06 Materiais de Aviacao ANAC
112 pág.

06 Materiais de Aviacao ANAC


DisciplinaCiências4.400 materiais268.079 seguidores
Pré-visualização50 páginas
screws) 
 
 São parafusos AN 535 correspondentes 
ao Parker-Kalon tipo U. Eles têm a cabeça lisa, 
rosca soberba; e são usados para fixação de 
chapas de inscrição, em peças fundidas, na ve-
dação de furos de dreno e em estruturas tubula-
res à prova de corrosão. 
Não é prevista a remoção destes parafu-
sos após a instalação. 
 
Identificação e códigos 
 
 O sistema de códigos usado para identi-
ficar estes diferentes tipos de parafuso (screws), 
é semelhante ao usado para os bolts. Os do tipo 
NAS são parafusos para estruturas. Os números 
de parte 510, 515, 520, e assim por diante, clas-
sificam os parafusos em classes; tais como, ca-
beça redonda, cabeça plana, cabeça com arruela 
fixa, e etc. Letras e números indicam o material 
de sua composição, comprimento e diâmetro. 
Exemplos de códigos AN e NAS, são dados a 
seguir: 
AN501B - 416-7 
AN = Padrão Air Force - Navy 
501 = Cabeça cilíndrica, rosca fina 
B = Latão 
416 = 4/16" de diâmetro 
7 = 7/16" de comprimento 
 
 A letra "D" no lugar de "B", indica que o 
material é de liga de alumínio 2017-T. A letra 
"C", indica aço resistente à corrosão. Uma letra 
"A", colocada antes do código do material, indi-
ca que a cabeça do parafuso é furada para fre-
nagem. 
 
NAS 144DH - 22 
NAS = National Aircraft Standard 
144 = Tipo de cabeça; diâmetro e rosca.parafuso 
de 1/4"-28, com encaixe interno para ferramen-
ta. 
DH = cabeça com furo para frenagem 
22 = comprimento em 16 avos da polegada - 
22/16" = 1 3/8" 
 
 O número básico, NAS, identifica a par-
te. As letras em sufixo, e os números separados 
por traços, identificam os diferentes tamanhos, 
camada protetora do material, especificações da 
furação, etc. Os números, após os traços e as le-
tras em sufixo, não obedecem a um padrão. Al-
gumas vezes é necessário consultar os manuais 
específicos para a legenda. 
 
 
REPAROS EM ROSCAS INTERNAS 
 
 Instalação ou remoção de parafusos são 
tarefas simples, comparadas com a instalação ou 
remoção de prisioneiros. As cabeças dos parafu-
sos e das porcas são instaladas externamente, 
enquanto que, os prisioneiros são instalados em 
roscas internas. 
As roscas, danificadas em parafusos ou 
porcas, são facilmente identificadas, e só reque-
rem a substituição da parte danificada. Quando 
roscas internas se danificam, existem duas alter-
nativas: a substituição da peça e o reparo, ou a 
substituição da rosca. 
A recuperação da rosca danificada, é 
normalmente, o recurso mais barato e mais con-
veniente. Os dois métodos de reparo são: substi-
tuição de buchas e instalação de roscas postiças 
Heli-Coils. 
Substituição de buchas 
 
 As buchas são materiais de uso especial 
(buchas de aço ou latão na cabeça dos cilindros 
para colocação das velas). São materiais resis-
tentes ao desgaste do uso, onde é freqüente a 
substituição. A rosca externa é, normalmente, de 
filetes grossos. Quando a bucha é instalada, um 
produto de vedação pode ou não ser usado, para 
evitar perdas. Muitas buchas têm rosca esquerda 
na parte externa e rosca direita na interna. Com 
 6-19 
esta providência, a remoção do parafuso ou pri-
sioneiro (com rosca direita), tende a apertar o 
embuchamento. 
 Buchas para instalações comuns, como 
velas de ignição, podem ser supermedidas, aci-
ma de .040 (em incrementos de .005). A instala-
ção original e a substituição em oficinas de revi-
são geral, são efetuadas com tratamento antagô-
nico de temperatura, isto é, a cabeça do cilindro 
é aquecida e a bucha é congelada. 
 
Rosca postiça heli-coil 
 
 É um arame de aço inoxidável 18-8, de 
seção rômbica, enrolado com rigorosa precisão, 
em forma de mola helicoidal (fig. 6-14). 
 
 
 
Figura 6-14 Rosca postiça \u201cHeli-coil\u201d. 
 
 Após inserido em um furo rosqueado, 
devidamente preparado, a rosca postiça Heli-
coil constitui uma rosca fêmea calibrada (Unifi-
ed Coarse ou Unified Fine, classes 2-3B), cor-
respondente ao diâmetro nominal da rosca dese-
jada, em perfeita obediência às dimensões e 
tolerâncias estabelecidas pelo sistema de rosca 
correspondente (métrico ou polegada). O con-
junto instalado acomoda peças com rosca exter-
na. Cada rosca postiça tem um pino de arrasto 
com um entalhe, para facilitar a remoção do 
pino, depois que a rosca postiça estiver instalada 
no furo roscado. 
 Elas são usadas como uma bucha. Além 
de serem usadas para restaurar roscas danifica-
das, elas são usadas em projetos originais de 
mísseis, motores de aeronaves e todo o tipo de 
equipamentos mecânicos e seus acessórios, para 
proteger e fortalecer o rosqueamento interno de 
materiais frágeis, metais e plásticos, particular-
mente, em locais que requerem freqüentes mon-
tagens e desmontagens, e/ou, onde uma ação de 
frenagem de parafuso é desejada. 
 
Instalação da rosca postiça 
 
 A instalação consiste em uma seqüência 
de 5 a 6 itens (Figura 6-15), dependendo de co-
mo o quinto item for classificado, descarta-se o 
sexto item. 
As seguintes instruções do fabricante deve-
rão ser seguidas durante a instalação: 
 
1 Determinar quais as roscas que estão da-
nificadas. 
 
2 a) Em novas instalações da rosca postiça, 
broquear a rosca danificada para a pro-
fundidade mínima especificada. 
 
 b) Com Heli-Coil previamente instalada, 
usando o extrator no tamanho adequado, 
colocar a borda da lâmina a 90º da borda do 
conjunto. São dadas pequenas pancadas 
com o martelo, para assentar a ferramenta; 
girando para a esquerda, com pressão, até 
remover o conjunto. Os fios de rosca não 
ficarão danificados se o conjunto for remo-
vido corretamente. 
 
3 Abridor de rosca - Use o abridor de rosca 
macho, na medida requerida. O procedi-
mento de abrir rosca é o padronizado. O 
comprimento da parte rosqueada deve ser 
igual ou maior do que o requerido. 
 
4 Medidor - Os fios de rosca devem ser ve-
rificados com um medidor de rosca Heli-
Coil. 
 
5 Instalação do conjunto Heli-Coil - U-
sando a ferramenta adequada, instalar o 
conjunto até uma profundidade que per-
mita que o final superior da espiral fique de 
1/4 a 1/2 espira abaixo da superfície do fu-
ro. 
 
6 Remoção do pino de arrasto - Sele-
cione a ferramenta própria para a quabra do pi-
no de arrasto. Os pinos devem ser removidos em 
todos os furos passantes. Nos furos cegos os pi-
nos de arrasto podem ser removidos quando 
necessário se o furo tiver profundidade bastante 
por baixo do pino do conjunto instalado. 
 6-20 
 Estas instruções não são consideradas 
como específicas para instalação de roscas pos-
tiças do tipo Heli-Coil. Para instalar um conjun-
to de roscas postiças, devem ser seguidas as 
instruções fornecidas pelo fabricante. 
 As roscas postiças Heli-Coil são forneci-
das com os seguintes tipos de roscas: grossa, 
fina, métrica, de vela de ignição e National Ta-
per Pipe. 
 
 
Figura 6-15 Instalação da rosca postiça. 
 
REPARO COM LUVAS ACRES 
 
 Luvas prendedoras acres são elementos 
tubulares, de parede fina, com a cabeça em ân-
gulo para furos escareados. As luvas são instala-
das em furos destinados a parafusos padrão e 
rebites. 
O furo existente deve ser supermedido 
em 1/16" para a instalação da luva. As luvas são 
fabricadas em incrementos de polegada. Ao 
longo do seu comprimento, ranhuras proporcio-
nam locais para a quebra ou o corte do excesso 
do comprimento, para a medida exata. As ra-
nhuras proporcionam também um espaço para 
manter o adesivo ou selante quando colando a 
luva no furo. 
 
Vantagens e limitações 
 
 As luvas são usadas em orifícios que 
possam ser supermedidos em 1/64", para remo-
ção de corrosão ou outros danos. O orifício su-
permedido, com a luva instalada, permite o uso 
de um prendedor de diâmetro original, no orifí-
cio já reparado. 
As luvas podem ser usadas em áreas