A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
Aula 1 - Tempo Geológico

Pré-visualização | Página 2 de 2

lento no inverno.
Datação Por Pistas De Fissão
Quando um isótopo radioativo que existe num mineral decai, pode haver danos na estrutura cristalina, isto porque quando ocorre a emissão de uma pesada partícula alfa (2P +2N), a medida que ela tenta escapar no interior do cristal , arranha ou danifica sua estrutura interna, o que pode ser observado através de potentes microscópios. Se conseguirmos contar o número de arranhões (desintegrações para formar átomos filhos) e soubermos a concentração do isótopo radioativo pai, saberemos a idade da rocha.
Hidratação da obsidiana
A datação de ferramentas da idade da pedra é também um método alternativo . Consiste no fato de estas quando enterradas em solo úmido a água tende a se infiltrar no vidro vulcânico. Sabe-se que a espessura é proporcional a raiz quadrada do tempo necessário para se dar a infiltração. Medindo-se a faixa infiltrada, pode-se conhecer o tempo há que o instrumento está enterrado.
*
*
*
 Métodos Botânicos
A idade de alguns acontecimentos geológicos recentes podem ser medidos através da datação dos anéis de crescimento das árvores.
*
*
*
ESCALA DO TEMPO GEOLÓGICO
Objetivo: ordenar sequencialmente os processos geológicos para entendimento da evolução da Terra, do modo que se observa hoje.
Principais ferramentas: estratigrafia, determinação da idade da rocha, comparações regionais; correlação global (história comum em diferentes continentes).
Observação de processos naturais: erosão, glaciações, cadeias montanhosas, inundações e terremotos;
Busca de respostas da geologia histórica no Tempo e Espaço: estudo da evolução da vida, da Terra e do Universo.
*
*
*
*
*
*
ESCALA DE TEMPO GEOLÓGICO
ÉON
FANEROZÓICO
PROTEROZÓICO
ARQUEANO
HADEANO
4,5 Ba
3,8 Ba
2,5 Ba
0,54 Ba
*
*
*
Pré-Cambriano
85% do Tempo Geológico.
Inicialmente não identificado por causa da ausência de fósseis com carapaça.
Geocronologia permitiu definir as idades absolutas das camadas rochosas.
Caracterizado por processos intensos de deformação e metamorfismo. Erosão e deposição de sequências mais jovens.
*
*
*
ESCALA DE TEMPO GEOLÓGICO
4,5 Ba
3,8 Ba
2,5 Ba
0,54 Ba
ÉON
FANEROZÓICO
PROTEROZÓICO
ARQUEANO
HADEANO
ERA
PALEOZÓICO
MESOZÓICO
CENOZÓICO
*
*
*
ESCALA DE TEMPO GEOLÓGICO
ÉON
ERA
PERÍODO
FANEROZÓICO
PROTEROZÓICO
ARQUEANO
HADEANO
CENOZÓICO
MESOZÓICO
PALEOZÓICO
QUATERNÁRIO
TERCIÁRIO
CRETÁCEO
JURÁSSICO
TRIÁSSICO
PERMIANO
PENSILVANIANO
MISSISSIPIANO
DEVONIANO
SILURIANO
ORDOVICIANO
CAMBRIANO
CARBONÍFERO
1,8
65
144
206
248
290
323
354
417
443
490
540
MILHÕES ANOS
*
*
*
ESCALA DE TEMPO GEOLÓGICO
PERÍODO
QUATERNÁRIO
TERCIÁRIO
CRETÁCEO
JURÁSSICO
TRIÁSSICO
PERMIANO
PENSILVANIANO
MISSISSIPIANO
DEVONIANO
SILURIANO
ORDOVICIANO
CAMBRIANO
1,8
65
144
206
248
290
323
354
417
443
490
540
DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS E ANIMAIS
IDADE DOS
MAMÍFEROS
IDADE DOS
RÉPTEIS
IDADE DOS
ANFÍBIOS
IDADE DOS PEIXES
IDADE DOS
INVERTEBRADOS
HUMANÍDEOS
EXTINÇÃO DOS DINOSSAUROS
E OUTRAS ESPÉCIES
1as. plantas angiospermas
1as. aves
DINOSSAUROS dominam
EXTINÇÃO TRILOBITA E OUTROS
1os. répteis
Grandes pântanos
ANFÍBIOS abundantes
1os. fósseis de insetos
PEIXES dominam
1as. plantas terrestres
1os. peixes
TRILOBITAS dominam
1os. organismos com conchas
*
*
*
A IDADE DA TERRA
A comprovação de 4,6 b.a. para idade da Terra, foi obtida por datação do solo lunar, assim como de outros meteoritos, já que acredita-se que todos os corpos do sistema solar à exceção do sol tenham sido formados ao mesmo tempo 
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
DENOMINANDO AS ROCHAS FORMALMENTE - Normas da classificação estratigráfica
Além de estudar o registro do tempo, a estratigrafia é responsável pela normatização da denominação das rochas. Para este fim são considerados dois grandes grupos de rochas que obedecem diferentes normas de denominação. As rochas formadas por acresção vertical, i.e. aquelas que constituem camadas (rochas sedimentares e vulcânicas), constituem unidades litoestratigráficas. As demais rochas (intrusivas e metamórficas) são agrupadas em unidades litodêmicas. As rochas sedimentares metamorfizadas que preservam suas relações estratigráficas podem também ser denominadas como unidades litoestratigráficas. As principais normas para denominação de cada tipo de unidade estão apresentadas abaixo.
 
Unidades Litoestratigráficas
As rochas sedimentares, vulcânicas e sedimentares metamorfizadas em baixo grau são divididas nas seguintes unidades principais, de valor hierárquico decrescente:
Supergrupo (associação de vários Grupos)
Grupo (duas ou mais Formações)
Formação
A Formação é a unidade litoestratigráfica fundamental, composta por uma camada ou um pacote de camadas de uma ou mais litologias, com bom grau de homogeneidade litológica. Pode ser constituída por um único tipo de litologia ou por uma repetição de dois ou mais tipos litológicos ou possuir uma composição litológica heterogênea que defina por si mesma carater distintivo das unidades litoestratigráficas adjacentes.
               O nome de cada uma das unidades referidas é dado da seguinte forma:
Unidade Litoestratigráfica +  Nome Geográfico; 
Onde o nome geográfico (toponímea) é um local de fácil localização, onde a unidade foi descrita originalmente e no qual a mesma apresente suas características mais distintivas. Ex: Formação Rio do Rasto, Formação Botucatu, Formação Serra Geral. Membro (parte de uma Formação)