06 Materiais de Aviacao ANAC
112 pág.

06 Materiais de Aviacao ANAC


DisciplinaCiências4.418 materiais271.131 seguidores
Pré-visualização50 páginas
6-1 
CAPÍTULO 6 
 
 MATERIAIS DE AVIAÇÃO E PROCESSOS 
 
INTRODUÇÃO 
 
 Este título incorpora as diversas partes 
utilizadas na fabricação e no reparo de aerona-
ves, como os vários tipos de prendedores e uma 
miscelânea de pequenos itens e os tratamentos a 
que estão sujeitos durante sua fabricação ou 
utilização. 
 A importância do material de aviação é 
muitas vezes desprezada devido ao seu pequeno 
tamanho; entretanto, a segurança e a eficiência 
da operação de uma aeronave depende de uma 
correta seleção e, uso adequado do material de 
aviação, assim como o conhecimento e a utili-
zação dos processos adequados a esse material. 
 
 
IDENTIFICAÇÃO DOS MATERIAIS DE 
AVIAÇÃO- 
 
 A maioria dos itens são identificados por 
números de especificação ou nome do fabri-
cante. Peças com fios de rosca e rebites são usu-
almente identificados pelas letras AN (Air For-
ce - Navy), NAS (National Aircraft Standard), 
ou MS (Military Standard) seguidas de núme-
ros. 
 Os prendedores de desconexão rápida 
são usualmente identificados por nomes dados 
pelo fabricante e pela designação dos tamanhos. 
 
Prendedores rosqueados 
 
 Os vários tipos de dispositivos de fixa-
ção, ou de fechamento, permitem uma rápida 
desmontagem e recolocação de partes de aero-
naves, que devem ser separadas e conectadas 
em intervalos freqüentes. 
 Rebitando ou soldando estas partes, cada 
vez que forem manuseadas, a junção enfraque-
cerá, tornando-se deficiente. Algumas juntas, 
muitas vezes, requerem uma resistência à tensão 
e rigidez superiores a que um rebite pode ofere-
cer. 
 Entende-se por parafusos, dispositivos 
de fixação, que permitem segurança e rigidez na 
união de peças. Existem dois tipos de parafusos: 
os utilizados em mecânica (bolts), geralmente 
quando se necessita grande firmeza; e os de ros-
ca soberba (screws), quando a firmeza não é um 
fator importante. Ambos têm algumas seme-
lhanças são usados para prender e possuem em 
uma de suas extremidades uma cabeça; e, na 
outra, fios de rosca. Também há diferenças dis-
tintas: a ponta com fios de roscas de um parafu-
so para mecânica é sempre rombuda (faces para-
lelas), enquanto que o de rosca soberba pode ter 
a ponta com rosca rombuda ou pontuda. 
 O parafuso para mecânica (bolt), geral-
mente tem uma porca atarrachada para comple-
tar o conjunto, enquanto que o de rosca soberba 
pode ser introduzido em um orifício próprio 
para ele; ou, diretamente no material a ser fixa-
do. 
 Um parafuso para mecânica tem a parte 
rosqueada relativamente curta, com relação ao 
comprimento; enquanto isso, o de rosca soberba 
tem a parte rosqueada relativamente longa, e 
não tem a parte lisa (gola), claramente definida. 
 Um conjunto, parafuso/porca é geral-
mente apertado pela porca; e a cabeça do para-
fuso poderá ser ou não utilizada para fixar o 
conjunto. Um parafuso de rosca soberba é sem-
pre apertado pela cabeça. 
 Quando um dispositivo de fixação tiver 
que ser substituído, deverá sê-lo por uma dupli-
cata do original, sempre que possível. Se não 
houver uma duplicata, muito cuidado deverá ser 
tomado na seleção do substituto. 
 
Classificação dos fios de rosca 
 
 Para os parafusos para aeronaves (bolts); 
ou os de rosca soberba (screws); e porcas, são 
fabricados em um dos seguintes tipos de fios de 
rosca: NC (American National Coarse), série de 
filetes grossos destinados ao uso em metais; NF 
(American National Fine), séries de filetes finos 
destinado ao uso geral em aeronaves e motores; 
UNC (American Standard Unified Coarse) ou 
UNF (American Standard Unified Fine). 
 A diferença entre os tipos de rosca da 
série American National (NC e NF) e os do tipo 
American Standard Unified (UNC e UNF) pode 
ser notada, por exemplo, no parafuso de uma 
polegada (1") de diâmetro do tipo NF, que será 
especificado como 1-14NF, indicando possuir 
14 fios de rosca em cada polegada da parte ros-
 6-2 
queada, enquanto que, o parafuso de uma pole-
gada (1") de diâmetro do tipo UNF será especi-
ficado como 1-12UNF, indicando possuir 12 fi-
os de rosca em cada polegada da parte rosque-
ada. 
Em ambos, é considerado o número de 
vezes que o fio de rosca completa uma volta no 
espaço de uma polegada, da parte rosqueada de 
um parafuso de determinado diâmetro. 
Por exemplo, a especificação 4-28 indica 
que um parafuso de 1/4" de diâmetro tem 28 
fios de rosca em cada polegada da parte rosque-
ada. 
 As roscas são também especificadas em 
classes de acabamento, que indicam a tolerância 
permitida pelo fabricante, com referência a sua 
instalação nos furos do material a ser preso ou 
fixado. 
 
Classe 1 - "Loose fit" - ajuste com folga ou en-
caixe deslizante - usado onde o espaço entre as 
partes conjugadas é essencial para uma rápida 
montagem, podendo ser girado com os dedos; 
Classe 2 - "Free fit" - ajuste livre - destinado 
a partes que são unidas com parafusos e porcas, 
tipo comerciais onde um pequeno jogo tem uma 
relativa margem de tolerância; 
Classe 3 - "Medium fit" - ajuste médio - desti-
nado a partes onde é desejado um valor mínimo 
de folga ou de jogo entre as partes rosqueadas. 
Esse tipo de ajuste é geralmente empregado na 
construção aeronáutica. 
Classe 4 - "Close fit" - forte ajuste ou ajuste sob 
pressão - destinado a requisitos especiais. Os 
parafusos de ajuste sob pressão são instalados 
com ferramentas ou máquinas. 
 
 Os parafusos e as porcas são também 
produzidos com a rosca-esquerda. 
O parafuso de rosca-direita é o que tem o 
seu aperto no sentido dos ponteiros de um reló-
gio, o de rosca-esquerda quando tem que ser 
girado no sentido inverso para conseguir o aper-
to. 
As roscas, direita e esquerda são, desig-
nadas respectivamente por RH e LH. 
 
PARAFUSOS DE AVIAÇÃO 
 
 Os parafusos empregados em aviação 
são fabricados em aço resistente à corrosão, 
com banho de cádmio ou de zinco; de aço resis-
tente a corrosão, sem banho, ou ainda de liga de 
alumínio anodizado. 
 A maioria dos parafusos, utilizados em 
estruturas de aeronaves, tanto pode ser do tipo 
padrão como AN, NAS com encaixe na cabeça 
para ferramentas, de tolerância mínima, ou do 
tipo MS. 
Em certos casos, os fabricantes de ae-
ronaves fazem parafusos de diferentes dimen-
sões ou maior resistência do que o tipo padrão. 
Do mesmo modo, os parafusos são fabri-
cados para aplicações especiais, e é de extrema 
importância utilizar parafusos iguais como subs-
tituto. 
Os parafusos especiais são normalmente 
identificados por uma letra "S" estampada na 
cabeça. 
 Os parafusos AN são encontrados em 
três estilos de cabeça: hexagonal, Clevis e com 
olhal (Figura 6-1). 
Os parafusos NAS são encontrados com 
a cabeça hexagonal, com encaixe na cabeça para 
ferramentas e com a cabeça escariada. Os pa-
rafusos MS têm a cabeça hexagonal ou com en-
caixe para ferramentas. 
 
 
 
Figura 6-1 Identificação de parafusos de aero-
naves. 
 6-3 
Parafusos de uso geral 
 
 Os parafusos de cabeça hexagonal (AN-
3 até AN-20), são usados em estruturas, e em 
aplicações gerais, que envolvam cargas de ten-
são e de cizalhamento. 
 Os parafusos de ligas de aço, menores do 
que o nº 10-32; e os de liga de alumínio, me-
nores do que 1/4" de diâmetro, nunca devem ser 
usados em peças estruturais. 
 Os parafusos e as porcas de liga de alu-
mínio não são usados quando tiverem que ser 
removidos, repetidamente, para serviços de ma-
nutenção e inspeção. As porcas de liga de alu-
mínio podem ser usadas com os parafusos de 
aço banhados de cádmio, que sofram cargas de 
cizalhamento, em aeronaves terrestres; mas, não 
poderão ser usadas em aeronaves marítimas, 
devido a possibilidade de corrosão entre metais 
diferentes. 
 O parafuso AN-73 é semelhante ao ca-
beça hexagonal padrão, porém, possue uma de-
pressão na cabeça e um furo para passagem