Retornando a Praga em 1892, foi calorosamente recebido por seus 
compatriotas e a crítica do Prager Tageblatt foi a seguinte: 
“Só Popper conseguiu elevar o instrumento acima da esfera da 
melodia e cantilenas curtas, incluindo características e humores 
necessários à música moderna, em poderosas performances. Aquilo 
que ele não pôde encontrar foi substituído por sua rica inventividade. 
Foi o criador de uma literatura inteiramente nova para o violoncelo”. 
(CAMPBELL, 1989:107). 
Em 1896 tornou-se o 1º professor de violoncelo do Conservatório Real de 
Budapeste (cargo que ocupou até sua morte) onde teve como alunos Arnold 
Földesy, Jenö Kerpély, Ludwig Lebell, Adolf Schiffer (professor de Janos 
Starker), Mici Lukáks e Steven De’ak, seu biógrafo. 
 
 
13 Pablo de Sarasate (1844 - 1908), violinista virtuose espanhol que também adquiriu fama 
como compositor de peças virtuosísticas para seu instrumento. (The New Grove Dictionary of 
Music and Musicians, 2001). 
 
 
16
Popper adquiriu fama inclusive como compositor. Entre as suas mais de 75 
obras estão peças como Serenata Oriental, Tarantela, Dança dos Elfos, 
Rapsódia Húngara, o famoso Réquiem, além de 4 concertos para o seu 
instrumento. Escreveu dois métodos de Estudos os quais são mundialmente 
utilizados na pedagogia atual do violoncelo: Escola Superior de Performance 
do Violoncelo14 Op.73 e 10 Grandes Estudos de Média Dificuldade15 Op.76, 
onde o compositor explora as dificuldades técnicas encontradas na música de 
seus contemporâneos (Wagner, Liszt, etc.). A Escola Superior Op.73 contém 
40 Estudos que serão objeto de análise e classificação dentro desta pesquisa. 
“Continua sendo um dos marcos mais importantes no 
desenvolvimento da arte de tocar violoncelo (...). Proporciona um 
equilíbrio entre a música propriamente dita e inovações técnicas”. 
(CAMPBELL, 1989:109). 
 
 
 FIGURA 2 - David Popper 
 FONTE - CAMPBELL, 1989. Após pág.128. 
 
14 Hohe Schule des Violoncellspiels Op.73 (Leipzig, 1901-1905).