APOSTILA PRÓTESE TOTAL
66 pág.

APOSTILA PRÓTESE TOTAL


DisciplinaÓrtese e Prótese1.334 materiais6.345 seguidores
Pré-visualização27 páginas
aquelas estruturas paraprotéticas como músculos e bridas, freios e inserções musculares, em movimento. Essa é a razão (e julgamos mais que suficiente) que nos leva a ter a godiva como material de eleição para a moldagem de desdentados totais.
Terminada a moldagem, o molde pode ser testado quanto à estabilidade e retenção. Assim o operador pode estar razoavelmente certo, quanto ao resultado obtido.
Naturalmente, esses fatores se devem totalmente às propriedades inerentes ao material, porém indicam seu valor.
Pastas Zincoeugenólicas: há alguns anos atrás o cimento zinco-oxifosfato foi utilizado para obtermos melhor adaptação e fixação (reembasamento) em próteses totais antigas. Notou-se que, com esse procedimento, os tecidos da cavidade oral, inflamados pelo atrito constante, apresentavam sensível melhora tanto na cor como em sua textura. Além do fato de que, pela melhor adaptação (e conseqüente retenção) há maior estabilidade da prótese e, portanto, eliminação de traumatismo constante sobre a fibromucosa. Notou-se que o próprio cimento encerrava em sua composição algum elemento benéfico para os tecidos. Sabemos que a associação de uma base neutra, como o óxido de zinco, a um elemento como o eugenol, propicia condições ideais à regeneração dos tecidos da cavidade oral. Devido a esse fato as pastas de óxido de zinco e eugenol tornam-se de uso corrente em Odontologia, tanto em sua forma original de cimento como em compostos, especialmente preparados, como é a pasta zincoeugenólica. Esses compostos (em sua forma simples ou associados a resinas) encontram ampla aplicação em todas as especialidades odontológicas.
Em prótese totais usamos as pastas zincoeugenólicas para moldagens com moldeiras individuais (devido a sua fluidez e capacidade de copiar as estruturas), em reembasamentos de próteses totais imediatas (pela sua propriedade curativa) ou como curativo de demora (em casos de hiperplasias da fibromucosa).
O tempo de trabalho desse material é grandemente afetado pelas condições climáticas (umidade e calor), pela proporção da mistura e pela maneira de espatular o material. Proporção incorreta, calor, umidade em excesso aceleram o tempo de presa do material.
Como essas pastas desidratam a mucosa durante a sua presa, quando utilizadas em reembasamentos, após a presa do material, devemos remover a dentadura da boca do paciente e submergir em água antes de permitir a utilização da prótese.
A apresentação comercial das pastas zincoeugenólicas é feita em duas bisnagas, com bocas de diâmetros diferentes, de maneira que a proporção correta é obtida por comprimentos iguais de pasta sobre uma placa de vidro ou papel encerado. Geralmente a cor das pastas também é diferente conforme trata-se do agente catalisador ou da base (vermelho para o agente e branco para a base, embora possa variar de fabricante para fabricante). A mistura é feita espatulando-se comprimentos iguais de pasta até se obter uma cor uniforme. Devemos considerar, sempre, a temperatura ambiente quando usamos esse material.
As principais vantagens das pastas zincoeugenólicas podem ser listadas:
* facilidade de se obter uma adaptação correta
* escoamento uniforme, mesmo sob baixa pressão
* adesividade à moldeira mesmo quando reduzida a um filme de material
facilidade de separação dos moldes vazados (por aquecimento em banho-maria).
Elastômeros - substâncias coloidais: com o desenvolvimento crescente da Odontologia tornou-se necessário o uso dos materiais elásticos que permitissem moldagens de arcos dentais, portanto retentivos, de uma só vez. Com a generalização de aparelhos protéticos fixos, de vários elementos; na confecção de aparelhos removíveis, onde há a necessidade de copiar fielmente os dentes remanescentes; aumentou a demanda de materiais que associassem a fidelidade de impressão à fidelidade dimensional. 
Com as pesquisas surgiram os materiais ditos elásticos: os elastômeros
Esses materiais permitem, rápida e facilmente, a moldagem de regiões retentivas, retornando à posição original após a retirada do molde da boca do paciente.
Dentre o grande número de materiais elásticos existentes atualmente podemos citar:
Os hidrocolóides irreversíveis: os alginatos, encontrados no mercado com diversos nomes comerciais, são mais utilizados como materiais para moldagem de dentados, parciais ou totais, ou associados à godiva quando da confecção de próteses totais imediatas.
Os alginatos ou hidrocolóides irreversíveis são apresentados como um pó que é adicionado à água e espatulado até obtermos uma mistura cremosa, que é levada à boca em uma moldeira e mantida em posição, até sua completa geleificação.
A grande vantagem desses materiais reside em sua elasticidade que nos permite a retirada das impressões mesmo nos casos mais difíceis de arcadas retentivas ou guarnecidas de dentes. 
Silicones e mercaptanas: o avanço das técnicas industriais permitiu o desenvolvimento de outros materiais, semelhantes aos colóides quanto à sua elasticidade, porém, cuja composição química característica lhes confere estabilidade dimensional, permitindo um tempo de trabalho maior.
Com o uso de moldeiras especiais, mais condizentes com a anatomia da região a ser moldada, a obtenção de moldes corretos é mais simples do que com o uso das moldeiras de estoque; consequentemente há maior fidelidade e as possíveis alterações dimensionais serão bastantes diminuídas.
UMA DEFINIÇÃO DE MOLDAGEM
"Entende-se por moldagem, aquele passo da técnica de confecção de próteses totais que visa copiar, reproduzir, as arcadas alveolares e estruturas afins, com o fito de obtermos um modelo que será a cópia fiel dessas arcadas e sobre o qual construiremos a base de nosso aparelho protético".
Podemos dividir as técnicas de moldagem em dois grandes grupos:
	PRELIMINAR ou ANATÔMICA
 FUNCIONAL - simples
		 - mista
KORAN e col. (1977), classificam as moldagens em três categorias:
* FUNCIONAIS
** SEMI-FUNCIONAIS
*** MUCOSTÁTICAS
Podem ser classificadas, de acordo com o material de moldagem:
* Moldagens COMPRESSIVAS
** Moldagens SELETIVAS
*** Moldagens com MÍNIMA PRESSÃO
Em função da FIBROMUCOSA:
* LISA E ADERIDA
** RESILIENTE
*** FLÁCIDA
MOLDAGEM COMPRESSIVA:
Desenvolvida para oferecer a máxima eficiência durante a mastigação:
Depende da resiliência da fibromucosa.
MOLDAGENS A PRESSÃO SELETIVA:
Desenvolvidas por PLEASURE (1964), procura-se desenvolver pressão controlada ou diferenciada, sobre a fibromucosa.
MOLDAGEM A MÍNIMA PRESSÃO:
	PAGE introduz o conceito de moldagem "mucostática".
	BOHANNAN (1954) e PORTER (1955), discordam dos conceitos de PAGE.
	KORAN e col.(1977)- "moldagem mucostática" e "pressão mínima" não são
	sinônimos.
O TIPO ou TÉCNICA de moldagem será ditado pelas características do caso e pela fibromucosa de revestimento.
CONCEITO DE MOLDAGEM ANATÔMICA
Moldagem anatômica ou primeira moldagem ou moldagem preliminar.
Raybin limita a dentadura por quatro superfícies:
1. superfície de moldagem
2. superfície periférica
3. superfície polida
4. superfície oclusal
A configuração da superfície de moldagem rege as relações que a prótese vai manter com a superfície sobre a qual estará assentada. Essas circunstâncias determinam a sustentação, parte da retenção e parte da estabilidade do aparelho protético.
CONCEITO
"Entende-se por moldagem anatômica aquela que reproduz fielmente os acidentes anatômicos da boca em seu estado atual".
Pretende-se, com a moldagem anatômica a reprodução das formas, tal como as vê o profissional, quando estas encontram-se em repouso e a boca aberta.
Devido às características dos materiais de moldagem utilizados, os tecidos que constituem a superfície de apoio e aqueles que a limitam, podem sofrer deformações cuja magnitude e localização escapam, em parte, ao controle do profissional. Depreende-se que a moldagem preliminar (anatômica)
Elen
Elen fez um comentário
tem sim, manda seu email
0 aprovações
KARINE
KARINE fez um comentário
Oi.. Tem como enviar esse arquivo pro meu email?/
1 aprovações
Carregar mais