Constituio Federal Comentada
574 pág.

Constituio Federal Comentada


DisciplinaDireito Constitucional I66.124 materiais1.526.152 seguidores
Pré-visualização50 páginas
501)
"Subsiste a responsabilidade do empregador pela indenização decorrente de acidente do trabalho, quando o segurador, por 
haver entrado em liquidação, ou por outro motivo, não se encontrar em condições financeiras, de efetuar, na forma da lei, o 
pagamento que o seguro obrigatório visava garantir." (SÚM. 529)
 
\u201cConstitucional. Tributário. Contribuição: Seguro de acidente do trabalho - SAT. Lei 7.787/89, arts. 3º e 4º; Lei 8.212/91, art. 
22, II, redação da Lei 9.732/98. Decretos 612/92, 2.173/97 e 3.048/99. CF, artigo 195, § 4º; art. 154, II; art. 5º, II; art. 150, 
I.\u201d (RE 343.446, Rel. Min. Carlos Velloso, DJ 04/04/03)
 
XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos para os 
trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho; 
 
"A prescrição atinge somente as prestações de mais de dois anos, reclamadas com fundamento em decisão normativa da 
Justiça do Trabalho, ou em Convenção Coletiva de Trabalho, quando não estiver em causa a própria validade de tais 
atos." (SÚM. 349)
 
\u201cCom a conversão do regime de trabalho do servidor, de celetista em estatutário, não obstante tenha resultado sem solução 
de continuidade o vínculo existente entre as mesmas partes, é de ter-se por extinto o contrato de trabalho e, 
conseqüentemente, iniciado, a partir de então, o curso do biênio estabelecido pela Carta Magna no dispositivo sob referência. 
Acórdão que se limitou a aplicar o referido prazo aos recorrentes enquanto ex-empregados, não havendo que se falar em 
ofensa ao art. 39, § 3º, da Constituição, nem ao princípio do direito adquirido.\u201d (RE 317.660, Rel. Min. Ilmar Galvão, DJ 
26/09/03)
 
XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou 
estado civil; 
 
file:///K|/STF%20-%20CF.htm (89 of 574)17/08/2005 13:02:40
STF - Constituição
"Na equiparação de salário, em caso de trabalho igual, toma-se em conta o tempo de serviço na função, e não no 
emprego." (SÚM. 202)
"É inconstitucional o Decreto 51668, de 17/1/1963, que estabeleceu salário profissional para trabalhadores de transportes 
marítimos, fluviais e lacustres." (SÚM. 531)
"O limite de idade para a inscrição em concurso público só se legitima em face do art. 7º, XXX, da Constituição, quando 
possa ser justificado pela natureza das atribuições do cargo a ser preenchido." (SÚM. 683)
 
"Concurso público: Técnico em Apoio Fazendário: candidata funcionária pública: indeferimento de inscrição fundada em 
imposição legal de limite de idade, não reclamado pelas atribuições do cargo, que configura discriminação inconstitucional 
(CF, arts. 5º e 7º, XXX): precedente (RMS 21.046, Pleno, Pertence, DJ 14/11/91)." (RE 141.357, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, 
DJ 08/10/04)
 
\u201cA vedação constitucional de diferença de critério de admissão por motivo de idade (CF, art. 7º, XXX) é corolário, na esfera 
das relações de Trabalho, do princípio fundamental de igualdade (CF, art. 5º, caput), que se entende, à falta de exclusão 
constitucional inequívoca (como ocorre em relação aos militares: CF, art. 42, § 11), a todo o sistema do pessoal civil. É 
ponderável, não obstante, a ressalva das hipóteses em que a limitação de idade se possa legitimar como imposição da 
natureza e das atribuições do cargo a preencher. Esse não é o caso, porém, quando, como se dá na espécie, a lei dispensa 
do limite os que já sejam servidores públicos, a evidenciar que não se cuida de discriminação ditada por exigências etárias 
das funções do cargo considerado.\u201d (RMS 21.046, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, DJ 14/11/91)
 
XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de 
deficiência; 
 
XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos; 
 
XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de 
dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos;
 
"Tem direito a salário integral o menor não sujeito a aprendizagem metódica." (SÚM. 205)
 
"Trabalhador rural ou rurícola menor de quatorze anos. Contagem de tempo de serviço. Art. 11, VII, da Lei nº 8.213. 
Possibilidade. Precedentes. Alegação de violação aos arts. 5°, XXXVI; e 97, da CF/88. Improcedente. Impossibilidade de 
declaração de efeitos retroativos para o caso de declaração de nulidade de contratos trabalhistas. Tratamento similar na 
doutrina do direito comparado: México, Alemanha, França e Itália. Norma de garantia do trabalhador que não se interpreta 
em seu detrimento. Acórdão do STJ em conformidade com a jurisprudência desta Corte. Precedentes citados: AgRAI 105.794, 
2ª T., Rel. Aldir Passarinho, DJ 02/05/86; e RE 104.654, 2ª T., Rel. Francisco Rezek, DJ 25/04/86." (AI 529.694, Rel. Min. 
Gilmar Mendes, DJ 11/03/05)
 
XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso.
 
"Contrato de trabalho para obra certa, ou de prazo determinado, transforma-se em contrato de prazo indeterminado, quando 
prorrogado por mais de quatro anos." (SÚM. 195)
 
Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, 
XVII, XVIII, XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social. 
 
Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: 
 
file:///K|/STF%20-%20CF.htm (90 of 574)17/08/2005 13:02:40
STF - Constituição
\u201cA atribuição fixada no art. 83, IV, da Lei Complementar nº 75, de 1993, é compatível com a finalidade do Ministério Público 
do Trabalho, tampouco implica cerceamento da atuação sindical assegurada na Constituição.\u201d (ADI 1.852, voto do Min. Carlos 
Velloso, DJ 21/11/03)
 
"A recepção pela ordem constitucional vigente da contribuição sindical compulsória, prevista no art. 578 CLT e exigível de 
todos os integrantes da categoria, independentemente de sua filiação ao sindicato, resulta do art. 8º, IV, in fine, da 
Constituição; não obsta à recepção a proclamação, no caput do art. 8º, do princípio da liberdade sindical, que há de ser 
compreendido a partir dos termos em que a Lei Fundamental a positivou, nos quais a unicidade e a própria contribuição 
sindical de natureza tributária, marcas características do modelo corporativista resistente, dão a medida da sua relatividade 
(cf. MI 144, Pertence, RTJ 147/868, 874); nem impede a recepção questionada a falta da lei complementar prevista no art. 
146, III, CF/88, à qual alude o art. 149, à vista do disposto no art. 34, §§ 3º e 4º, das Disposições Transitórias (cf. RE 146.733, 
Moreira Alves, RTJ 146/684, 694)." (RE 180.745, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, DJ 08/05/98)
 
"Contribuição confederativa. Trata-se de encargo que, despido de caráter tributário, não sujeita senão os filiados da entidade 
de representação profissional. Interpretação que, de resto, está em consonância com o princípio da liberdade sindical 
consagrado na Carta da República." (RE 173.869, Rel. Min. Ilmar Galvão, DJ 19/09/97)
 
I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado o registro no órgão competente, 
vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organização sindical;
 
\u201cAté que lei venha a dispor a respeito, incumbe ao Ministério do Trabalho proceder ao registro das entidades sindicais e zelar 
pela observância do princípio da unicidade.\u201d (SÚM. 677)
 
"Liberdade e unicidade sindical: competência para o registro de entidades sindicais: recepção, pela CF/88, da competência 
do Ministério do Trabalho para o registro." (RE 222.285-AgR, Rel. Min. Carlos Velloso, DJ 22/03/02)
"A jurisprudência do Supremo Tribunal