A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Exercício de reflexão DIREITO Empresarial

Pré-visualização | Página 5 de 5

não atinge o cheque. 
 
É que os pagamentos em cheque dependem da aceitação do credor, vez que dependem da relação de confiança existente entre as partes. 
 
No comércio aberto, entretanto,  é importante colocar à vista do consumidor a informação de que não se aceita cheques ou ainda que a aceitação de cheque depende de prévio cadastramento, etc.
 
É que a negativa de recebimento de cheque exatamente na hora do pagamento, e depois de escolhidos e separados os itens adquiridos,  poderia ser entendida como constrangedora.
Qual é o prazo de prescrição de cobrança do cheque prescrito pela via da Ação Monitória?
O prazo de prescrição da ação monitória para cobrança de cheque prescrito, conforme previsto no Código Civil, pela interpretação da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, é de cinco anos, senão vejamos:
 
 
Legislação:
 
Código Civil - art. 206. Prescreve:
§ 5o Em cinco anos:
I - a pretensão de cobrança de dívidas líquidas constantes de instrumento público ou particular;
 
Jurisprudência:
 
Processo: REsp 1038104 / SP – 
RECURSO ESPECIAL 2008/0052059-9 
Relator(a): Ministro SIDNEI BENETI (1137) 
Órgão Julgador: T3 - TERCEIRA TURMA 
Data do Julgamento: 09/06/2009 
Data da Publicação/Fonte: DJe 18/06/2009 
Ementa: 
CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. CHEQUE PRESCRITO. AÇÃO MONITÓRIA. PRAZO PRESCRICIONAL.
A ação monitória fundada em cheque prescrito está subordinada ao
prazo prescricional de 5 (cinco) anos previsto no artigo 206, § 5º,
I, do Código Civil.
Recurso Especial improvido. 
 
É importante ressaltar que os prazos e as datas de início da contagem de prazo são diferentes dos demais previstos para a ação de execução e para a ação de enriquecimento.
 
Nesse caso o início do prazo de prescrição não deve ser contado da data de apresentação e sequer da data das prescrições ocorridas nas demais hipóteses, e sim da data de emissão de cheque, já que o cheque é uma ordem de pagamento à vista. 
 
O Tribunal desconsiderou a aplicabilidade do artigo 206, 3º. também do Código Civil, que prevê a prescrição de três anos para os títulos de crédito.
 
Qual é o prazo de prescrição do cheque como Titulo Executivo?
O prazo de prescrição é de seis meses contado da data de apresentação. Entretanto, o cheque deve ser apresentado dentro de trinta dias da data de sua emissão, se emitido para ser pago na mesma praça, ou sessenta dias, se emitido em uma praça para pagamento em outra.
 
Assim, considerando que a lei dispõe que em seis meses, contados da sua apresentação, ocorrerá a prescrição, o cheque só mantém integro o seu valor jurídico como título de crédito, portanto título executivo, dentro de um prazo de sete ou oito meses, dependendo das circunstâncias da sua emissão.
 
Estabelece a Lei nº 7.357/85:
 
Art. 59 - Prescrevem em 6 (seis) meses, contados da expiração do prazo de apresentação, a ação que o art. 47 desta Lei assegura ao portador.
 
Portanto, um cheque com mais de sete ou oito meses de prazo de sua emissão não poderá ser tratado como cheque, e sim, como documento de dívida sem as prerrogativas de título executivo.
A lei também prevê o prazo de prescrição para a hipótese da ação de enriquecimento e também dispõe sobre  a forma de contagem que também é especial, por ser expressamente prevista, mas, essa situação é objeto de outra questão.
Qual é o prazo de prescrição do cheque para efeito da ação de enriquecimento?
 
O prazo é de dois anos contados da data em que ocorreu a prescrição do cheque como título Executivo. 
 
Lei nº 7.357/85 - art . 61 A ação de enriquecimento contra o emitente ou outros obrigados, que se locupletaram injustamente com o não-pagamento do cheque, prescreve em 2 (dois) anos, contados do dia em que se consumar a prescrição prevista no art. 59 e seu parágrafo desta Lei.
 
 
Nesse caso, por ficção legal, o prazo para propor a ação de enriquecimento é contada da data em que se consumar a prescrição, portanto, primeiro deve-se estabelecer a data de apresentação, depois aplicar-se o prazo de seis meses (que é o prazo legal para ajuizamento da ação de execução)  e, partir da data encontrada, conta-se dois anos.
É importante destacar que a forma de calcular o prazo de prescrição depende de cada disposição legal aplicácel à espécie, não comportando mera analogia.
Quando o cheque for depositado na conta do favorecido será necessário o endosso? 
Quando o cheque for depositado na própria conta bancária do favorecido não há necessidade de endosso.
 
Lei 7.357/85 - art. 46 - ... O depósito do cheque em conta de seu beneficiário dispensa o respectivo endosso.