A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
3°_ATPS - CONTABILIDADE GERAL_Valendo

Pré-visualização | Página 2 de 2

para o devedor.
 O passivo não monetário representa obrigações de lançamentos futuros no resultado do período daqueles ganhos já efetivados, porém não pertencentes ao atual exercício.
 Na contabilidade brasileira, por força da legislação e passivo se divide em:
Passivo propriamente dito (passivo exigível) e patrimônio líquido (passivo não exigível). O passivo exigível se subdivide em passivo circulante e passivo não circulante.
Passivo financeiro e passivo permanente (direito público, que regulamenta a contabilidade pública).
Patrimônio Líquido
 Representa os valores que os sócios ou acionistas têm na empresa em um determinado momento. No Balanço Patrimonial, a diferença entre os valores dos Ativos e dos Passivos representa o PL (patrimônio líquido), que é o valor contábil devido pela pessoa jurídica aos sócios ou acionistas, baseado no princípio da entidade.
 O patrimônio líquido é divido em:
Capital Social – Representa o investimento efetuado na sociedade pelos seus proprietários e acionistas, que adquirem os títulos denominados de ações. 
Reservas de Capital – Essas reservas em geral constituem-se de saldos em dinheiro que não podem ser distribuídas aos investidores na forma de lucros ou dividendos, devendo ser incorporados ao Capital Social ou compensados com lucros acumulados, quando não houver mais saldo de reservas de lucros disponível para esse fim. Não representam receitas ou ganhos e não transitam pelo resultado como receitas. 
Reservas de Lucros – São contas de reservas constituídas pela apropriação de lucros de companhia. Representam lucros reservados e constituem garantia e segurança adicional para a saúde financeira da companhia, porque são lucros contabilmente realizados, que ainda não foram distribuídos aos sócios ou acionistas.
Prejuízos Acumulados – Representa o saldo remanescente dos prejuízos líquidos das apropriações de lucros e dos dividendos ainda não distribuídos, não capitalizados, porém já apropriados para constar no Patrimônio Líquido na data do balanço. 
CAPÍTULO 4
2.3 Demonstração do resultado do exercício
 Seu objetivo é demonstrar a formação do resultado líquido em um exercício através do confronto das receitas, despesas e resultados apurados, gerando informações significativas para tomada de decisão. É um relatório contábil elaborado em conjunto com o balanço patrimonial, que descreve as operações realizadas pela empresa em um determinado período. Abaixo, tabela assinalamos as contas que não são de resultado:
	CMV
	ESTOQUE DE MERCADORIAS R$ 280.000
	
	RESULTADO BRUTO R$ 1.334,000
	RESULTADO LIQUIDO R$ 88.166,00
          Demonstração contábil dinâmica que se destina a evidenciar a formação do resultado líquido em um exercício, através do conforto de receitas, sustos e resultados apurados segundo o princípio contábil do regime de competência. 
          A demonstração do resultado do exercício oferece uma síntese financeira dos resultados operacionais e não operacionais de uma empresa em certo período. Embora sejam elaboradas anualmente para fins legais de divulgação, em geral são feitas mensalmente para fins administrativos e, trimestralmente para fins fiscais. 
Receita
          São todos os recursos provenientes da venda de mercadorias ou de uma prestação de serviços, porém nem todos são oriundos de vendas ou prestação de serviços, como por exemplo: aluguéis, rendimentos de uma aplicação financeira, juros e etc. 
          As receitas não necessariamente se limitam a empresas, existem também as receitas do Governo, chamadas de receita pública. Receita pública é o montante total em dinheiro recolhido pelo Tesouro Nacional, incorporado ao patrimônio do Estado, que serve para custear as despesas públicas e as necessidades de investimentos públicos. 
Lucro
          Lucro bruto ou lucro das vendas ou lucro operacional bruto é a diferença entre o faturado e o custo de fazer o produto ou prover o serviço, antes de deduzir overhead, folha de pagamento, impostos, e pagamento de juros. No geral, este é o lucro mostrado em uma transação se não há interesse no custo indireto. Este é o rendimento que permanece uma vez deduzido os custos que surgem somente da geração daquele rendimento. 
          Para um varejista ou retalhista, o lucro bruto são as vendas feitas menos o custo dos bens vendidos. Para um manufaturista, o custo direto são os custos dos materiais e outros insumos usados para fazer o produto. Por exemplo, o custo da eletricidade para operar uma máquina é freqüentemente um custo direto enquanto o custo para iluminar a sala do maquinário é um overhead. Custos com a folha de pagamento também podem ser diretos se a força de trabalho é paga em uma unidade de custo por item manufaturado. Por esta razão, a indústria de serviços, que vende seus serviços por unidades de tempo, freqüentemente trata o custo dos honorários como um custo direto. 
          O Lucro Bruto é um importante guia para a viabilidade. Os custos indiretos são considerados quando se calcula a renda líquida, outro importante guia para a viabilidade. 
          Lucro operacional designa todo resultado que direta ou indiretamente está relacionado com a atividade da empresa. O lucro ou prejuízo operacional é dado com base na operação 
algébrica: Lucro Bruto - Despesas Operacionais + Receitas Operacionais = Lucro / Prejuízo Operacional. 
Analise Balanço Patrimonial final
	A empresa encerrou suas atividades contábeis com saldo positivo, podendo dessa forma investir na sua estrutura, compra de mais estoque, pagamentos antecipados, ou investimentos contábeis.
Balancete de Verificação
          É uma técnica bastante utilizada pelos responsáveis pela contabilidade para verificar se os lançamentos contábeis realizados no período estão corretos. Este instrumento, embora de muita utilidade, não detectará toda amplitude de erros que possam existir nos lançamentos contábeis. O Balancete de Verificação tem como base o método das partidas dobradas: não há crédito sem débito correspondente. Portanto se de um lado for somado todos os débitos, do outro a soma dos créditos tem que somar um valor igual. Desse modo é verificado se os lançamentos a débito e a crédito foram realizados corretamente. 
Conclusão
A Contabilidade é um setor das ciências de administração que cuida da classificação, registro e análise de todas as transações realizadas por uma empresa ou órgão público, permitindo dessa forma uma constante avaliação da situação econômico-financeira. Tem por objeto o patrimônio econômico das pessoas físicas ou jurídicas, comerciais ou civis, bem como o patrimônio público e as questões financeiras do Estado. Seu objetivo é permitir o controle administrativo e o fornecimento de informações precisas a investidores, credores e ao público. Envolve todos os aspectos empresariais ou públicos que possam ser expressos em números, como o ativo (propriedade), o passivo (dívidas), as receitas e despesas, os lucros e perdas e os direitos de investidores. A empresa verificou que consegue manter o nível de renda por um tempo razoável, tendo o retorno no investimento na empresa, em materiais, mercadorias, pagamentos antecipados, benefícios a funcionários. As vendas mantiveram-se instáveis com algumas elevações, mas sem diminuição. O fluxo de trabalho aumenta de acordo com as vendas. A organização é base para o controle das despesas e receitas, saber o que se vende e o que se compra e quando vamos receber o lucro. A programação dos gastos previsíveis e um fundo para os nãos previsíveis. A tendência é o crescimento dos negócios.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
http://www.cienciascontabeis.com.br/contabilidade-geral.html
http://www.portaldecontabilidade.com.br/guia/balancopatrimonial.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Balan%C3%A7o_patrimonial