A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
252 pág.
Direito Processual Civil

Pré-visualização | Página 23 de 50

cumulados, ou parcela deles, mostrar-se incontroverso. 
 
Parágrafo Sétimo- Se o autor, a título de antecipação da tutela, requerer providência 
de natureza cautelar, poderá o juiz, quando presentes os respectivos pressupostos, 
deferir a medida cautelar em caráter incidental do processo ajuizado." 
 
 
I - Conceito: 
Prevista no 273 do CPC. 
Trata-se de inovação feita pelo legislador em virtude da Lei n. 8.952/94 
Teve modificações com a entrada em vigor da Lei nº 10.444/02. 
 
- O juiz para conceder ou não o pedido formulado pelo autor no sentido de que 
sejam antecipados os efeitos da tutela pretendida, ou alguns deles, deve verificar se 
os requisitos previstos no artigo 273 e em seus incisos estão presentes na situação. 
 
II - Requisitos: 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
92 
- veemente aparência de bom direito, somada, no caso do art. 273, I, ao periculum in 
mora, ou seja, ao perigo de que, não sendo concedida a medida, venha a decisão final 
ser ineficaz, ou haja grande risco de isto ocorrer. 
- No caso do artigo 273, II, exige-se, ao lado do fumus boni iuris, que haja defesa 
protelatória ou abuso do direito de defesa. 
- uma quase inexorabilidade diante da situação de uma real prova inequívoca da 
verossimilhança do direito. 
 
III - Características: 
 
- deve estar baseada em fundamento robusto, mais veemente, mais expressivo do 
que aquele exigido para a concessão de liminar em ação cautelar. 
- probabilidade de que o autor efetivamente tenha o direito que assevera ter 
- da verossimilhança deve haver prova cabal (não do direito) 
- pressupõe direito que, desde logo, aparece como evidente e que por isso deve ser 
tutelado de forma especial pelo sistema. 
- haja perigo de ineficácia do pronunciamento final, pressuposto que corresponde à 
função cautelar (273, I) 
- pode ser concedida inaudita altera pars, ou seja, ajuizada a ação, pode o juiz conceder 
sem ouvir a parte contrária 
- o juiz pode conceder a tutela a fortiori, ou seja após a oitiva da parte contrária 
(contestação) 
- não existe antecipação dos efeitos da sentença sem provocação da parte (artigo 273, 
caput, do CPC) 
- é possível em toda espécie de processo de conhecimento: condenatório, 
constitutivo, declaratório, mandamental. Pode ocorrer em ação rescisória. 
- é concedida mediante decisão interlocutória, recorrível de agravo. 
- Reversibilidade - as conseqüências de fato ocorridas como decorrência da decisão 
proferida devem ser reversíveis, no plano empírico, ou seja, seus efeitos não podem 
ser imutáveis diante da realidade fática 
 
IV - O princípio da proporcionalidade: 
 
- é uma das respostas que se pode dar à tentativa de solucionar a equação rapidez-
segurança, gerada pela possibilidade de que medidas concedidas com base no fumus 
não fiquem presas à necessidade de reversibilidade. Artigo 273, II, parágrafo 2o., do 
CPC. 
 
V – Revogabilidade 
 
- a decisão que defere pedido de tutela antecipatória poderá ser alterada a qualquer 
tempo, nos termos do artigo 273, II, parágrafo 4º, do CPC 
- a alteração se dará mediante decisão fundamentada 
- caso os fatos e o quadro probatório em que se tinha embasado a decisão 
anteriormente proferida tenham sido alterados. 
 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
93 
Exemplos: 
Pedido de alimentos em ação de investigação de paternidade; 
Pedido de benefício ao INSS em ação de pedido de aposentadoria (LOAS); 
Pedido para que o réu deixe de praticar determinado ato – enviar faturas de 
cobrança, negativação do nome do devedor, etc. 
 
 
XIII - REVELIA 
 
 
1. artigos 319 a 322, e 330, II, do CPC. 
 
 
2. Conceito. 
 
O réu tem o ônus de apresentar defesa ante a ação que lhe foi proposta, sob pena de 
sofrer as conseqüências processuais negativas. 
 
"Num sentido amplo, a revelia pode ser entendida como a situação em que se coloca 
o réu, por descumprir algum outro ônus, que não o de defender-se." 
 
"Revelia, em sentido estrito, é a situação em que se coloca o réu que não contesta. 
Pouco importa tenha ele se utilizado dos outros modos de defesa (exceção ou 
reconvenção). 
 
Será revel se não praticar o ato processual consistente em contestar, com todos os 
seus requisitos, ou seja, praticado no prazo, através de advogado regularmente 
habilitado." 
(Luis Rodrigues Wambier) 
 
 
Ocorre revelia se o réu citado: 
 
 não comparece; 
 comparece, mas desacompanhado de advogado; 
 comparece, acompanhado de advogado e contesta, mas fora do prazo; 
 comparece, acompanhado de advogado, no prazo, mas produz outra modalidade 
de defesa, que não a contestação, com as restrições dos artigos 180 c/c o artigo 
265, III, e 306 do CPC; 
 comparece, acompanhado de advogado, contesta no prazo, mas não impugna 
especificamente os fatos narrados pelo autor na petição inicial. 
 
No procedimento sumário (art. 277, § 2º) e nos Juizados Especiais Cíveis (Lei n. 
9.099/95 – artigo 20) 
- há outra circunstância que também produz revelia: 
Ausência injustificada do réu à audiência. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
94 
A presença do réu nos processos que tramitam no juizado especial é imprescindível. 
 
- A revelia pressupõe citação válida. 
Se a citação for nula ou inexistente, todos os atos processuais subseqüentes, a partir 
da citação também serão considerados nulos, mormente quanto à revelia. 
 
 
3. Efeitos 
 
A REVELIA produz os seguintes efeitos: 
 
I) Art. 319 do CPC – Se o réu não contestar a ação, presumir-se-ão verdadeiros os 
fatos afirmados pelo autor. 
 
Exceção: quando o réu é citado com hora certa ou por edital (citações fictas), é 
nomeado um curador especial que pode impugnar os fatos apenas de forma 
genérica. (artigo 9º , do CPC) 
 
A falta de contestação não induz a REVELIA, nos seguintes casos: 
 
a) se, havendo pluralidade de réus, algum deles contestar a ação - artigo 320,I.; 
 
Obs: O artigo 320, I, tem que ser entendido como restrito à impugnação de fato 
comum a todos os litisconsortes, ou comum ao réu atuante e ao revel litisconsorte. 
Relativamente aos demais fatos, a sanção do art. 319 incide: eles serão reputados 
verdadeiros pelo juiz, eliminada a possibilidade de prova contrária do réu quanto 
aos mesmos. 
 
b) se o litígio versar sobre direitos indisponíveis - art. 320,II. Exemplo: guarda, 
educação e alimento de filhos, investigação de paternidade. 
 
c) se a petição inicial não estiver acompanhada do instrumento público, que a lei 
considere indispensável à prova do ato. - art. 320,III. Quando a lei exigir como 
substância do ato, o instrumento público, nenhuma outra prova, por mais especial 
que seja, pode suprir-lhe a falta. (art. 366, do CPC). 
 
d) prosseguimento do processo independentemente de intimação do réu. (art. 322, 
primeira parte). 
Entretanto, o réu poderá intervir no processo em qualquer fase, recebendo-o no 
estado em que se encontra. (artigo 322, parte final, do CPC) 
 
e) Efeito de ordem processual da REVELIA - a simplificação do procedimento. 
Não tendo o réu contestado a ação e não ocorrendo qualquer das hipóteses do art. 
320 do CPC, o juiz proferirá o julgamento antecipado da lide. 
 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
95 
f) art. 13 do CPC - verificando-se incapacidade processual ou a irregularidade da 
representação do réu, o juiz marcará prazo razoável para ser sanado o defeito. Não 
sendo cumprido o despacho dentro do prazo, se a providência couber: II - ao réu, 
reputar-se-á revel. 
 
g) morte do procurador do réu - quando já iniciada a audiência de instrução e 
julgamento, poderá, por sua inércia, torná-lo revel. Aquilo acontecendo, o juiz 
marcar-lhe-á o prazo de 20 dias para constituir novo mandatário.