GLOSSÁRIO DE BACTERIOLOGIA BáSICA PARA A  MICROBIOLOGIA ORAL
10 pág.

GLOSSÁRIO DE BACTERIOLOGIA BáSICA PARA A MICROBIOLOGIA ORAL


DisciplinaMicrobiologia23.207 materiais393.614 seguidores
Pré-visualização5 páginas
seu
comprimento de onda está próximo a 260
nanômetros. Apresenta mínima capacidade
de penetração e seu uso deve ser restrito
a procedimentos de desinfecção, principal-
mente ambiental.
\u2022 Radiações ionizantes: radiações eletrônicas
dotadas de grande energia, como a g e a X,
capazes de romper as moléculas microbia-
nas. Têm grande poder de penetração, es-
terilizando produtos previamente acondici-
onados. A mais usada é a radiação g , emi-
tida principalmente a partir do cobalto 60.
\u2022 Radical superóxido: ver Ânion superóxido.
\u2022 Redução: reação química que remove
oxigênio ou incorpora elétrons a um
substrato.
\u2022 Respiração: seqüência de oxirreduções
exergônicas (ver verbetes específicos) bio-
lógicas na qual elétrons H2 retirados do
\u201ccombustível\u201d doador inicial (composto
reduzido) são transferidos para um recep-
tor final inorgânico exógeno, resultando
na produção de CO2, H2O e energia.
\u2022 Respiração aeróbia: seqüência de oxirre-
duções biológicas geradoras de energia,
na qual na qual o receptor final de elétrons
H2 é o O2 molecular. Utiliza citocromos (pro-
teínas contendo grupamento heme) no
transporte dos elétrons e seu rendimento
energético é alto (38 moléculas de ATP).
Glicose (C6H12O6) + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O
 + energia.
\u2022 Respiração anaeróbia: seqüência de oxir-
reduções biológicas geradoras de ener-
gia, na qual o receptor final de elétrons H2
é um composto inorgânico diferente do O2(nitrato, carbonato, sulfato, fumarato).
Bactérias anaeróbias não possuem citocro-
mos em sua cadeia respiratória, portanto
não usam o O2 molecular. O rendimento
energético é muito menor (cerca de dez ve-
zes) do que o da respiração aeróbia.
C6H12O6 + 12NO3\u2013 (nitrato) CO2 +
 6H2O + gases (N2, óxido nitroso e
 óxido nítrico) + energia.
\u2022 Ribossomas: estruturas constituídas por
RNA e proteínas, dispersas pelo citoplas-
ma; são responsáveis pela síntese de pro-
teínas.
\u2022 RNA (ácido ribonucléico): ácido nucléico
unifilamentar semelhante ao DNA, porém
tendo ribose como açúcar e uracil em vez
de timina como uma das bases.
\u2022 Sacarolíticas: bactérias produtoras de en-
zimas que decompõem produtos açucara-
dos; os produtos finais geralmente são
ácidos orgânicos (láctico, acético, propiô-
nico, succínico etc.)
\u2022 Septicemia: proliferação de bactérias no
sangue, acompanhada de febre.
\u2022 Simbiose: relação biótica da qual resulta
benefício para os seres nela envolvidos.
\u2022 Sinergismo: aumento do efeito produzido
por dois ou mais microrganismos ou dro-
gas antimicrobianas.
\u2022 Sonda de DNA: fita curta e simples de
DNA ou RNA marcada por processos la-
boratoriais; é usada para localizar fita com-
plementar (homóloga) em uma amostra de
DNA isolado, por exemplo, de uma bacté-
ria a ser identificada.
\u2022 Superóxido-dismutase: enzima (hemocu-
prina = proteína contendo cobre) que ina-
tiva o radical tóxico superóxido (ver Ânion
superóxido). Promove a reação desse ânion
com dois íons hidrogênio (redução), for-
mando O2 e H2O2, que é decomposto por
catalase e peroxidase gerando O2 e duas
moléculas de H2O (ver verbetes Catalase e
Peroxidase). Com raras exceções, como
Porphyromonas gingivalis e Prevotella
intermedia, não é produzida por bactérias
anaeróbias estritas e, na atualidade, esta
parece ser a melhor explicação do fato de
o oxigênio ser letal para elas.
\u2022 Tampão: substância como peptona e fos-
fatos, utilizada para compensar alterações
de pH em meios de cultivo, evitando a mor-
te prematura de células bacterianas.
\u2022 Taxonomia: ciência que se ocupa da clas-
sificação microbiana.
\u2022 Termófilas: bactérias que se desenvolvem
na faixa de 25 a 80oC ou mais, com tempe-
ratura ótima entre 50 e 60oC.
\u2022 Timidina: nucleosídio que tem a timina
como base.
10 © Direitos reservados à EDITORA ATHENEU LTDA.
\u2022 Timina: base pirimidínica que se pareia
com a adenina.
\u2022 Toxemia: presença de toxina no sangue.
\u2022 Toxóide: toxina que, embora inativada,
conserva as características antigênicas,
sendo utilizada como vacina.
\u2022 Transdução: transferência de genes de
uma bactéria doadora para uma receptora,
usando um fago como vetor.
\u2022 Transformação: modificação dirigida de
um genoma pelo DNA de uma célula com
genótipo diferente.
\u2022 Transposon: pequeno fragmento de DNA
que pode se mover de uma região do DNA
para outra.
\u2022 Treponemas: ver espiroquetas.
\u2022 Ultrafiltração: processo que utiliza mem-
branas com microporosidades suficientes
para remover microrganismos, inclusive
vírus, presentes em soluções.
\u2022 Vacúolo: inclusão intracelular circundada
por membrana plasmática em eucariotos e
por membrana protéica em procariotos.
\u2022 Vibrios ou vibriões: bactérias encurvadas,
com forma de vírgula, portanto sem forma-
rem espirais completas que caracterizam os
espirilos ou espiroquetas.
\u2022 Viridantes: bactérias, como a maioria dos
estreptococos bucais, que produzem
hemolisinas que promovem lise parcial das
hemácias, da qual resulta a formação de
um halo esverdeado em torno das colônias
desenvolvidas em ágar-sangue.
BIBLIOGRAFIA
1. Nisengard RN, Newman MG. Microbiologia Oral
e Imunologia, 2a ed. Guanabara Koogan, Rio de
Janeiro, 1977.
2. Pelczar MJ, Chan ECS, Krieg NR. Microbiologia.
2a ed. Makron, São Paulo, 1996.
3. Tortora GJ, Funke BR, Case CL. Microbiologia.
6a ed. ArtMed, Porto Alegre, 2000.
4. Trabulsi LR, AlterthumF, Gompertz OF, Candeias
JAN. Microbiologia. 3a ed. Atheneu, São Paulo,
1999.