Slides_3 [Modo de Compatibilidade]
18 pág.

Slides_3 [Modo de Compatibilidade]


DisciplinaContabilidade Social2.019 materiais12.783 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Capítulo III
Contas Nacionais: 
Problemas de Mensuração
3.1 Introdução
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Dificuldades de Mensuração das variáveis que dão 
origem aos agregados:
\ufffdDificuldades técnicas
\ufffdExistência de inflação
\ufffdComparação entre países
\ufffd Dificuldades operacionais
\ufffdEconomia informal
\ufffdProblemas conceituais
\ufffdAtividades não monetizadas
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.1 Contabilidade real x contabilidade nominal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Quando se analisa uma série de valores, por exemplo, o PIBpm
do Brasil no período 1990-97, é preciso ter cuidado de deflacionar ado Brasil no período 1990-97, é preciso ter cuidado de deflacionar a
série para não efetuar comparações de variáveis que são de fato
heterogêneas, porque avaliadas em momentos distintos.
Dado que a inflação incide diretamente sobre o valor dos ativos
financeiros de valor nominal constante, a contabilidade nacional não
distingue, dentro de um mesmo período, valores nominais de reais
no que diz respeito aos lucros distribuídos, aluguéis e salários, mas
o faz no que tange aos juros.
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.1 Contabilidade real x contabilidade nominal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Para tal distinção, é preciso não só escolher um índice de
preços para estimar a taxa de inflação entre o início e o fim do
período, como classificar os ativos financeiros em dois grupos:período, como classificar os ativos financeiros em dois grupos:
- aqueles que têm seu valor protegido da inflação;
- aqueles que não contam com essa proteção.
Apenas só esses últimos apresentam diferença entre
rendimentos nominais e rendimentos reais e demandam, assim, a
distinção entre juros nominais e juros reais.
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.1 Contabilidade real x contabilidade nominal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Os ajustes contábeis derivados da existência de inflaçãoOs ajustes contábeis derivados da existência de inflação
num determinado período incidem apenas sobre a
distribuição da renda entre os diferentes agentes e não sobre
o montante dos agregados.
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.1 Contabilidade real x contabilidade nominal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Quais as conseqüências da inflação para as estimativas que
vêm a compor as contas nacionais?
A moeda é um ativo de valor nominal constante. Em
termos reais, parte de seu valor corresponde a juros arrecadados
pelo sistema bancário\ufffd Imposto Inflacionário
Necessidade de transformar juros nominais em juros reais
na estimativa do valor da rubrica transferências.
Conseqüência de períodos prolongados de inflação sobre
o lucro das empresas.
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.2 Comparações entre países
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
São comuns as comparações entre o PIB de diferentes países.
Mas dois problemas estão envolvidos nesse tipo de comparação:
1º) Os agregados são mensurados em moeda doméstica e, para1º) Os agregados são mensurados em moeda doméstica e, para
fazermos comparações, precisamos necessariamente fazer a
conversão da moeda.
Nesse caso, as taxas de câmbio não são suficientes para
resolver esse problema, pois nem todos os bens podem ser
incluídos no grupo dos tradables. Os conjuntos de subsídios
também diferem entre os países.
Solução: Paridade de Poder de Compra
3.2 Dificuldades Técnicas
3.2.2 Comparações entre países
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
2º) Permanecem diferenças substantivas que tornam
problemática a comparação entre variáveis agregadas de diferentes
países.países.
Há, por exemplo, atividades não remuneradas que geram essas
diferenças, bem como o mercado ou economia informal.
A existência de tais dificuldades não tem impedido a realização
de comparações que, ao contrário, são freqüentemente efetuadas.
Supõe-se que, \u201cno atacado\u201d, as estimativas são válidas, mesmo
considerando tais fatos.
3.3 Dificuldades Operacionais: 
A economia informal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
O produto em uma empresa é mensurado pela ótica da renda,
do dispêndio ou do valor adicionado. Assim, na medida em que há
atividades de compra e venda e de produção de bens e serviçosatividades de compra e venda e de produção de bens e serviços
que não se dão por meio de empresas oficialmente constituídas,
surge o problema de como mensurá-las, isto é, de como incorporar
o valor por elas produzido ao valor do produto agregado.
A atividade informal inclui atividades ilegais (como contrabando,
prostituição e tráfico de drogas) e atividades legais (como os
camelôs).
3.3 Dificuldades Operacionais: A economia informal
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
No Brasil, suspeita-se que a economia informal deve ser
responsável por uma parcela significativa da geração de produto e
renda. Fala-se em algo entre 10% e 30%.
Duas pesquisas tentam jogar um pouco de luz sobre tal questão.
\ufffd Pesquisa do IBGE: apurou, em 1999, que a economia
informal ocupa 25% da população economicamente ativa (PEA) e
movimenta 8% do PIB.
\ufffd Pesquisa desenvolvida pela economista Maria Helena
Zockun, em 1999, procurou estimar, utilizando dados de 1996, qual
é a parcela do faturamento das empresas que não é oferecida à
tributação. Chegou-se ao resultado de que cerca de 40% do
faturamento das empresas não é oferecido à tributação.
3.4 Dificuldades Conceituais
3.4.1 As atividades não monetizadas
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
Atividades não monetizadas são aquelas que não passam pelo
fluxo circular da renda, como por exemplo a pequena produçãofluxo circular da renda, como por exemplo a pequena produção
agrícola de subsistência.
\ufffd aceita-se, convencionalmente, que algumas das atividades não
monetizadas tenham seu valor computado no cálculo dos
agregados, enquanto outras não o tenham.
3.4 Dificuldades Conceituais
3.4.1 As atividades não monetizadas
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
A contabilidade nacional procura estimar o valor monetário das
atividades não monetizadas, imputando-lhes os valores que elasatividades não monetizadas, imputando-lhes os valores que elas
supostamente teriam se tivessem passado pelo mercado.
\ufffd De toda forma, não há como fugir de um certo grau de
arbítrio na consideração de tais atividades, seja nos preços que
se decide imputar a elas, seja na própria decisão sobre o que
vai e o que não vai fazer parte das estimativas.
3.4 Dificuldades Conceituais
3.4.2 Contabilidade social e meio ambiente
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
\ufffd Nas últimas décadas, a humanidade tem experimentado
níveis alarmantes de degradação do meio ambiente e a exaustãoníveis alarmantes de degradação do meio ambiente e a exaustão
de boa parte dos recursos naturais.
\ufffd Boa parte das agressões ao meio ambiente decorre das
atividades de produção e consumo, e vai se intensificando com a
expansão da industrialização.
3.4 Dificuldades Conceituais
3.4.2 Contabilidade social e meio ambiente
Capa
da Obra
Capítulo III
Contas Nacionais: Problemas de 
Mensuração
As atividades de produção e consumo costumam gerarAs atividades de produção e consumo costumam gerar
pressões sobre o meio ambiente, seja pela utilização de
recursos naturais exauríveis, seja pela geração de poluição.
Tais pressões são