Ortopedia do cotovelo
14 pág.

Ortopedia do cotovelo


DisciplinaFisioterapia Ortopédica288 materiais1.807 seguidores
Pré-visualização3 páginas
cheia de água. Em geral o movimento do cotovelo não fica prejudicado. Ela pode regredir espontaneamente ou ficar crônica, mantendo o inchaço mas geralmente sem a vermelhidão. No caso da gota o processo costuma ser crônico, e a bursa fica endurecida, e não mole como na bursite típica.
Qual o tratamento da bursite olecraniana?
Evitar traumas locais é a medida mais importante. Na fase aguda, compressas frias ajudam e medicação para dor pode ser utilizada dependendo dos sintomas. Nos casos de haver alguma doença associada, como reumatismo ou gota, é importante o tratamento da mesma. Normalmente, a bursite regride sozinha. Caso isso não ocorra, e os sintomas incomodem o paciente, pode ser realizada uma punção para esvaziar a bursa. Cirurgia é indicada na minoria dos casos, quando as outras medidas não surtiram efeito, e consiste na ressecção da bursa.
Cuidados com o diagnóstico
Na fase aguda a principal dificuldade é diferenciar de uma infecção no cotovelo, que pode ter os mesmos sinais e sintomas. Infecções nessa região podem ser graves e levar a sequelas. Na presença de um quadro compatível com bursite, procure um médico para afastar a possibilidade de infecção.
Fisioterapia:
Em primeiro lugar, devemos distinguir o tipo de bursite porque uma bursite hemorrágica ou séptica tem um tratamento completamente diferente em comparação com uma bursite inflamatória pós-traumática ou por sobrecarga. Essa última se trata inicialmente com o gelo e o repouso nas primeiras 24-48 horas. Após os primeiros 2 dias, a crioterapia (gelo) é contra-indicada porque causa um congestionamento e se cura mais lento. Na fase pós-aguda, a bursite por sobrecarga se trata com um bandagem de compressão para evitar a infecção por um trauma, também é útil a aplicação de calor ou tratamentos físicos, tais como o tratamento com laser, ultra-sons e T.E.C.R. terapia ®.
O médico pode fazer até 3 infiltrações de cortisona diretamente sobre a área. Nos casos mais graves, o médico extrai o líquido da bursa e se não fosse o suficiente, a última etapa é a remoção cirúrgica da bursa.
Síndrome do Pronador
O músculo pronador redondo é um músculo localizado na região do antebraço, formado por duas cabeças: umeral e ulnar. É responsável pela pronação (virar a palma da mão para baixo) juntamente com a ação do músculo pronador quadrado. A Síndrome do Pronador Redondo é a compressão do nervo mediano no antebraço em sua passagem pela região do cotovelo entre as duas porções do músculo pronador redondo.
O diagnóstico é realizado por meio da história clínica e dos sintomas apresentados pelo paciente, em conjunto com exames de raio x, ressonância magnética e eletroneuromiografia.
Causas
Supinação e pronação repetitivas;
Movimentos repetitivos com antebraço em pronação;
Ligamento de Struthers;
Espessamento da aponeurose bicipital (lacerto fibroso).
Sintomas
Dor;
Dor à palpação;
Dor ao flexionar o cotovelo;
Dor ao movimentar o antebraço;
Diminuição da força de preensão e de pinça;
Formigamento.
Tratamento
Uso de analgésicos e anti-inflamatórios;
Repouso;
Compressas de gelo;
Acupuntura;
Tratamento fisioterápico;
Em casos mais graves a cirurgia é indicada.